sábado, 3 de maio de 2008

Maio de 1968 - França

MAIO DE 1968 – FRANÇA


Um curtíssimo apontamento:

… O edifício tremeu forte em Maio. Não chegou a implodir, mas tremeu forte.
Foi em Maio que o edifício tremeu, porém todo o dispositivo de minagem começara bem antes… pequenas fissuras já se notavam no início do ano. Foi em Maio, no entanto, que tremeu… forte. Ninguém se furtara ao trabalho: todos, de todas as etnias, de todas as idades, de todas as classes, de todos os níveis culturais participaram na minagem…
Nunca, como em Maio de 1968, em França, o ser gregário humano mostrara tanta vontade de mudança… no paradigma social vigente.
O edifício fora minado. Não caiu mas tremeu… forte. As suas vibrações tornar-se-iam, elas próprias, na minagem das últimas ditaduras da Europa ocidental.
Vale sempre a pena!




Carlos Jesus Gil

205 comentários:

1 – 200 de 205   Mais recente›   Mais recente»
o que me vier à real gana disse...

Malta porreira, 1º comentar o post, tá?

Anónimo disse...

Grande juventude, essa!

austríaco disse...

Muito bem senhor gana. Boa homenagem. Aquele pessoal deu música ao mundo.Compuseram uma sinfonia que ainda hoje é tocada.

jornal gâniense disse...

GÂNIERRE, Gânia - Há 40 anos, estudantes ganienses engravatados atiraram pedras contra a polícia e exigiram que o duro sistema pós-coment mudasse. Hoje, a classe estudantil, preocupada com a busca por empregos e a perda de benefícios estatais, marcha pelas ruas pedindo para que nada mude. Maio de 1968 foi um divisor de águas na vida da Gânia, um momento sagrado de libertação para muitos, em que a juventude se uniu, os trabalhadores ouviram e o governo semi-real do general De Realgania se assustou.Os eventos ou movimentos de 40 anos atrás começaram em julho, na Universidade de Gânierre, fora de Gânia, onde um jovem gâniense Gastão Salsinha liderou as manifestações contra as regras que proibiam que homens e mulheres dividissem os comentários. Quando a instituição foi fechada nos finais de Abril, a revolta se espalhou pelo centro de Gânia, até Realga, onde os estudantes da elite protestaram contra regras antiquadas da universidade, e posteriormente os trabalhadores em grandes fábricas.

Zíngaro disse...

Não conheço muito deste Maiode 1968mas penso que terá sido, até um certo ponto, uma embrião do nosso Abril de 1974. Sei que houveram barricadas e manifestações em Paris mas não me ocorre muito mais.

s.s. disse...

Essa rapaziada do Maio de 68, de certeza que só teve boas intenções.
Queriam mudar a sociedade, coiso e tal, e tiveram o grande mérito de o consegur. Só que muitos deles, principalmente os que tiveram filhos, arrependeram-se de certeza absoluta.

o que me vier à real gana disse...

anónimo das 22:56, sim, grande juventude essa,mas não só. Foi um fenómeno que envolveu todas as classes etárias!; muito bem, sr, austriaco!; jornal gâniense, de volta à edição! Força!; penso que sim, zíngaro!; s.s., "mudam-se os tempos, mudam-se as vontades"!

Mirtota disse...

Não esquecer que o Maio de 68, deu origem ao Maio de 69 em Portugal, aquando da visita do Sr. Marcelo Caetano os estudantes se recusaram a deitar as capas no chão (entre outras coisas), como era tradição.

Mirtota disse...

Os nossos estudantes foram mais discretos, ao contrario da Pide e da GNR (a cavalo). A questão era mais abrangente, do que a manifestação francesa (tambem contra o regime e principalmente contra a guerra colonial. Mas uma coisa é certa, o MAio de 68 foi seu grande impilsionador.

errante disse...

Eu fui um desses iconfomados. Brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

ZMB disse...

Conheço muito pouco (é muito, conheço zero) da história francesa, para além de uns pouquíssimos nomes e ainda menos datas. O meu comentário a este assunto não será, portanto, útil aos propósitos da Documentação Ganesa. Obviamente que pesquisar no Google não vale, e nem falo no copiar e colar que já mecanizaram amiúde, mas devo ser dos poucos que nunca ouviu falar, confesso.
Consigo, no entanto, guardar três ou quatro ilações (ou asneiras) para mais tarde pesquisar (talvez, quem sabe!), são elas:
Aconteceu alguma coisa em França antes do “Summer of 69” do Brian Adams;
Alguma coisa estava mal, para tanta gente querer intervir e mudar, o quê não sei, mas para que absolutamente todos participassem nas ‘minagens’, então talvez o(s) visado(s) não fosse(m) humanos;
Pode haver uma explicação para o edifício ter tremido em Maio, é que como sabemos, existe o provérbio “Abril águas mil”, que de alguma forma se pode ter excedido nesse ano, provocando descomunais aluimentos, que com o tempo geraram grave descompensação nas fundações dos edifícios;
Finalmente, que o edifício retratado tremeu, tremeu mas não caiu, o que pode servir de base a diversas interpretações. Por exemplo; uma ocorrência trágica quantificada por Ritcher; uma exploração mineira com rebentamentos mal calculados; um qualquer teste nuclear com detonações em locais absolutamente proibitivos; ou, ainda, culpa do construtor do edifício que, na altura da betonagem, não soube prever que daí a uns quantos anos daria jeito que aquele edifício não fosse assim tão resistente quanto ele o edificara.
Desconfio que não seja nenhuma destas.

liliana disse...

Sim, mirtota. O maio de 68 abriu caminho a muitas manisfestaçoes sociais. Tens razão, tb aqui em portugal isso e fez sentir.

liliana disse...

Sr.(a) zmb, gostei muito. A abodagem humorística está bem consegida.

Darwin disse...

Em Maio de 1968 a França viveu o maior período de agitação social desde a Revolução Francesa.
Foi nesta data que se iniciou o período de contestação estudantil e social conhecido como Maio de 68. Existia todo um mal-estar profundo no seio dos estudantes franceses, iniciado em Março com algumas agitações.
Os estudantes ocupam, depois, a Universidade da Sorbonne. Geram-se tumultos e focos de tensão, a violência, com a famosa "noite das barricadas" com carros em chamas. O protesto dos estudantes da Sorbonne foi o maior movimento contestatário não organizado que há memória na Europa a massa estudantil ocupa vários teatros e outros edificios.
O conflito alarga-se, porém, ao sector social, com manifestações espontâneas nesse mesmo dia, acompanhadas de greves que paralisaram mais de 10 milhões de trabalhadores em França.
Trabalhadores que gritavam: «A Sorbonne para os estudantes» e os estudantes respondiam: «As fábricas aos trabalhadores!» numa solidariedade nunca vista.
A partir daqui o ano de 1968, foi o ano de contestação até ao seu final.
Em Maio de 1968, em Portugal, foi um ano de transição. Salazar cai da cadeira e Marcelo Caetano toma as rédeas do poder. Toda a comunidade estudantil se sentiu traída, porque depositavam alguma esperança em Marcelo.
Nessa altura era muito jovem, estava a iniciar o liceu, quando as noticias nos chegavam de França através de jornais, eram gota a gota e censuradas.
A partir desta data tudo mudou, começa a contestação a todas as guerras; os direitos dos trabalhadores; a universidade sem classes; a libertação feminina; a liberdade de expressão e a luta pela democracia. Ainda me lembro das palavras escritas a graffiti no muro do liceu onde estudava: “O pessimismo é uma merda. Mexe-te. Muda a vida!”
Joan Baez, Bob Dylan, Jim Morrison, José Afonso, José Mário Branco e outros, marcaram-nos os dias.
É por isso, que ainda hoje tenho este espírito contestatário, e ponto final.
Obrigado amigo Gana, por me lembrares este dia. Muito mais haveria para contar, mas não quero ser exaustivo.

o abelhudo disse...

Já me tiham dito, isto aqui é pó movimenado. E em havido prá í mas lutazias interessanes. O maio de 68 tb se traduziu em lutas mas por causas justas. Está bom, muito bom mesmo. acho que vou voltar, nem que seja com outro nick.

liliana disse...

Gostei muito da lição do r. Darwin. Parabéns.

O verdadeiro anónimo disse...

Esta coisa da contestação é sempre a mesma coisa. Começa sempre por estudantes, alguns deles mais preocupados em gastar o dinheirito aos pais, do que em estudar. É precisamente como cá, em que os que estão bem procuram agitar os outros, sempre sob a batuta dos comunas.
A melhor maneira de viver é em ditadura, porque quem não se portar bem leva nos cornos e assim é que deveria ser.O povo quer trabalhar, quer comer e qualquer dia não tem nada.
Lutemos para que venha um outro salazar, pois só assim Portugal se livra destes democrats oportunistas
que sé se têm governado com a politica.
Viva Salazar
Lá vamos cantando e rindo .......

mafaldaacontestatária disse...

