segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

A Insonsa

A INSONSA


Era uma vez uma rapariga tão linda tão linda, mesmo tão linda que, só não fazia parar o trânsito porque se deslocava sempre de metro e as portas de entrada e saída de sua casa bem como do seu local de trabalho davam directamente para o buraco (uns metritos, apenas). Bem - ou mal, consoante o juízo -, a bela diva padecia, contudo, de um grave problema congénito: era insonsa… sim, insulsa, insípida… não sabia a nada – qual génio perfumista de Suskind que, não obstante o seu potenciado e extraordinário olfacto, não possui cheiro próprio. Logo ele, ironia das ironias, que parido fora entre os mais nauseabundos fedores da Paris do século XVIII! -, a nada mesmo!
Os homens aproximavam-se, faziam trinta por uma linha para meterem conversa com ela e tornarem-se íntimos mas, quando tal sorte chegava em jeito de jack pot, logo verificavam que a massa ia quase toda para o fisco. Uma raspadinha, e fraquita! Serve esta modesta imagem para reportar o facto de que, mal bem conseguidos os intentos másculos, assim que dado o primeiro beijinho, feito o primeiro linguado e – e aqui é que está!- dada a primeira dentadinha, logo os ditos zé-zés camarinhas fugiam a 7777 pés…
Fora sempre assim. Desde que se lembra de ser gente e de andar à porrada nas ruas e na escola, sempre que algum ou alguma colega lhe punha os dentes, mal a primeira e única trincadela se dava, era um vê-se-te-avias, uma correria freneticamente louca, do dentuço ou da dentuça, para junto dos outros. “A cachopa não sabe a nada”, diz quem a provou, e assim também não!... Tem que haver algum tempero, digo eu, que até nem gosto muito de fazer juízos de valor… quer dizer, muito não, mas a um niquito não me coíbo.
Há, porém, males que vêm por bem – todos o sabem, que o povo o diz de há tanto que se perdeu registo. Desesperada e a necessitar de merecidas férias, compra, com uma amiga, passagem para destino exótico. Dez diazitos fora de tudo!
Bem – mal, digo eu, que os factos assim m’o exigem -, a outra, papada… literalmente. Ela, logo à primeira dentada, é projectada por valente cuspidela… Até os canibais gostam das coisas bem temperadas!… E ela corria, corria, corria a bom correr a caminho do trilho que leva à cidade e ao hotel; e olhava para trás; e corria ainda mais; e… não era necessário nada disso, pois ninguém fora no seu encalço.




Carlos Jesus Gil

33 comentários:

o primeiro disse...

pareçe que já li isto em algum lado!!!!!!!????

Ana Maria disse...

Tenha uma segunda de paz e sucesso!
Beijinhos iluminados!

Pico minha ilha disse...

E há tantas para ai.Abraço

Carla disse...

como tudo na vida...os condimentos fazem a diferença
beijos

Darwin disse...

Não gosto das coisas insossas, porque a vida quer-se sempre com algum tempero.
Mas, no que respeita às mulheres, não me interessa a sua ancestral proveniência, e não me importo nada que sejam insossas, salgadas, insípidas ou inodoras, porque sou um homem muito humilde e pouco exigente!...” Qualquer coisa que apareça na minha frente, e que seja comestível, eu traço. Se for gostosa, melhor ainda” (Zézé Camarinha).
Não liguem, isto dá-me de vez em quando. Já a minha Angélica me dá muito trabalho, agora imaginem as outras.

loirinhaquenãoédeaveiro disse...

Espero bem não ser assim. LOL

Ferreira-Pinto disse...

Conheço algumas assim!

JOSE TERRA disse...

ai está o que sempre tenho defendido , sempre apareçe alguma coisa a dar razão cá ao velho!!!
nunca se deve comer nada sem tempero nem que seja a tal rapariga que.......
azeite,sal e vinagre agora em ração de combate para andar na carteira.há pois não vá o diabo COMELA.

fj disse...

vai lá vai!
fugir sem que ninguém a percorra - nem quero imaginá-"la" :)))

Por x as aparências aludem para outras estâncias...
Há tb quem esteja fora dos parametros admitidos qt aos valores do colestrol,nem sempre um bom tempero é bem apreciado.
Talvez Por isso a natureza encarrega-se de nos oferecer de tudo!...será??
:)))
Com fracos conhecimentos, Confesso que a sorte têm sido minha aliada.
Um Abraço e boa semana!

Ps: Amigo Carlos, já deves ter conhecimento, ROUBEI por aqui mais uma Palavra para o Dicionario 100Palavras...UMA vez que já se encontrava algo debilitado e a energia estava nas lonas.

Pronto! já sabes o que tens a fazer, não sabes??

Laurindo disse...

Na, gaijinhas a não saber a nada, nã quero. Não quero, pronto. Bem, se calhar até quero.

dragao vila pouca disse...

E tu não tens culpa no cartório? Deste o teu melhor?

Um abraço

Maria Zua disse...

Boa noite. Tudo com tempero é o melhor, não muito, q.b.,no meu caso falo de homens, uns mais insossos que outros (fazem-se) mas todos têm um certo carisma que cativam. Neste aspecto, não sou exigente quando conheci o meu, não o deixei fugir agarreio-o po-lo em salmoura para não se estragar com o tempo e não é que está como o vinho do Porto, quanto mais velho melhor...

deh disse...

nossa. pipocam pelo mundo as insonsas!

loiranãoburra disse...

eheheh Eu não sou assim

Sun Iou Miou disse...

