sábado, 10 de janeiro de 2009

Querem descodificar?

DESAFIO

QUEREM DESCODIFICAR?


Ao telefone (sob escuta), dois comparsas em negócio escuro (pequeno extracto):


- Então a que horas?
- Pode ser mesmo no carro.
- Ok!



Disparem o que vos vier à real gana!


Carlos Jesus Gil

29 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

Em negócio escuro só pode ser algo de saias e calças, num qualquer local ermo.
Esta malta ainda não descobriu as virtudes dum Motel.
Não se sujeitam a assaltos, só aos do parceiro e depois os carros são incómodos e causam cãibras.
Ou causavam, porque os bancos não rebatiam.
Se o carro é um Carocha, então a coisa pia mais fino.
Lembro-me da fulana que, em tribunal se queixava ao juíz que tinha sido violada, num Carocha.
Isto foi há muitos anos e a mulher até já morreu inocentemente.
- Então conte lá como as coisas aconteceram, disse-lhe o juíz.
- ele mandou-me passar para o banco de trás e eu, inocentemente, passei.
Mandou-me tirar a saia e as cuequinhas e eu, inocentemente tirei.
Depois mandou-me tirar os sapatos e eu, inocentemente tirei.
Então mandou-me meter os pés nas duas pegadeiras que estão em cada lado do carro, a meio e junto das portas.
Eu inocentemente meti um pé em cada uma ...
- Alto lá! Diz o Juíz.
Aqui o inocente sou eu.
É que tenho um Carocha e não sabia para que raio serviam as pegadeiras!!!

Tiê Porã disse...

uaiuuu
não tive muito tempo pra ler o seu blog ainda

quer dizer que o meu é bom??

uhmm
espero que sim !


o seu parece interessante também
- boa noite moço!

Táxi Pluvioso disse...

E continua... se é assim, pode ser mesmo aqui.

Calculo a confusão que deve fazer na cabeça de bófias e licenciados em direito conversas avulsas no télélé.

Agora vamos ser felizes com o nosso computador.

Tiê Porã disse...

e como faço para acompanhar seu blog??

o que me vier à real gana disse...

Amigo José, para além de extremamente perspicaz, é montanhescamente inteligente!

o que me vier à real gana disse...

Boa, táxi!

o que me vier à real gana disse...

Tiê porã, se tiveres um tempito passa por aqui regularmente. Se poswsível todos os dias. Tb te visitarei!

Tiago Araújo disse...

Bom blogue

visitem o meu e comentem

http://campeoesfcporto.blogspot.com

Nanda Assis disse...

coisa de máfia. kk

bjosss...

dragao vila pouca disse...

Na, nada disso: o Louçã encontra-se com o Manuel Alegre, no carro e pegunta-lhe: - então meu caro Poeta, você vem ou não vem para o Bloco? Ao que Manuel Alegre responde: - nã, nada disso, está lá o Gil e o Gil é como o eucalipto; seca tudo à volta.
Um abraço de um democrata de esquerda, mas que não é do Bloco nem do do partido do Jerónimo.

Anónimo disse...

Repara-me só neste estilo:
Não fora a permissa de se tratar de negócios escuros, eu alvitraria um encontro amoroso entre dois amantes (amante=aquele que ama), possuidores dum código secreto.
Porém, a realidade é mais crua., nada romântica.
Quem, de momento, tem como leitura de mesa de cabeceira “Um ano no tráfico de mulheres”, só pode concluir:
-isto é conversa de mafiosos, combinando um encontro para tráfico de carne humana.

E agora, balouçando a mão no ar, chocalhando as pulseiras, pergunto:
- Tô certa ou tô errada???

Bjitos
Encic

loirinhaquenãoédeaveiro disse...

O que é que ele quererá dizer com isto?

stériuéré disse...

E já pela tardinha do dia tal e coiso, dois comparsas decidiram ir ao intermaché.Andavam às voltas que nem loucos. Ora iam à secção dos pelos, ora à secção dos plásticos, enfim, iram sem rumo definido.
Num flash......
É comparsa 1 deixa lá as compras e vamos mas é à boate....
comparsa 2 diz:E atão que até uma boa ideia. Já que vamos gastar dinheiro só por gastar.... vamos às gaijas!
E dito isto lá foram os dois comparsas com rumo à boate. ( não tenho a certeza mas, acho que o nome da boate era"quemcá vemfica".
E lá entraram eles com os seus casacos de cabedal , todos faneirões,com uma caixa de charutos cubanos , que aproveitaram pa comprar lá no inter.
O comparsa 1 saca do pente do bolso e vai pá casa de banho pentear-se, pois de modo algum queria aparecer todo esgadelhado, ora essa, até parecia mal.
Enquanto isso , o comparsa 2 vaiem direcção ao balcão , fazer o pedido de uma bebida. E de repente.....olha para uma gaija, que estava quase...mesmo quase toda despida. Entrou logo pa atacar com as falinhas mansas, que lhe queria pagar um copo e tal, enfim... conversa de boates( quer dizer ...imagino)
A gaija diz que sim mas, queria sair dali, ir pa um lugar mais.....mais...mais cómodo!
E assim foi, o comparsa 2 liga logo ao comparsa 1 e diz-lhe: épa, tenho aqui uma garina toda fina e vou sair com ela. Por acaso não te importas de ficar aí um pouco até eu chegar?
E o colega diz que não.
Comparsa 2: Olha eu depois vou-te buscar.
comparsa 1:Então a que horas?
comparsa 2: Pode ser mesmo no carro.
comparsa 1: ok!
comparsa 2:fica combinado! Venho-te buscar por volta das 5 da manhã!

aa disse...