Que engraçado eu também li a revista do JN de hoje!!! Mr. Darwin, só que não me apeteceu passar o artigo para o computador. tem aqui um resumo para nota positiva.E vale para informar os ganitas mais novos.
Só Faltou acrescentar a palavra de ordem É PROIBIDO PROIBIR !

Mirtota disse...

Tenho esperanças que, o Sr. Verdadeiro Anónimo, tenha feito este comentário apenas com o intuito atiçar os vários visitantes deste blog e incentivar os comentários, e não para dar urras a uma ditadura de repressão.
Assim sendo, não posso ler e calar.
Decididamente não posso concordar minimamente com o comentário, primeiro porque se não tivessem os estudantes iniciado a contestação, que de alguma forma impulsionou o movimento dos Capitães, o Sr. Verdadeiro Anónimo não teria, agora, este espaço aberto onde pode escrever o que lhe vier á real gana, de forma tão aberta, apesar da posição que defende. Segundo: hoje tem cuidados de saúde gratuitos (paga apenas taxa moderadora), graças a um Sr. António Arnaut que criou o Sistema Nacional de Saúde, que apesar dos vários defeitos que não para aqui chamados agora, é um dos melhores sistemas de saúde mundiais; Tem ensino gratuito, pelo menos o obrigatório; Tem uma rede de acessos (transportes, estradas, etc) eficaz; e por ai fora, que não quero estar a dar seca a ninguém.
Portanto, tudo o que mencionei acima decerto que faz uso deles, ou não?!!!!
Se o que diz no seu comentário é sentido, tenha santa paciência e não diga disparates que só lhe fica mal.

João Cara de José disse...

Maio de 68
Havia tanto para dizer sobre o Maio de 68!!! Havia, mas já não há!
Ao ler o post do ilustre Real Gana, aquela coisa do edíficio e da minagem provocou-me logo um recital de sinos no meu atormentado cérebro. Já às com o corpo do texto meio alinhavado por entre os poucos neurónios que me restam, preparo-me para comentar e…eis que verifico já ter o desmancha-prazeres do camarada ZMB tomado a dianteira. Mais cambalhota, menos cambalhota, era por aí que andaria às voltas. Ainda por cima, fê-lo, o ZMB, de maneira tão brilhante que não me deixou nenhum espaço de manobra. Portanto, sobre o Maio de 68 já não me pronuncio. Pronuncio-me, isso sim - embora incorrendo em grave pena à luz das leis vigentes na Real Gania - sobre o Maio de 2008. Mês e ano em que prometo ao camarada ZMB, despejar-lhe, à falsa fé, um frasco inteirinho de laxante, numa daquelas cervejas malucas que ele bebe. Acaso não se recorde, sr. ZMB, e ainda que o não conheça, deixou aqui nestas páginas densa informação – pessoal e de hábitos - para que possa perpetrar o prometido acto sobre a sua pessoa, sem correr o risco de errar o alvo. Aguarde, portanto.

f.r. disse...

O Maio de 68 foi um movimento que, embora nascido em França, teve repercussões a nível mundial, e não tem paralelo na História Universal. Não cabe aqui, num curto espaço, uma descrição que lhe faça justiça, nem tenho qualquer pretensão de estar á altura de o comentar.Penso que será bastante difícil à juventude actual imaginar como era a sociedade antes deste movimento que levantou bem alto as bandeiras da liberdade, da igualdade, da solidariedade, do inconformismo, dairreverência,etc. Sendo que, como diz o poeta," todo o mundo é composto de mudança ", e diz o povo, com sabedoria, " não há bela sem senão ", naturalmente continua a haver descontentanento. Qualquer dia outros virão que pretendam concertar o desconcerto advindo do Maio de 68. É a vida!

O verdadeiro anónimo disse...

A SRª mirtota deve ler muita banda desenhada. Onde está a saúde gratuíta? Isso é um chavão minha senhora, na prática não é assim que funciona, porque quem não tiver dinheiro, não se safa. Onde é que tem andado. Provavelmente fala assim porque deve ser funcionária pública e aí sim tem razão, porque esses são privilegiados.

Mirtota disse...

Sr. Verdadeiro Anónimo,
Só tem isso para apontar?
Peço desculpa pela franqueza, mas mais parece que é daquelas, poucas, pessoas que perdeu muito com a queda do regime, e que como simpatizantes da ditadura, foram ostracizadas pelas mesmas pessoas que perseguiram.
Em relação ao SNS, eu referi que tem defeitos, mas mesmo assim se recorrer a ele, ninguém lhe nega assistência (apesar, ás vezes, das demoras, que se quiser posso até lhe explicar porque acontecem), pois ela é gratuita, isso graças á salvaguarda feita pela constituição após o 25 de Abril.

P.S. Se se acha tão valente, e com razão porque não dá a cara e sai do anonimato?

Zíngaro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zíngaro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zíngaro disse...

Mais concretamante ao despacho ministerial de 20/7/78, Mirtota. A universalidade do SNS é única. Consta-se que nos EUA há pessoas a morrerem à míngua de cuidados de saúde por não terem US$ para pagar. O Verdadeiro anónimo que vá dar (por lá) uma curva ou então que regresse sózinho ao salazarismo e à guerra colonial.

Mirtota disse...

Obrigado Zingaro, alguem que dê valor às coisas que realmente merecem.

chapuisat disse...

Paris, Maio 1968, grande exemplo ali ocorreu. Como já alguns referiram, terá sido uma espécie de embrião do nosso Abril 1974, sem dúvida que sim, - grandes rapazes, grande exemplo ali foi dado. Permita-me, no entanto, Amigo Gana, expressar a minha opinião no sentido em que me parece que com o seu post estará de alguma forma a condicionar a abordagem ao assunto. É claro que o edifício não ruiu, mas é obvio que daí em diante muito mudou na forma como os edifícios seguintes seriam construídos. Sem dúvida nenhuma, o objectivo fora conseguido, plenamente.
Vamos ver (eu já estou à espera há algum tempo) quanto tempo mais precisaremos para que semelhantes aceontecimentos se repitam, de forma a fazer frente à actual e crescente crise social e de valores que se tem enraizado desde os primórdios da Democracia. – Note-se, não discordo do regime democrático, mas sem dúvida que precisa de muitas mudanças para ser considerado o regime ideal.
Parabéns à FR e a(o) Mirtota pelos excelentes comentários, adorei le-los.
Já ao ZMB, meu amigo, se não sabe porque não fala doutras coisas? Seria melhor…


Ao Amigo Paulo Bento (Onde é que se meteu?):

Ora aqui está, o exemplo de um juiz isento: mesmo com o Gana (árbitro) do seu lado, o Chapuisat leva 6 secos na pá, vitória do Paulo Bento . Ora vêem? Nem se esperava outra coisa, pois o Chapuisat estava o tempo todo com os olhos postos ora no palco ora nas tasquinhas… esperar o quê?

Tengo que referir que o Gana foi isento (mais isento não podia ser) porque, literalmente, não apareceu para arbitrar o desafio… tivemos que gerir o grandioso mano-a-mano com fair-play. Há quem diga que ele se esqueceu do compromisso por ter ido assistir a hands on approach e esteve o concerto todo convencido de que estava a ver/ouvir o duo ele e ela – se calhar foi melhor assim, ele era capaz de não ir arbitrar com grande rigor.

O verdadeiro anónimo disse...

O sr. zingaro como também come à custa da democracia, faz a sua apoligia. Quanto a mirtota não é preciso dar a cara. Quem é a senhora? Não dá para ver a sua cara,portanto também não dá a cara.
Mais uma vez afirmo que vocês defendem tanto a democracia, porque são privilegiados.

Mirtota disse...

Nós? E o Sr. Verdadeiro Anónimo não? Se não fosse a democracia o Sr. poderia manifestar-se aqui?
Privilegiados!!!? Em que sentido? Tenho os mesmos direitos e deveres que todos os cidadãos, trabalho e pago os meus impostos.

O Verdadeiro anónimo disse...

Senhora mirtota!
O que interessa as pessoas terem liberdade para dizer o que lhes vai na real gana se não têm dinheiro para comer, pagar as suas casas e almejar possuir bens que lhes têm sido sonegados ao longo destes pesarosos anos pós 25 Abril.O meu objectivo é através deste blog minar a democracia, para preparar o caminho a alguém que ponha ordem no país. Já falta pouco! Até lá

Lá vamos cantando e rindo ....

Mirtota disse...

"...Levados levados sim..."
Também conheço o Hino.
Tudo é mais facil quando não se tem de tomar decisões, sempre podemos pôr as culpas nos outros quando os ventos não são de feição.
Não insisto mais com o Sr. Verdadeiro Anónimo

O Vizinho do lado do verdadeiro anónimo disse...

O movimento originado pelo Maio de 68 anunciava o estertor das ditaduras da Europa ocidental, como bem refere o post. Portugal em 1974, Espanha em 75 e Grécia em 76 vieram a experimentar as suas ondas de choque. Infelizmente o idealismo que lhe estava associado foi-se desvanecendo com o correr dos tempos, dando lugar a outra ditadura, subtilmente beneficiária do poder político - a ditadura do capital. Novas polícias de costumes surgiram, e até neste blog se sente a sua presença. Refiro-me concretamente ao sr. Chapuisat, com o seu nome a azul, sugerindo semelhanças cromáticas com lápis que se usavam noutros tempos.

zmb disse...