Talvez não me corresponda a mim julgar (experimentei a me morder num dedo, mas doía e desisti), mas acho que se me apanhassem os canibais logo me largavam, que nem caldo bom haviam fazer estes meus ossinhos.

aa disse...

Bem, este texto está demais... e começa de uma forma excelente...(...) "rapariga tão linda tão linda, mesmo tão linda que, só não fazia parar o trânsito porque se deslocava sempre de metro"(...) lol
Também gostei bastante da comparação da dita rapariga com o protagonista (Grenouille) de "O Perfume - história de um assassino" de Patrick Suskind... ela bela e sem sabor e ele com um óptimo olfacto e sem cheiro próprio... é mesmo como diz o Carlos... "ironia das ironias"
E tudo se quer na medida certa... nem sem sal, nem com condimento a mais...:)
Beijos,

AA

raulus_brutus disse...

O que é insosso vive mais tempo, o que é vazio é passível de ser preenchido e o sem sabor pode-se enriquecer...ou então não.

▀█ Camila Siqueira ♣ disse...

ameii..não gosto de coisa ensosas..azar delaa!

o que me vier à real gana disse...

Boa dormidela, malta!

Sim, fj. Já está!

Daniel Savio disse...

Nossa, ela era tão sem sal assim?!

Mas tem algumas pessoas que não parecem propagando enganosa, lindas por fora, mas horriveis por dentro.

Fique com Deus, menino.
Um abraço.

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!!

Olha se ela ganha sal.... e te dá o troco...


:)

beijinhos

Sam disse...

estive a pensar muito, e acho que posso afirmar: eu comia a gaija e juro que não me queixava! eu não preciso de tempêros....só quero é alimentar-me!
em tempo de guerra todos os buracos são trincheiras. e estou em tempo de guerra, tanto que acho que lhe vou chamar a guerra dos 100 anos!

grande abraçe!
manda-me o email da gaija pá!

Inside Me disse...

sr carlos gil, texto muito bom, me pus a rir comsua frase: "que até nem gosto muito de fazer juízos de valor… quer dizer, muito não, mas a um niquito não me coíbo" hahahaha vc hein! cuidado com as meninas lindas por aí, bjão
p.s. pode estar despreocupado que a tinta não atingiu meu cérebro, kkkkkkkkkk

Táxi Pluvioso disse...

Acabei de ler que um aluno de 10 anos atacou à dentada a professora. Talvez estejamos na era do gosto. Acabou-se a vista, o olfato, o tacto, o ouvido, o álgico, o térmico etc. etc. etc.

leitor disse...

Boa leitura, sim senhor.

Carla P.S. disse...

Até que ela ache um alérgico, sem tempero, e ficam felizes, belos porém insonsos..Não doentes, apenas serventes, pálidos, educados por demais, com belos feitios, pouco assunto, porém passeando no parque num domingo ensolarado com seus sorvetes de morango.
Aceite um café,
doce.

atento disse...

Eheh marchava na mesma.

susana disse...

:P e o que é para ti um bom tempero?
su

batutaemeia disse...

Quero lá saber do tempero, marchava na mesma ahahah!

AZUL DRAGÃO disse...

Amigo


Com tanta engodo que anda por aí é preciso ter cuidado.

É que às vezes , elas , boazudas e lindas de morrer não são elas ...
são eles !

Abraço

Mariazita disse...

Uso muito pouco sal na comida, mas só...
Meu querio Carlitos, adorei o teu comentário. Não fiz grande espalahafato para não levantar poeira. Gostava que fosse vê-lo.
E...nem a propósito da conversa, vê o que recebi hoje.

RESSURREIÇÃO

Humberto Rodrigues Neto

Nem como dogma a ressurreição,
em sã consciência, pode ser aceita;
bem mais plausível é a reencarnação
aos que não usem de uma mente estreita.

Se morremos, ao éter a alma voa,
e os corpos ficam para sempre inermes
na terra fria, a transformar-se, à toa,
num voracíssimo festim de vermes!

Já como esterco damos vida à planta,
que vai servir de pasto a um animal,
do qual fazemos nosso almoço e janta
pra voltarmos ao lixo original!

Não se pode aceitar que após milênios
de contínua e total degradação,
voltem tais corpos, no julgar de “gênios”,
a recompor-se na ressurreição!

Já disse Paulo, sobre esta questão,
na epístola aos Coríntios e aos incréus,
que é impossível haver ressurreição,
pois nem carne e nem sangue entram nos céus!

Desculpa, isto é um pouco extenso...mas acho que vale a pena ler.

Aquele beijinho
Mariazita

Para o caso de não ires à minha casa, vou transcrever a parte final da minha resposta.

"E, terminando pelo princípio (a propósito de "arredada"): os projectos, enquanto projectos, não passam de projectos.
Depois de aprovados (quando o são) precisam ser ultimados. E isso demora tempo.

Percebeste ou queres que te faça um desenho???"

GMV disse...

Isso é que eu gosto de vir ler-te!!! Fico sempre bem disposta.

Beijos meus

Graça

o que me vier à real gana disse...

Mariazita, não conhecia o poema. De facto, em muito nele se defende o k transmito na minha "teoria".

Claro! bom trabalho!