Olá, boa tarde!
Estando o telefone sob escuta e tratando-se de dois comparsas em negócios escuros, só posso deduzir que se trata de dois comparsas com a PJ "à perna"... assim, alguns palpites, tráfico de drogas, de armas, tráfico de mulheres... pode ser tanta coisa... impera mesmo a imaginação de cada um... mas, concerteza que se trata de algo proibido, não só aos olhos da sociedade, mas também da justiça, deduzo isto pelo facto de haver telefone sob escuta...:)

PS - já respondi pelo facto de não haver postagens novas no "olhares soltos..."

Beijos,

AA

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Desafiador... Poderia sair um conto, uma crônica, um romance desse pequeno início.

Daí a mais duas horas se encontraram. A encomenda estava ansiosa para chegar às mãos do dono, que não aparecia.

Onde estava o carro? Ele não vinha. Na avenida sem movimento, nenhum rastro de que viesse. Errara o caminho? Como, se o conhecia tão bem.

Duas horas depois, toca o celular.
- Cadê você?
- Descobri que não existo...
- Então...
- Somos ficção!

tu... tu... tu...

Beijos e borboleteios

batutaemeia disse...

Não sei o que hei-de dizer. Já vi aqui tantas respostas interessantes. Acho que vou esperar pela do Gil.

o que me vier à real gana disse...

Excelentes, geniais mesmo, respostas até agora, porém nenhuma à questão formulada.
...Mais um dia de post!

JOICE WORM disse...

Eu só lembrei de uma rapidinha... hehe. Nem me toquei com os "dois comparsas". Até isso hoje em dia é muito relativo. "Em negócio escuro" deve ser para confundir.
...
Se tinhas saudades dos meus comentários, lhe digo, nada como desejar coisas simples e fáceis de conseguir, Gil. Cá estou no meu domingo de descanso a recuperar o fôlego.
Um beijo grande, amigo!

Mariazita disse...

Agradecendo as tuas visitas, venho comunicar que retornei das minhas mini-férias.
O tema deste teu post tem por finalidade pôr os neurónios da malta a funcionar, não?
Como tu sabes, melhor que ninguém, as possíveis respostas são inúmeras, todas válidas.
A que tu queres...ou seja, no que estavas a pensar ao lançar o repto...terás que ser tu a revelá-lo.
Vou limitar-me a aguardar o teu esclarecimento. Hoje é domingo, dia para descansar a cabeça...

Um domingo alegre.

Beijinhos
Mariazita

Gabi disse...

no mesmo carro... sempre!

Laurindo disse...

Sim, também me parece que as respostas podem ser várias e que só tu as conheces. Vou esperar.

Anónimo disse...

Pode ser mesmo no carro? E isso é uma hora em código?

Anónimo disse...

Protagonistas da falcatrua : Maria de Lurdes Rodrigues e Mário Nogueira.
A oferta do lugar para a negociata (carro oficial do ME)foi da Ministra. Farta de ser chateada pelos profs, seguiu a via, afinal, mais simples : corrompe o sindicalista ávido de protagonismo batendo-lhe com umas roxinhas de quinhentos e a promessa de o meter na Intersindical/CGTP tão logo o Carvalho da Silva abandone a teta, o que está pra breve. O Nogueira, que se está marimbando pró professorado, logo aqui viu uma forma airosa e proveitosa de dar de frosques. É que, além da carteira recheada e com a possibilidade de ser o patrão dos sindicatos e continuar no bem bom que o tem acompanhado ao longo dos anos, ainda cumpriu o ardente desejo de proceder a trocas amorosas com a sua amada LULU.

Anónimo disse...

Desculpem-me. Faltou o apelido no comentário anterior. O meu nome completo é Anónimo Júlio da Silva

Não gosto de anonimatos.

camionista disse...

É pá, atão como é que a gente lá chega? Não, serviços secretos e tarefas destas são areia de mais para o meu caminhão.

o que me vier à real gana disse...

Resposta:

Antes do mais, devo lembrar que muito embora se trate de um desafio, que o é, o incluí na "etiqueta brincadeira".
Ora “Pode ser mesmo no carro”, tratando-se de um localizado momento, e neste desusado código, significa uma menos um quarto. Pois, uma (menina) fulano tem, o que não tem é um quarto. Mas, qual é o problema, se no carro resulta tão bem?!... É claro que é necessária uma certa ginástica, mas… serve bem o propósito.
Sim, também aceitaria, como respostas, duas menos um quarto; três menos um quarto… Eh pá, mais não! Pr’a já, porque nem todos (mesmo no mundo dos negócios escuros) têm uma limusina; depois porque também não devemos querer ser mais papistas que o Papa!
E perguntam vocês: então e pr’a outras horas?... Há soluções para tudo, neste mundo obscuríssimo do driblar a cusquice! Talvez num próximo desafio.
E pronto, foi o que me veio à real gana!

o que me vier à real gana disse...

Bem-revindas, Joice Worm e Mariazita!

aa disse...

Bem,com esta solução é que eu não estava à espera...:-)
Haja mesmo muita imaginação para se descodificar este tipo de desafios...:-) E pensar que andei tão, mas tão longe da solução...
Bjs,

AA

Carlos Rebola disse...

...coisas do "continuum espaço-tempo" que provocam encontros à velocidade da luz.
Ninguém os apanha, ah pois não!

Abraço
Carlos Rebola