Então digníssimo Joãocaradejosé, o meu amigo acha mesmo que à compal que os eus têm bebido vai ser preciso laxante? Arranje-me aí, isso sim, alguma coisa para acalmar que isto não está nada fácil não senhor.
Pois, de facto, tenho deixado por aqui muitas impressões digitais, é verdade. Mas não faz mal, logo que não me confundam com guerrilheiros de facções extremistas…, até seria capaz de me manifestar bom anfitrião e receber com gosto outros conterrâneos Ganêses em minha casa (tudo desde que não venham munidos de compal). E a verdade é que não é nada de muito difícil, aliás até pelo contrário, errar o alvo, tá fácil de ver que a minha habitação é mesmo aquela em que falta um muro, um cão, um relvado uma sebe e um sinal de trânsito ao pé… não há muitas assim, devo concluir. Mas digníssimo Joãocaradejosé, se não for muito incómodo, podia dar-me aí uma mãozinha a reencontrar estes elementos desaparecidos desde o 1º de Maio, estou mesmo necessitado deles, principalmente da sebe. Depois então, faça lá sua investida.

Sabe o que a sua afirmação me fez lembrar? Aquela anedota do inferno inglês, francês e português. Conhece?

o verdadeiro anónimo disse...

Senhora Mirtota antevejo a sua adesão ao nosso movimento ANUS ( Anónimos Nacionalistas Unidos por Salazar ). Carecemos de pessoal do seu calibre.

João Cara de José disse...

Não conheço a anedota dos infernos, ilustre ZMB. Se quiser ter a fineza de a contar...
Meu amigo, desculpe lá aquilo de há bocado, foi do choque. Esqueça o frasco do laxante, vai ser só...1/2 frasco.

o crispim disse...

Gastããããããoooooooooooooooo!!!!!!!!
Etás à espera do Maio de 20068????

ZMB disse...

A anedota dos infernos é velhinha, mas pronto eu conto, para toda a gente:

Três amigos (Frederico, Manuel e Sebastião) morreram, e, após o julgamento final, ficam a saber que irão todos para o inferno.
São-lhes dadas 3 hipóteses, o inferno francês, o inferno inglês e o inferno português.

Cada inferno tem a sua tortura, no francês come-se alho até à eternidade, no inglês ouve-se humor inglês até à eternidade, e no português leva-se com baldes de merda em cima até à eternidade.

O Frederico escolhe o inferno inglês, pois detesta alho e levar com baldadas de merda está fora de questão;

O Sebastião escolhe o inferno francês, também por exclusão de partes;

O Manel, depois de ouvir os argumentos dos dois amigos, decide-se pelo inferno português…

E lá vão eles, cada um para o seu inferno, para uma eternidade de tortura e sofrimento.

Ao fim de 400 anos, é-lhes concedido um dia de descanso para poderem visitar os amigos, e então Frederico, Manuel e Sebastião voltam a encontrar-se e questionam-se entre eles sobre como cada um está a lidar com o seu inferno.

Diz o Frederico, “Eh pa, já não posso ouvir mais aquele benny hill e outros que tal a falar. Estou farto, farto, farto, farto!!!”;

O Sebastião: “Então e eu? Olha para isto…” – e solta uma baforada com um horrível cheiro a alho – “… achas que isto é melhor que ouvir sempre as mesmas piadas?!?”;

Então os dois viram-se para o Manel, com ar trocista… “E tu, pá? Como é o teu inferno? Deve ser só merda, né?”

E o Manel: “Naaa… aquilo não é assim tão mau como parece…”.

“Não é? Como não é?” – perguntam o Sebastião e o Frederico, ao que o Manel responde:

“Então, ou não há balde, ou não há merda, ou não há quem a atire… estamos bem assim!”

gastão salsinha disse...

crispim!(pronto) estou de volta, mas tenho más noticias, ficamos sem flover, por enquanto. desta vez vamos usar outro tipo de armamento, ta? tenho aqui uma saca com costelas e outra com fundas e já mandei fazer uma palma ao taralhada, não há escapatória possivel, vamos armadilhar o terreno com as costelas armadas.ficas com uma funda e um balde de pedregulho para o que der e vier. a palma, assim que estiver pronta, vou entrega-la ao karateca, que tem imenso jeito pra coisa. aguarda!

f.r. disse...

ZMB,não conhecia a anedota, mas é daquelas que faz bem ao ego. Pobrezitos mas damos a volta por cima.

João Cara de José disse...

Ora aqui temos uma anedota de m...que não conhecia.
Está engraçada, sim senhor. Espero bem ter sido só a questão do laxante a tê-la desencantado, aí nos armazéns da sua memória. Porque o amigo ZMB há-de ter percebido, espero bem, que com o meu comentário lhe estava apenas fazendo uma justa vénia. Ou não ?

o crispim disse...

Amigo Gastão fico feliz por te ter de volta. Temos que preparar uma guerra aos intelectuais que não nos deixam manifestar. Vai ser um arraial de pedrada que em Maio de 20068 ainda estão a apanhar com elas no lombo.

Darwin disse...

De facto é assim Mirota, há coisas no meu post que vem no DN, há outras que não vêem. Como disse na altura tinha 11 anos, vivi, embora à margem, todos estes momentos, mas não se pode exigir a ninguém tanta capacidade de memória. Também tive o cuidado de dizer que as noticias que nos chegavam, vinham censuradas.
Faltou-me ainda dizer que o liceu onde estudei, foi o primeiro liceu a ter Associação de Estudantes no país, eleita em Junho de 1968. Mas isso pouco importa, entenda como quiser!

Olho vivo disse...

Ó darwin olhe que não foi a Mitorta, foi a Mafalda.

pescador do alto disse...

é rapaziáda atão já cumessou a rablussão? é massos num savia de náda e tênhu tido o mê rádio abariádo, ólhim lá ajudêm aqi o pescadore quim é que tem rezão é a mitorta ó o bardadeiro antóino? é pá é quê tamém me lenvro pôco dese salasar éra cachupito mas ólhim queste tempo du sógras num é melhore e á maltiha a paçar fóme de vicho pá. agente aqui inda se bai safando cumas sardenhitas e mas batatitas de fóra ca gente sameia nus prasos mas agóra a maltinha das sedades? muntos bão ó licho massos á précura dalgum réstito num axam quisto é bida de cão? os massos do goberno é que safam as caldirádas enxapussamsse e num qerem saver du résto.eu inté se me cardam us cavelos dus brassos a pinsar niso, axo que num á dirêito, tôda agente habia de puder biber vem. se éssa malta fês ma rablussão fês vem e o pescadore tá cu eles. ê cá gósto de mangár mas cando falo a séiro num tô a vrincar. ê num te dise massito, bái aber ôtro binte e sinco de avril.
é gastiha salsão atão os páneiros e a bara nobinha i fôlha quê timprestei?

moimême disse...

Pois sr. Gana, sobre o assunto postado pareceu-me, pelo que li, só posso dizer que o Maio de 68 está para a sociedade dos nossos dias como o Big Bang para o surgimento do Universo.
Agradeço-lhe muito por me dar a oportunidade de aumentar os meus parcos conhecimentos. É por isso que gosto do seu blog, e, mesmo sem o conhecer, nutro uma grande estima por si. Bem haja.

moimême disse...

Sr. Darwin, deixe-os falar. É com pessoas como o amigo que quem não sabe, tais como eu, ainda vão aprendendo alguma coisa. E o sr. é generoso. Faz o favor de dividir connosco os seus ( acho que grandes )conhecimentos. O sr. é dos que fazem cá muita falta. Eu leio com muito gosto tudo o que escreve.

Anónimo disse...

o moimême nota-se que é uma pessoa com estilo.

O Karateca da Marateca disse...

Nota-se que o anónimo da 1.02 é uma pessoa que nota que o moimême é uma pessoa com estilo.

ZMB disse...

Percebi, sim, a sua boa disposição, digníssimo Joãocaradejosé, como aliás é seu apanágio. Gosto de ler quase toda a gente na Gania, mas escritos com classe, bem escritos, e com humor, há poucos, com pena minha.
Sim, acho que anedota escorreu-se-me à memória derivado do assunto laxante, nem sei, talvez um pouco devido ao termo “despejar”, também… Sei lá, é daquelas coisitas que temos quando não sabemos o que temos…

Anónimo disse...

nota-se pela maneira como ecreve, que o moimême é uma pessoa muito simpática, de pele escura, carapinha e braços compridos, mas um tanto ou quanto envergonhado, mas mesmo assim muito giro.

moimême disse...

Sr. Karateka cada um tem o seu estilo. O meu é de pouca importância mas é o meu e tenho de viver com ele. Obrigado por me ter notado. Tenho pena de não saber mais mas olhe que a culpa tambem não é minha. Eu pelo menos esforço-me.

ZMB disse...

