domingo, 8 de março de 2009

Eu e os meus botões

EU E OS MEUS BOTÕES


A aparência prostibular daquela coisa deixou-me intrigado, mesmo indignado… e de mal com os meus botões. Então, digo eu, a dignidade das funções estatais que ali são realizadas não implica uma maior sobriedade e adequabilidade das instalações, do próprio edifício? Por fora, ainda vá, agora por dentro!… Que não, dizem eles, os meus bem tratados botões – que os prefiro aos fechos éclairs -, sempre esmerados e bem cosidos – não por mim, que quando uma vez mo mandaram fazer corri de imediato para a prateleira dos tachos, e, já um ia meio de água a caminho do fogão quando, em justa zombaria, me fizeram ver que o perigo de coser um botão é a picadela e não a queimadela -, que não, que nada de mal viam naquela arquitectura, muito pelo contrário... eu, continuaram, estou é a ficar conservador… Conservador eu?!, eu, sim, e muito, eles. É uma pena, quem tu eras!..., eles.
Das milhentas vezes que com eles privara a muito sós, nunca como desta vez uma discussão chegara a tal ponto, nunca se atreveram eles - e unanimemente! – a classificarem-me de conservador. Eu, todo feito com os revolucionários, tão p’á frentex, tão amigo de que as coisas mudem… para melhor!
Fiquei triste com os meus botões. Já tinham ouvido e visto tanto de mim, e, ainda assim, consideravam a hipótese de algum dia eu vir a tornar-me conservador!... De maneira que me senti na obrigação de ripostar. Recorrendo a ensinamentos musicais que outrora me foram ministrados no Conservatório Gulbenkian em Aveiro, pausei (que pausa também é música)… depois melodiei, sem apoio harmónico, que sozinho era: nobre, o trabalho/ nobres as funções/ dignifiquem a pauta/ senhores musicosões/ o povo é quem paga, sempre/ o papel, a tinta, a obra, a orquestra inteira, as instalações/ criem com talento/ criem condições… melodiei, em duas notas e figuras várias melodiei para os meus botões.




Carlos Jesus Gil

8 comentários:

Nanda Assis disse...

bom fim de semana.

bjosss...

Daniel Savio disse...

É estranho mesmo, pois as instalações publicas que deviam seguir a risca as leis (como uma rampa para facilitar o acesso um de cadeirante) não o fazem...

Mas não se preocupe em tornar um conservador, mas sim se fechar as novas idéias, isso sim que é ruim.

Fique com Deus, menino Carlos Gil.
Um abraço.

Valentim Coelho disse...

Espero que os teus botões tenho ouvido a tua melodia :) pois nos tempos que correm é dificil que alguém nos ouça seja no que for.

batutaemeia disse...

Se, como diz o comentador Daniel, falas dos edifícios públicos e da (não) qualidade de grande parte deles, dou-te razão.

Café da Madrugada® Lipp & Van. disse...

Acredito que botões ouvem mais que pessoas. E só com eles pode-se abrir totalmente ;} mesmo que seja conservador.

AZUL DRAGÃO disse...

E que bela melodia , meu amigo !
Parabéns!



Abraço

ϟ Camila Siqueira ¬ disse...

Se tornar consevador não é tão ruim,mas não deixe de abrir a cabeça pra coisas novas!

Mariazita disse...

Olá, boa noite.
Peço desculpa mas não tenho tempo para comentários.
Paasei o dia fora, e agora tenho que agradecer as visitas que recebi durante o dia.
É isso que venho fazer: agradecer a tua visita à minha Casa, e as tuas palavras de simpatia.
Muito obrigada.

Bjs
Mariazita