Seria melhor... o quê amigo Chapuissat?

Fazer alguma colagem de um artigo qualquer, ou falar de outras coisas mesmo? O senhor e outros ainda não perceberam a aversão que tenho à falta de originalidade ou, pior, ao recurso a outras fontes para colmatar essa falta, portanto não me venha dizer que, por perceber muito de tudo e mais alguma coisa, os outros também têm que perceber.

Tal está esta porra...

O Karateca da Marateca disse...

Nota-se que o moimême não notou quem é que tinha notado que o moimême era uma pessoa com estilo

moimême disse...

ó sr. anónimo muito obrigado, mas se for macho dispenço os seus elogios.

Anónimo disse...

fui eu

moimême disse...

Vocês se calhar o que agora querem é guerra, mas comigo não. Por hoje não vou responder a mais nimgem. Razão teve um que outro dia para aí disse que o pessoal da noite é mais dado ao ataque. Boa noite.

Anónimo disse...

sou macho mas a verdade é para se dizer

Anónimo disse...

sr. moimême, hoje especialmente gostei dos seus sapatos.

Anónimo disse...

Não sei bem porquê mas o ZMB agora soou-me a Gana.

Anónimo disse...

ora aí está!

Anónimo disse...

A mim soou-me ao João cara doutro. Eu acho é que são a mesma pessoa, e não devo estar muito enganado.

Anónimo disse...

eu já te tinha dito isso.

Anónimo disse...

Gosto do turno da noite. Ninguém chateia, não nos obrigam a comentar o post, está tudo mais calmo e podemos assim discorrer saborosamente sobre o que nos vem à realgana. Eu pessoalmente sou adepto de uma boa discorrência. Então regada com uma boa pinguita, ui, ui, é de estalo. Se estiver por aí alguém, discorramos qu'inda a noite é uma criança.

O Karateca da Marateca disse...

Nota-se que os srs. anónimos não têm mais que fazer.

Anónimo disse...

O que raio é isso de discorrer?

O Karateca da Marateca disse...

Se é para discorrer eu propunha talvez que se discorresse sobre o transhumanismo em Maio de 68, mais exactamente no dia do trabalhador.

Anónimo disse...

É mesmo para d'zer? correr.

O Karateca da Marateca disse...

Já me estou a discorrer pelas pernas abaixo e mais ninguém discorre nada.

Anónimo disse...

O sr. Karateca pertence ao club? Não? Então não se meta na conversa alheia. Se quiser intrometer-se, pode adeir ao Movimento dos Anónimos sem Nome ( MAN ). Portanto se for " man " « astreva-se » como diria o do Alto.

O Karateca da Marateca disse...

Tá certo. Discorram sozinhos. Até amanhã.

Anónimo disse...

Eu voto a favor do discorrer, colega anónimo. O Gana tem para aí um post que diz " dispamo-nos à bonança ", eu sugiro : Diz corramos à noitança.

Anónimo disse...

Olha o karateca acobardou-se e deu à sola. Sempre era mais um a pagar as quotas.

O Karateca da Marateca disse...

Ah e já agora, já que isto é só vosso, vão bardamerda.

Anónimo disse...

Meu amigo anónimo, por falar em quotas, se eu quiser trazer as minhas em dia, tenho que trabalhar, para trabalhar tenho que dormir, para dormir tem que ser na cama ( de preferência de companhia ), e por isso tudo e mais alguma coisa que me esqueceu, também vou levar os sapatos a casa. Boa noite aos resistentes.

Anónimo disse...

Ai ele é isso ó Marateca? Pois perdeste uma grande oportunidade de pertencer cá ao clube dos " man". Agora nem com cota nem sem o outro que não digo o nome.

Anónimo disse...

É pá essa tanbem não percebi' Mas não dizes o nome de quem?

Anónimo disse...

Arre porra,vamos parar com isto que amanhã o Daruin começa logo a chagar-nos o juízo. Parece que já o estou a ouvir - é só piadolas de mau gosto, etc etc. Tambem vou arrumar as botas. Até amanhã pessoal anónjmo.

Anónimo disse...

É camarada anónimo das 2:03, em que terra é que tu vives? Se for na minha percebes bem, se não for, paciência ficas na mesma sem perceber.

Manuel disse...

mirtota, tens razão. O verdadeiro anónimo está muito por fora. Informe-se.

Darwin disse...

Peço desculpa Mirota, estava a ler um post seu e troquei o seu nick com a Mafalda.
Obrigado olho vivo.
Já agora para esclarecer a Mafalda, no dia 2 na RTP 2, o professor catedrático e historiador Rui Ramos falou sobre este assunto, as palavras que prenunciou foram idênticas às escritas no JN, com as mesmas palavras de ordem. Isto é história não há outra forma de a contar. Admito que tenho falta de originalidade, humor então nem com 10 doses de humorix por dia, mas nem todos podemos ter as mesmas capacidades, além disso, uma das minhas características é ser humilde.
Não acredito que venham aqui postar assuntos históricos, sem uma colagem de pequenos fragmentos reunidos de outros saberes. Olhem que eu ando nestas andanças há algum tempo (se calhar há tempo demais, mas pronto).

Obrigado pelas suas palavras Moimême. Ao longo dos anos desenvolvi uma espécie de casulo de palavras e frases que me permite estar bem comigo. Eu sei que este exercício, mistura entre trapézio, arame e trampolim sem rede, pode um dia destes ditar a morte de um artista que nunca o chegou a ser, mas mesmo assim insisto em esconder a timidez num muro de palavras, tantas vezes sem sentido, outras tantas com sentido nenhum.
O esquema que desenvolvi, não patrocinado por qualquer bebida, permite-me ainda assim parecer aos olhos dos outros algo que não sou, nem quero ser!
Um dos meus pequenos prazeres é pagar um café com uma moeda de 1 euro do rei João Carlos, e receber em troco uma moeda de 50 cêntimos com a efígie de Cervantes, é algo deveras agradável.
Não simpatizo com a monarquia. Viva a literatura!

Dr. House disse...

Meu caro sir Darwin, o meu amigo é full de contrasensos. primeiro confunde o nick da mafalda com o de outra, depois diz que leu o DN quando de facto se trata do JN a páginas tantas,
já retirou a sua informação de um programa televisivo.
Acho que o Blog lhe anda a criar uma certa confusão mental. E que tal parar por um curto periodo de tempo?
É só uma questão de por as ideias no lugar. Sim, porque a sua presença aqui é necessária.mas por agora acho-o um bocado confuso. Patologia essa que o pode levar a uma depressão grave.

Darwin disse...

Vivemos tempos de crise. São tempos difíceis, disso ninguém tem dúvidas.
Mas nunca a traição a nós próprios, traição ao que nos foi deixado em herança, traição aos nossos valores de independência e de liberdade, traição ao nosso sentido de dignidade.
No entanto, alguns senhores (tipo verdadeiro anónimo) mais ingénuos (coitados!) acreditam que a ditadura fascista, nos vai resolver os problemas sociais e, vai daí, passaram a ter o Pensamento Contra-Revolucionário, como livro de cabeceira, à cautela e para não fazerem figura de urso.
Por desfastio, ou por causa das insónias, até há muitos que acabam por ler umas páginas deste livro e passaram a citá-lo. A despropósito de tudo!
Por isso Mirota, com rapaziada desta, será melhor distancia. Dar-lhes pouca 'cunfia'? Aqui a rapaziada do Litoral, gente de trabalho e habituada a lutar contra adversidades, já está um bocado cansada dessa gente que se diz salazarista.

Darwin disse...

Caro senhor Hause,

Estive para não lhe responder e deixá-lo a falar sozinho, mas a minha educação não mo permite.
De facto há um erro no meu post das 0:28, em vez de JN, escrevi DN. A partir de agora, prometo-lhe que vou fazer um esforço, para que não volte a acontecer.
Agora diga-me: Onde é que está escrito, que me baseei em alguma coisa, para escrever o meu texto.
Não entender o que os outros escrevem. Sinceramente é frustrante e preocupante.
Quanto ao restante, deve estar a confundir cena cómica com animação!
Faço votos para que se tranquilize, pois eu voltarei sempre que entender.

Porque será ? disse...

Eu ponho a cabeça de fora e levo porrada;
Tu pões a cabeça de fora e levas porrada;
Ele dá-te porrada por eu e tu pormos a cabeça de fora.
Nós pomos a cabeça de fora e levamos porrada;
Vós pondes a cabeça de fora e levais porrada.
Eles dão-nos porrada de qualquer maneira, semeiam a confusão e criam blogues parasitários que se alimentam deste.
Eles são espertos.

o que me vier à real gana disse...

Meus amigos, dei,em sprint, uma olhadela pelos comentários de ontem e de hoje. Não houve tempo para mais (ontem fui tocar; hoje estou no outro ofício). Todavia,parece-me que as coisas estão mais serenas e construtivas. Muito gostaria de ter participado, ontem, no vosso debate/tertúlia!...
Obrigado por terem cuidado bem desta república!

Anónimo disse...

O sr. Darwin ainda não compreendeu que o Verdadeiro Anónimo só anda a gozar com toda a gente? Ai então e o tal movimento ANUS ? Também existe não? O sr. leva tudo muito a sério...

Darwin disse...

Sr. Anónimo, também estava a brincar!... Sei bem que o movimento ANUS não existe.
Estava só a ripostar a frase: O meu objectivo é através deste blog minar a democracia, para preparar o caminho a alguém que ponha ordem no país. Já falta pouco!
Posso fazer o contrário disto, não posso? Obrigado!

Anónimo disse...

Tudo muito bem, mas eu nunca levaria a sério alguém que se diz membro de um movimento chamado ANUS. A princípio também fiquei surpreendido por alguém defender ainda a ditadura, mas assim que fui lendo e analisando, quer me parecer que o sr. verdadeiro anónimo é mais um brincalhão que deu à costa aqui na Gânia.

Outro anónimo disse...

O Verdadeiro Anónimo defende a ditadura porque esse é o único sistema que permite viver em paz e sem oportunismos. Estou com ele, venha um novo Salazar. Acabe-se com o oportunismo dos partidos. Os partidos é que são as verdadeiras ditaduras, escolhem quem tu hás-de escolher. Liberdade ? Democracia ? Tá bem, tá.

Anónimo disse...

Bem, afinal o meu comentário foi extemporâneo. Há gente a clamar pela ditadura. Há gostos para tudo, mas esse não o gabo a ninguém.

joseterra disse...

ok. agora percebo!

Anónimo disse...

percebes o quÊ?

mélita disse...

Para quem gostar de slogans, as obras sobre o Maio de 68 são pródigas.

Anónimo disse...

Revolucionário Real Gana

Humildemente me curvo perante a escolha que fez no que respeita ao tema em debate.

A questão dos direitos humanos em França (La Belle France) sempre se tornou paradigmática para outros povos, e, particularmente para nós, lusos, que sempre seguimos, a partir do famoso hexágono, os essenciais procedimentos para evoluirmos como nação livre e democrática. O Universal conceito de "Liberté, Fraternité, Égalité", utópico bem sei, mas incomparavelmente belo, tem sido o radical pressecutório de imensas mudanças políticas no Mundo a partir da Revolução Francesa. Como alguns cocomentadores já referiram, não foi por acaso que, em Portugal, surgiram imediatamente a seguir ao Maio de 68, a Crise Académica e até a Revolução dos Cravos. Também não foi por acaso, que milhares de antifascistas portugueses escolheram França, para a partir dali, combaterem a ditadura do Estado Novo, influenciando politicamente os que cá ficaram e manifestando junto de políticos de nações livres a sua preocupação pelo rumo dos acontecimentos na sua pátria querida.

E sobre política, Estimado Amigo, não mais a minha boca expelirá qualquer outra opinião (salvo humilde sugestão que mais abaixo lhe deixo...). Fiz este acrescento aos esclarecidos comentários já gizados, porque a isso o Revolucionário Amigo me obrigou commentaire obligé).

Politix foi medicamento que sempre me causou flatulência, por isso, há vários anos que não faz parte da minha farmácia. Desculpar-me-á o Amigo, este meu considerando, mas prefiro ser útil à sociedade onde me insiro, por vias mais nobres e transparentes.
Por tal motivo, apesar de infinitamente honrado me sentir pelo convite que me endereçou, declino completamente tal possibilidade. Quanto muito, aceitaria de bom grado, um lugarzinho de adido cultural junto de uma interessante embaixada da sua Gânia, mas só porque me liga ao Faustoso Amigo uma sólida e indestrutível estima e uma sentida e imesurável admiração. Olhe, se me obsequiar com tal honroso cargo, permita-me escolher, como meu 1º Secretário, o Amigo e Leal Sr. Botas, coitadita e pura Alma de Deus, tão carecido de conhecimetos de índole cultural. Gostaria muito de o ajudar, porque se me afigura como bom popular, com ânsias de aquisição de mais vastos conhecimentos.

Se realmente quer formar governo, sempre lhe digo que tem aí muita gente ministeriável e sendo esta uma República Humorística, sem pretensões excessivas, atrever-me-ia a propôr-lhe que convidasse o Caríssimo Cara de José a encetar os necessários contactos. Veria que o Ilustre JJ não o defraudaria.

Já agora Amigo Gana, quem caíu no caldeirão do Humorix quando catraio, foi ele, não fui eu.

Requitado Amigo, saudações...

branco das neves disse...

Ó Sr. Gana

Já viu que também caí esta esparrela do Anonimato?

O Anónimo acima, sou eu, valha-me Deus.

As minhas desculpas sem anonimato.

João Água disse...

Nota-se que o Joséterra é uma pessoa que conseguiu hoje colocar o nomezinho a azul, depois de várias tentativas pois ainda à tarde não sabia como. Parabéns amigo José Terra.

Dr. House disse...

Mr. Darwin,
Já passaram pelo meu consultório indivíduos que apresentam patologias muito idênticas à sua. Mas sinceramente e depois de uma análise muito breve aos seus comentários, posso concluir que provavelmente o meu amigo pode sofrer de doença bipolar.Pois tanto apresenta uns escritos com humor eufórico como de repente passa a um estado de humor depressivo.Também em análise conclusiva posso dizer que existe grande possibilidade de estarmos perante um caso de dupla personalidade. Mas não se preocupe , há remédio para tudo.

o que me vier à real gana disse...

Primeiro k tudo: sempre satisfeitíssimo com a sua presença!
Pois, eminente amigo, conforme afirma, é um facto k a massa critica social francesa de há vem influenciando as sociedades dos países "mais desenvolvidos". Tem, sem dúvida, constituído um paradigma para as ditas cujas. Tal vem acontecendo sem reservas desde 1789. Os acontecimentos sociais e políticos iniciados nesse ano em França, cuja trilogia orientadora -verdadeiro desígnio- o digníssimo amigo não esquecera de recordar, viriam a repercutir em todo o mundo... "civilizado". Utópico, sim, tb concordo, ainda assim, vale sempre a pena. A Revolução Francesa, uma revolução liberal por essência, valera a pena!
É tb, estou consigo,verdade que nós, lusitos, sempre beberamos de ideias franceses.ainda hoje o notamos - na política e no Direito, por exemplo. Não, não foi por acaso que os estudantes portugueses "abriram os olhos" e soltaram a sua coragem em finais de 60. O Maio de 68 chegara tb cá, por simpatia (tacitamente abordado no texto postado)!; não, não foi por acso k os anti-fascistas portugueses perseguidaos pela PIDE escolhia, preferencialmente, a França como destino do exílio.
Digníssimo das Neves, o amigo tem passaporte diplomático, ou seja, a regra não se aplica a si. Só comenta o post, e a malta agradece, quando bem entender, tão prestáveis têm sido os vossos serviços nesta pátria!
Não se encontra disponível para o cargo de nosso 1º? Lamento a sua decisão, mas longe de mim contrariá-lo. Branco, escolha o país, se prefere a diplomacia! Terá a equipa que designar (ao botas pagar-lhe-ei um curso intensivo. O moço é inteligentíssimo, aprenderá rápido).
Quanto ao João Cara de José, sugestão aceite. Se me permite vou já contactá-lo: - João Cara Doutro, está por aqui? Necessito, com urgência, de reunir consigo.
Pronto, vou aguardar o seu contacto (dele, amigo branco), e far-lhe-ei a proposta. Direi que foi o amigo quem o indicou como idóneo para tão elevado exercício.
Branco, espero que a distância geográfica não o impeça de, regularmente, entrar em comtacto (falo do informal) connosco, tá?
Abraço amogo, digníssimo Branco das Neves!

gastão salsinha disse...

crispim!(pronto), prepara a funda, enche os bolsos de pedregulho e prepara-te que é pra mandar umas fundadas. O branco das neves desta vez não escapa, é muita linha pá! 64+5 linhas, não pode ser, já não bastava o darwin(o maçudo)!mas tem cautela crispim, o terreno está todo armadilhado com costelas, e algumas delas até têm ferrugem. da-sssssse!!!!!!!

gastão salsinha disse...

ali vai ele, pimba!! iiiiihhh meu, continuas a tomar politix, ó branco!da-ssse!!!!

gastão salsinha disse...

acho que devias passar no consultório do dr. house, ele resolvia-te esse problema de flatulência. da-ssse!

Anónimo disse...

O Gastão é o José Terra.

gastão salsinha disse...

crispim, chegaram os anónimos, podes atirar, se achares conveniente podes trocar o pedregulho pelas pedras de ançã. da-sssse!

Anónimo disse...

É Gastão, daqui a nada tu é que levas chumbo.

Anónimo disse...

o branco das neves usa aparelho no dentes.

Anónimo disse...

É Zé Terra, achas que eu vinha p'ra aqui dar-te seca ?

Anónimo disse...

o house não é doutor, é doutora.

Anónimo disse...

acho

Anónimo disse...

O ZMB? O João Cara de José? O Gana?

Anónimo disse...

o anónimo das 23:15 usa pijama de flanela e tem uma arrastadeira, só pra ele.

Anónimo disse...

O anónimo das 23.48 usa truces de mousse.

Anónimo disse...

o anónimo das 23:49 usa maias de lycra no trabalho.

Anónimo disse...

O anónimo das 23.28 pinta as unhacas dos pés e gosta de se vestir de mulher.

Anónimo disse...

o Porque Será, faz as axilas com cera depilatória e tem as unhas dos pés em caracol.

Anónimo disse...

O editor do Jornal Ganiense é travesti às 4ªs feiras à noite.

a sibila disse...

se me permitem a ousadia, gostava de entrar nos vossos considerandos, pois que nao se fala de outra coisa na nossa Galia.
De facto os meus parcos conhecimentos nao me permitem alongar muito sobre o tema do post, mas sempre direi que se tratou do inicio de qualquer coisa...

pescador do alto disse...

é gastinha

atão os páneiros e a bára nobinha im fôlha quê timprestei pá?

Anónimo disse...

A Sibila quando fala larga montes de perdigotos.

lula disse...

Em um reino muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, distante, vivia o menino Branco das Neves, que para falar a verdade, de branco não tinha nada. Era tão preto como o petróleo.

Branco das Neves, não era um príncipe normal. Acabará de perder sua mãe, a Rainha do reino Pouco Encantado, e estava morando e sob os não agradáveis cuidados do seu padrasto muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito mal. O nome deste ser que nem o diabo quer perto era João, João do Pintão para os íntimos.

Em um belo dia de sol, Branco das neves estava no jardim do palácio com seus amigos do grupo de Hip Hop, dançado e cantando e seguindo a canção como todas aquelas piruetas.
O João, é o João do Pintão, esta escondido atrás da cortina de uma das janelas vendo como o Branco das neves era feliz, tinha muitos amigos. Então o João do Pintão foi até o se espelho mágico e vez aquela velha pergunta que todos nós estamos cansados de saber:

- Espelho, espelho meu, há alguém mais belo do que eu?

E o espelho respondeu:

- Ah, fala serio João, tá pensando que só porque você é do pintão e se acha o melhor? Lógico que não. O mais belo é o Branco das Neves, o Príncipe Ébano feito a pincel.

Ouvindo isso, o sangue do seu corpo ficou quente, e foi inevitável aquele grito do João:

- Ahhhhhhhh Bixa! Se ele pelo menos me desse bola! Mas, como ele não me dá...

Quando os amigos do Branco das Neves foram embora, no advento da noite, o João do Pintão convidou o Branco das Neves para um belo passeio noturno.

O que o João estava planejando era matar o garoto, afim de, se tornar o mais belo de todos. Mas, quando ele olhou para aquele rostinho belo, aqueles olhos desprotegidos, não agüento, ficou com dó e foi embora, para o Caribe, deixando o garoto indefenso na floresta.

Sozinho, Branco das Neves vai rumo ao norte e encontra uma casa muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, pequena, onde moravam os sete Fortões.

O garoto percebeu que não foi uma boa idéia ir para o norte, mas era tarde demais, os sete Fortões estavam com fome, queria carne nova! Então eles amarraram o garoto e estavam preparando a fogueira.

Quando Branco das Neves já achava que não adiantava mais nenhum esforço, quando ele já tinha pedido o perdão a Deus por todos os seus pouco pecados, eis que surge algo no céu:
- É um avião?
- Um pássaro?
- É um satélite?
- É a torre da Megas?
- Não, é a Super-Mulher.
- Wow... – falaram todos.

Assim, a Super-Mulher dá uma na esquerda, outra na direita, chuta os órgãos sexuais deles, morde a orelha, da uma chave de pescoço, uma voadora, passa batom, dá uma seqüências de socos, pega uma faca e corta os dedos deles, depois joga sal em cima, pega pedras e jogam neles, faz eles comerem terra, quebra dos sete froxões, digo, os sete Fortões na porrada, e salva o Branco das Neves.

E o final dessa história? Você já deve saber: A Super-Mulher e o Branco das Neves se cassam e vivem felizes para sempre.

Anónimo disse...

O lula é o anónimo das 23.40.

pescador do alto disse...

é maltinha algém biu o mê amigo chapussat pur aí? dis que tinha ma garrafita do vom pró pescadore mas numca máis aprasseu. ê já tínha sardínha da matanssa dentru dum gârrâfão de áuga do luso pra tirare da árca quéra só assindere o fugareiro, é masso chapussat num saves o que pérdes. ólha cu binho estrágasse se tibér munto tempu fexádo e a sardinha póde ficare dezenssábída.

sindicato disse...

LULA é, Luiz Inácio Lula da Silva (Caetés, Pernambuco, 27 de outubro de 1945[1]), é o trigésimo quinto presidente da República Federativa do Brasil, cargo que exerce desde o dia 1º de janeiro de 2003.

Lula, forma hipocorística de Luiz, é seu apelido desde os tempos em que era representante sindical. Posteriormente, este apelido foi oficialmente adicionado ao seu nome legal para poder representá-lo eleitoralmente.

Lula é co-fundador e presidente de honra do Partido dos Trabalhadores (PT). Em 1990, foi um dos organizadores do Foro de São Paulo, que congrega parte dos movimentos políticos de esquerda da América Latina e do Caribe.

Foi candidato a presidente cinco vezes: em 1989 (perdeu para Fernando Collor de Mello), em 1994 (perdeu para Fernando Henrique Cardoso) e em 1998 (novamente perdeu para Fernando Henrique Cardoso), e ganhou as eleições de 2002 (derrotando José Serra) e de 2006 (derrotando Geraldo Alckmin).

gastão salsinha disse...

o chapuisat está comigo, amigo pescador, anda agora na recruta, que é bem dura por sinal, hoje fez 7 paneiros e foi buscar umas baras ali pra zona de santazita, amanhã mando-to aí com aquilo que me emprestas-te. da-ssssse!!

ZMB disse...

Bolas, as segundas feiras são terríveis...
como é que este pessoal do turno da noite aguenta?

Hoje é que descobri porque é que no dia 1 de Maio me desapareceu aquilo tudo, afinal não foram para piquenique nem para manifestações... foram roubados... pelo pessoal das maias. Se a minha filha se decide a casar com algum daqueles marmanjos, deserdo-a ... e a ele arranjo-lhe uma ida ao dentista.

Bom, devo confessar até que me senti orgulhoso ao ver o meu estimado muro ali mesmo no meio da praça, não ficava nada mal não senhor...

Mas deixar o cão ali preso, 4 dias sem comer e sem beber, não se faz ... ele quase não me conhecia... coitado!

bibi disse...

o lula é um pedófilo maricas que só pensa em criancinhas tenrinhas.

pescador do alto disse...

é gastinha

atão tu pôste o hóme na trópa pá? e a minha benhassa? já fôi né buêstela tu mais o crespim e o catareca, num qéro páneiros fêtos pur ele que num pressébe náda diso, qéro us meos que fôram fêtos inda pelu ti gias da bedeira e dábam pra bir á bela quéra ma requeza e a bára é de êcalipto quê ruvei ali ó pé du carapito. o hóme save lá faser iso, o hóme debe de sêr de cuimvra pá débe de sêr datôr ô adebogádo. salsinha num imbentes pá qué que tu fazéstes ós mês pánirinhos e á minha bára nóbinha im fôlha?

Anónimo disse...

É pá que é feito do Gana?
Então o gajo deixa assim a casa entregue à bicharada? Não te ponhas a pau Gana e até a ti te mandam chumbada.

Anónimo disse...

E se voltássemos a fazer uma reunião de anónimos aqui à chucha calada? Se o Gana não está cá, mais ninguém nos chateia.

Anónimo disse...

Eu já me dava por satisfeito se o Pescador do Alto me explicasse o que são " pánirinhos ".

alberto joão disse...

Cá estão outra vez os palhacinhos comunistas todos. Arre.

Anónimo disse...

E o que é que o sr. Alberto João tem a ver com isso? Como diria o Gastão dasssssssssse.

alberto joão disse...

Porque não te calas (já agora imitando o outro joão), comuna?

Anónimo disse...

Eles continuam por aí. Os fachos continuam por aí.

o que me vier à real gana disse...

Lula, Pescador, Zmb, obrigado! Safaram a noite, aqui na Gânia.

Darwin disse...

Caro sr. Hause,
Lamento não lhe responder ontem, mas não podia, fiquei tão irritado com o seu comentário, que estraguei três teclados com a resposta.
São este tipo de situações que estragam o dia todo a um gajo pá, estava tão animado e pronto tinha de me acontecer uma destas.

Realmente o sr. é o máximo, consegue ver toda a minha vida através de um post.
Que raio anda o senhor a consumir? Os seus comentários são um espanto... Tiro-lhe o meu chapéu e vergo-me diante de si, pois a sua sapiência ilumina-me e ofusca-me ao mesmo tempo... Só mesmo o senhor.
Para mim é sempre inspirador ver um artista tão completo: escreve, canta, dança, lambe chupa-chupas e assobia ao mesmo tempo! É de facto um "Composto de Riso-Tónico" que nos lembra sempre algo, talvez algum remédio, tipo “humorix”, que Cabral trouxe do Brasil escondido na cueca.
Sim, de facto não consigo conter o riso, esteja onde estiver, com os seus Sketches Cómicos (adoro escrever palavras estrangeiras, dão um ar intelectual à coisa!).

Em relação à minha sanidade mental, ou até higiene mental, pode sempre questiona-la, até porque eu não tenho por hábito comer barras de sabão azul e branco.
Bem, acho que está na altura de puxar o autoclismo. Com licença, até uma próxima.

Anónimo disse...

embrulha!!!

pescador do alto disse...

á ganda cagáda cu masso daruin fês agórinha mêmo, o datôr debe de tere ficádo cus cagalhôtos tôdos in sima da cavessa é asim mêmo masso numca te dôia o cu é pá num te xateies tamém cumigo quê sô caréca. o masso do datôr é que já debe de ire purí fóra a intupire os canus dus isgótos inchamardeádo inté ás urêlhas, é melhore xamár o cósta sanão bai haber inundassão de bósta de sarteza.

pescador do alto disse...

é masso antónimo us pánirinhos são mas coizas ca maltinha da praia uza pra refrescare as ventas nus días de munto calore asim cumós léqes das senhurássas tás a bêr? bêsse mêmo que num és zua.

s.s. disse...

É amigo Cantona, você assuma-se homem! Então não aprendeu nada com o post do Gana? O Maio de 68 serviu exactamente para mudar mentalidades. Nos dias de hoje você até faz papel de ignorante! Ó amigo, quem é que já quer saber de quem é gay ou deixa de ser?
Estávamos bem arranjados, se com tantos dissabores que a vida nos traz ainda tinhamos de a andar a complicar mais com essas coisas. Só há uma coisa neste mundo « cão » que todos merecemos : SER FELIZES. Procure o seu lugarzinho ao sol, que se você é gay e os outros são gays e somos todos gays, isso é conversa " pra boi dormir ". Cada qual é o que gostar de ser, e viva a VIDA.
Aposto que você há-de ser daqueles rapazes que gosta da sua camisita de marca, das calcitas ao último grito da moda, de seu telemóvelzito topo de gama.... Ora bem, essas tretas todas é que não interessam a ninguém. Se quer estar à altura da sua época, deixe lá as preferências de cada um, e, principalmente, não cite nomes, que acho que ninguém está interessado. A malta da Gânia não tem pachorra para essas tolices!

doentinho disse...

por acaso até conheço o dr.house e olhe que ele não é nada como o pinta. ele é um ser bondoso, simpático, amigo, simples, humilde, bem parecido, culto, vaidoso, careca, engatatão, honesto, alto, entroncado, pele escura, trabalhador, educado, nos tempos livres até é bombeiro, amigo dos animais, da natureza, gosta de nadar, andar de trotinete, jogar dominó, faz algumas coisitas de costura quando lhe pedem, aos sábados, não é sempre, faz umas horitas a sachar batatas, come todo o tipo de peixe, a carne, é o que vier, sabe andar de bicicleta, não come com a boca aberta, gosta de conviver, adora tremoços, e até joga futebol, por isso, não fale mal do Dr.

Darwin disse...

Realmente isto é vergonhoso! Já não tenho estômago para aguentar estes comentários.
Não me venham com a história de que isto tem piada, senão vomito!
Sr. Cantona, pessoalmente acho que o senhor, para além de cobarde, é completamente idiota, e só encontro explicação para o seu problema, no domínio da psiquiatria. Poderá ser “dislexia mental” ou “demência crónica”? Não sei, não sou especialista! Atenção Dr. Hause, tem aqui um caso complicadíssimo.

liberal disse...

Cantona gay.

Lula pedófilo.

Fedem que se farta!

Aceito a diferença, Cantona, não tolero é o paleio de bicha barata.

Lula, não repita a gracinha sobre crianças, refreie a sua doentia imaginação.

Anónimo disse...

É pessoal, por favor não estraguem isto ao homem. Vamos tentar evitar certo tipo de comentários. Só prejudica o blog e o Carlos não merece isto. Vá lá, não custa nada.

o namorado do cantona disse...

Cantona
Papillon ma chérie
Le samedi je t'ai attendu à VIP toute la nuit. Tu n'es pas venu. Plus tard on m'a dit que tu étais chez un autre bar-gay. C'était pour ça que tu as émenné tous les condoms qu'on avais chez nous? Je te deteste ma pute!

Darwin disse...

Amigo Pescador do alto,

Chatear-me contigo. Isso nunca! Sou um apreciador nato dos teus comentários, é do caraças a forma como escreves, pá (!), Isto para não fazer um comentário mais filosófico!
E depois mostra à gente, de um modo como que...conjuntural! (desculpa, agora perdi-me! não estou habituado a pensar rápido...)
Olha, um dia tens que me visitar, aqui na minha aldeola em Carrazeda de Ansiães. Também temos uma lagoa. Estás convidado para uma pescaria, uma almoçarada com tudo a que tens direito.

mélita disse...

Gentinha animada, heim! Continuem.

pescador do alto disse...

masso daruin
és um purreirasso pá ovrigádo pêlu combite i êu asseituu, mas tems lá benhassa voa né? ê lébo daqi mas vatatitas nóvas e mas fabitas i uns cunhões de cárne qué prágente faser aí ma fabáda insalsáda qué tamém pra desinjuár do peiche né e ópois dêmos aí ums lansses ás inguias e fasêmus um insupádo caté bai mandár bentarólas. já cu chapussat tá na trópa na recrúta ólha piór male é dêle, vevemos agente a pinguita.
é masso onde é cazarreda de ansião, é ó pé de chispár de vaixo né, débe de dare pró pescadore ire de vecicléte.
convina lá iso camaradinha daruin.

Anónimo disse...

O doentinho hoje vai jogar à bola com uma t-shirt apertada.

cristina disse...

Pessoal, temos que pedir ao gana para meter fora quem não merece estar aqui. Tenhamos decência. Felizmente, e é isso que ainda motiva a monha vinda aqui,que o autor do blog a tem,para além do talento, e que o grande maioria dos comentadores também a têm, para além de grande talentp,também! Fora com esse que não vale nada!

Anónimo disse...

É isso cristina, mas olha que tens aí um comentário todo engalinhado.

Anónimo disse...

Quem é a dona cristina para julgar
os outros?!
eu não saio ou não saiu!
tenho que falar com o do alto para orintar o pessoal...

errante disse...

Esse cantona não vale mesmo nada. Tens razão Cristina. Brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

lourinha disse...

sr gana

então não me diga que não vai eliminar certos comentários??

sabe bem ao que me refiro

Manuel disse...

Anónimo, e quem és tu para por em causa o bem senso da cristina?

Manuel disse...

Lourinha, deixa lá. A certas pessoas devemos dar o desprezo!

támal disse...

O que importa é o que se diz e não a forma como se diz.( o/a ) S.S., o Darwin, o anónimo das 15:35, e a Cristina são dignos cidadãos da nossa Gânia, já que imediatamente condenaram o miserável comentário dessa coisita asquerosa que escreve tais baboseiras, e a lourinha tem razão, eliminar tais comentários deve ser a palavra de ordem.

Anónimo disse...

Eu já ando há muito tempo por este blog, e não é nenhum cantoná nem cantoné que me tira daqui.

Anónimo disse...

O Cantona sofre de incontinência intestinal.

Anónimo disse...

ESTÃO A PASSAR-SE ENTÃO NÃO POSSO JOGAR COM CAMISAS APERTADAS.

Anónimo disse...

O Cantona tem asma e urina-se quando espirra.

Anónimo disse...

O Cantona tem um olho de vidro como o Zé Cid.

jose terra disse...

boas...gosto do pescador do alto, mas mesmo muito.conheço alguem muito parcido abraço.

João Água disse...

É isso Zé Terra, tamos nessa, fogo na cajica.

silvana disse...

Nao é a primeia vez que aqui venho, embora o tenha feito sempre como anónima. Concordo com os que dizem que deve ser apagado o comentáro do asqueroso cantona.

maxmen disse...

Está a ser maravilhoso a entrevista que decorre neste momento na TVI...

maxmen disse...

Ó Salsinha, vai buscar a flover e manda aí um tiro à ministra de educação!!!
Põe chumbo 5 e meio!!!

Anónimo disse...

A estratégia do Cantona é das coisas mais tristemente rídiculas que tenho visto. Se se tivesse ficado pelo seu 1º ou 2º comentário já ninguém se lembrava dele. Agora isto ? Vou dizer que é o outro, porque sendo eu o outro, ninguém pensará que eu é que sou o outro. Epá, gay ou não, não quero nem saber, agora parvo és à força toda, e doente, disso não tenhas dúvidas.

o que me vier à real gana disse...

Bem, cantona, como continuas a fazer uso de linguagem imprópria, vou ter que te apagar - a ti e a qualquer nick ou anónimo que proceda como tu. Se quiseres voltar, com esse ou com outro nick, comenta primeiro o post e depois usa linguagem que não ultrage quem quer que seja|
Há quem confunda irreverência com má-educação! Até a irreverência requer decência! Acredito que por detrás deste mal-cheiroso heterónimo se encontre uma pessoa decente. Que seja ela, enquanto tal, a comentar a partir de agora.

cantona disse...

Amigo anónimo, eu nunca neguei, nem escondi que era o Jorge, sou é masoquista.

Anónimo disse...

A sério pá, das poucas vezes que falei contigo tive a noção de que não eras normal. Procura ajuda, para o teu bem.

o que me vier à real gana disse...

Em nome de toda a "Gânia", peço desculpa aos lesados!

Manuel disse...

Muito bem senhor gana. Fez o que tinha a fazer.

cristina disse...

Bem feito, senhor gana.

O Karateca da Marateca disse...

Muito bem sr. Real Gana, p'rá frente é que é o caminho. Vamos embora.

Deus disse...

sobre tudo isto que li, tenho apenas que dizer que somos todos míopes, excepto para dentro..

maisvaletardequenunca disse...

o incontinente do cantona ainda nao deve ter percebido q ninguem quer saber das informações "bombásticas" dele!

Anónimo disse...

O Karateca da Marateca tem pelos enormes a saír das orelhas!!!!!!!!
A idade não perdoa amigo Karateca.

cantona disse...

Amigo anónimo, por favor ajude me você que é tão inteligente, sexta-feira já estou na praia onde o posso encontrar para a primeira consulta?

O Karateca da Marateca disse...

O anónimo das 22.26 quando vai distraído, caminha com os pés a apontar para as 2 menos 10.

Anónimo disse...

É karateca, tás enganado homem!
eu sou tão porreirinho!
beijos e abraços pra mim próprio

ZMB disse...

Anda por aí uma personagem que, de facto, merecia uma bilhete de ida para guantánamo … essa ministra da educação.
Sobre a má educação nos coments? A burrice e a doença são males bem distintos, mas quando se juntam o resultado é o que se está a ver. E não me pronuncio mais. Digníssimo Gana, agiu bem, mostre pulso a esses acéfalos.

mafaldacontestatária disse...

Neste periodo tão conturbado do reino da gânia dou o meu voto solidário ao nosso Rei.
Abaixo os Invasores, os difamadores, os microbios franceses e demais invasores!
Viva a Républica da Gânia!

Anónimo disse...

Olha triste cantona sou uma anónima e não um anónimo e tua amiga é que nem morta.

gastão salsinha disse...

crispim!(pronto)agarra-me esse cantona!!! tens até amanhã ás 16:00horas. não falhes, usa a palma se quiseres, que o taralhada já ma entregou, tá no paiol. quando o tiveres em mãos chamas o kareteca e os dois tratem-lhe da saúde!!!eu se o vir mando-lhe daqui umas fundadas, mas não vou usar pedregulho, não, vou usar pedras de ançã!!!!!!da-ssssse!!!

gastão salsinha disse...

maxmen, com muita pena minha, mas neste momento não posso usar flover, foi uma das condições pra sair da pildra. ai se eu pudesse! da-sssse!!!

jose terra disse...

e que tal o visgo?!

jose terra disse...

quero mandar um grande abraço ao nosso carlos gil. muito bem... parabens

o que me vier à real gana disse...

josé terra; anónima das 23:19; gastão; crispim; zmb; karateca; manuel; mafaldacontestatária e demais cocomentadores solidários, OBRIGADO!

moimême disse...

Sr. Gana acho que todos os residentes do seu blog lhe dão um inteiro e incondicional apoio. Esses vírus que de vez em quando para aqui vêm chatear, têm o tratamento que merecem : são eliminados. MAI NADA.

moimême disse...

Sr. Gana, já tive opurtunidade de dizer que há muitos assuntos que eu nunca ouvi falar. Mas quando são aqui postados obrigam-me a procurar, informo-me e tenho aprendido umas coisas. Então isto não é bom? Para mim tem-me ensinado bastantes coisas e olhe que eu gosto de aprender.

o que me vier à real gana disse...

moimême, é gratificante "ouvir" isso. Obrigado! Todos aprendemos aqui.

o que me vier à real gana disse...

Estive vai não vai para postar, já, um novo tema. No entanto, breve ponderação serviu de travão. É que a elevação do tema em vigor merece mais umas horitas... pelo menos.
Incito-vos, então, a mais umas reflexões sobre esse inesquecível fenómeno humano que viria a repercutir em todo o mundo.
Por exemplo, chegou-me ao acervo que em Outubro (julgo que foi em Outubro) do ano em causa, influenciados pelos colegas franceses, os estudantes mexicanos também se mexeram. Só que aí (um aí literalmente geográfico) as condições de sublevação, de revolução não eram, de todo, as mesmas que em frança. Como tal, 200 jovens estudantes mexicanos perdiam a vida em violentos confrontos.
Aqui ficou mais um apontamento. Venham mais!

maria rosa disse...

Inté eu que sô melher sim istudos, intindim que eça cara delabada andaba a ber se daba cabo do bloger do sinhor dotor jil.
eu sô pobresinha mas ca purrada capanhei do me pai quedestem, so melher inducada i num cumpriendu comé quesse drremuunhão negro deçe cantona sastrebe a ofinder estes alminhas que so se querim adibertir i aprinder aguma coisita.
deixe la sinhor dotor proque os caes ladrão mas a caraba paça. e acim que se dis nu é!

residente disse...

CANTONA - ACELERA K VAIS DE MOTA...

DEIXA-NOS EM PAZ!

ENFORCA-TE!

Darwin disse...

Voltando ao tema que nos é proposto, um ano depois do Maio de 1968 em França, vivia-se ainda um período conturbado da crise estudantil em Portugal. Ideais como a liberdade e a igualdade inspiravam a luta contra a opressão do regime. A defesa da autonomia universitária e a oposição à guerra colonial eram o prato forte das exigências. “A crise estudantil, provocou a mudança de reitor na Universidade de Coimbra e depois o envio dos "estudantes contestatários" para a guerra colonial. Em Coimbra, os estudantes saíam à rua evocando luto académico, em solidariedade com os colegas detidos e enviados para a guerra. A intensidade da contestação e da repressão policial em Coimbra era de tal ordem que os estudantes, sob forma de faixas e panfletos, fizeram questão de levar o luto Académico a Lisboa, para que todos os que estivessem adormecidos no sono, acordassem para o combate à triste realidade do país.” Em Lisboa, os liceus Camões (onde estudei), Gil Vicente e a Escola de Artes António Arroio, juntavam-se à luta dos Universitários, por uma reforma no ensino e por uma universidade sem classes. Estes jovens estudantes, sofreram também fortes repressões policiais. Confesso que apesar de muito jovem, nunca tinha visto nada assim.
Relembro a final da Taça de Portugal de 69, por causa dos protestos dos estudantes universitários, muitos jogadores da Académica ficaram retidos e impedidos de jogar a final contra o Benfica.
Relembro também, Augusto Abelaira (nosso vizinho), nascido em Ançã no concelho de Cantanhede, escritor dramaturgo e romancista, director da revista Seara Nova, cidadão empenhado e crítico, participou na luta contra o regime salazarista, integrando movimentos estudantis de oposição ao regime.
Por estas e outras razões, hoje sou contra alguns tiques absolutistas de inspiração salazarista. Vivemos num país sem memória.
Garanto uma coisa, podem criticar aquilo que eu escrevo, mas nunca conseguirão criticar aquilo que eu penso.

Anónimo disse...

Muito bem Darwin. Um óptimo comentário para desanuviar o tempo cinzento que se vive na Real Gânia. Retomemos pois o caminho que tem levado este blog ao nível fantástico que já tem.

João Cara de José disse...

O comentário anterior é meu.

Darwin disse...

Para terminar a minha intervenção sobre o tema, não podia deixar de recordar a data de 17 de Agosto de 1969 - Woodstock é o maior de um conjunto de festivais de rock ao ar livre de Verão. Cerca de 100 mil pessoas estiveram presentes no Atlanta Pop, no dia a seguir ao festival de jazz de Newport, que atraiu 80 mil pessoas com uma programação que incluía Led Zeppelin, B.B. King e Jethro Tull. A contra-cultura hippie da paz e do amor, nascida em San Francisco quatro anos atrás, estava a espalhar-se pelos EUA e Europa. Os hippies viam a flor como um símbolo dos seus valores de paz e usavam a expressão «flower power» para indicar que o amor pode vencer a agressividade. Com os movimentos de contestação da Guerra do Vietname a crescer, estes valores enraizaram-se em jovens contestatários de diversas origens. No nosso país deu inicio à geração que muitos chamaram: “Geração louca” - Sexo, Drogas e Rock and Roll (e muito álcool também).

manuel disse...

ainda bem que isto já voltou ao normal. Há aqui gente muito boa, inteligente e culta e com muito humor. É com esses que eu aprendo e me divirto.

«O mais antigo ‹Mais antiga   1 – 200 de 205   Mais recente› Mais recente»