sábado, 24 de maio de 2008

Mulheres Nuas - Fotos

GAJAS NUAS - FOTOS … É sensação inefável, espraiar as nossas maravilhosas vistas numa muralha de fotografias de belíssimas mulheres nuas. Sim, ficam lavadas… as vistas e não só!
Não é, porém, este o assunto que abordo no post de hoje. Esse, é bem outro. Vamos a ele!

Repostagem



INFLAÇÃO LINDA


… É verdade pá, é barroco, aquele texto. Perífrases no princípio e no fim, não constituindo o meio excepção; de redundâncias e pleonasmos eivado. Mas, é por isso que não gostas?; aprecias as coisas menos rebuscadas, mais directas? Certo, eu também estou inscrito nesse clube, mas, pá, aquele texto!...Tivesse ele mais um milhão de caracteres que, desde que cruzados daquela forma genial, continuaria a merecer a minha devoção. Moço, o Cosmos continua a sua inefável redacção com essa filosofia estilística que vem das origens: ora prolixamente, ora de modo singelo. Observa, contempla e perscruta! É mister que o faças. Não és misólogo, pois não?

Palavras, lidas ou pensadas, mas sempre cruzadas.

Ler em voz alta é dar vida às palavras, de acordo. Porém, ler em silêncio, fazê-las, simplesmente, interagir umas com as outras no cérebro, é mais do que isso, é proporcionar-lhes um passeio por paisagem de deleite, um namoro delicioso, um casamento – perfeito ou não -, natalidade, por certo.




Carlos Jesus Gil

90 comentários:

é ou não é? disse...

Será que quis mesmo dizer « inflação linda » ou « Inflação, Linda » ?
É que sendo o primeiro caso fico preocupado, pois que se houver alguém a adjectivar de linda esta inflação que me tira o sono, algum de nós dois não está nada bem. Já sendo o segundo, completamente de acordo, quem quer que seja essa Linda. É uma constatação mais que óbvia e eu posso continuá-la também : Inflação, Ana ; Inflação, Mafalda ; Inflação, Joana...
Ou seja, bemvindos todos a esta real inflação, que está cada vez... mais inflacionada!

pescador do alto disse...

é massito istu num se fás pá, anda um hóme aqi esfálfádo atrás das póstas ó lá cumé quisto se xama, é masso já andu a currer desde o seportingue contró pôrto proque ê tinha ma coizita purreirinha pra iscreber sôvre us árvitros que éra que êles éram vons era cando bestiam aqêles calçõins á lagoêiro plus juêlhos i aqêles cazaqitos cum votõins i usábam aqêles vigudõins farfalhúdus e pintiábamsse cu riscu ó meio, mas agóra já num bále a pêna iscrebere. ópois fásestes aí ôtra pósta sôvre de istare aí nu marmelansso cu a mariza nu cárro inquanto o ôtro lôrpa ficába a bêre telbisão im cáza i cando ê já tába pra iscrebere a málta já tínha ído tôda imbóra. ópois bêio o masso sogras i us albinistas quê num pressevi munto vém mas áxo quéra pro cáza dêle têre fumádo ma sigarráda nu abião e de térem fêito um arrazoádo du carássas pur u hóme têre fumádo. istu tá tudo birádo du abêsso masso já um hóme num póde fasêre o que qére, inda pur sima o sogras qué o xéfe du guberno.

agóra masso num me dixei inganáre e atão inda pur sima a faláre im gájas núas, á fanéca, istu é qué faláre.
ólha êu pa futugrafias num sôu munto vom, mas cumo tu fálas aí nas massas boazudas núas na nósa práia a ispraiáremsse, bou cuntare ma coiza que me cuntáram a sêrca diso. ma ócasião um grúpo de malta, cando éram rapazótes fôram ispreitáre as dúnas, cuma malta custumába né, ê cêi que tu tamém andástes néstas andanssas, se calháre inté tínhas tualha e vinóculos já preparádos pra issu né? mas prontos, ese grúpo foi lá pó ispreitânsso e biram aquélas boazonas tôdas cum túdo ó léu, a rapasiáda tába tôda delissiáda e ficô pur ali até fartáre a bêre aqele regálo, mas ópois xegáram lá ums gájos ó pé délas que debíam de sêre us namorádos e atão a málta arresolbeu bir imbóra. mas um masso dise é pá êu inda bôu ficáre aqi máis um pôco e us ôtros é pá deicha lá iso agóra já aí tá a rapasiáda délas já num dá pa ingatáre anda mas é imbóra. mas u gájo ficô.
os ôtros biéram imbóra e cando já tínham andádo um bucádo ólháram pa trás e é masso o qe ficô tába a apanháre um fetadão lá dum dus namorádos qe fôi ma coiza fêia e ópois têbe qe fugire né? foi rire inté mái não e êle a negáre a desêre qe num tinha apanhádo náda e a málta tínha bisto túdo. êse numca máis débe têre ispreitádo as dúnas pá.

é masso tamém gustába de iscrebere calqer coiza sôvre a linda inflássão mas só se tu me disésses o que quérem dezêre éstas palábras defíceles varroco, pefírasses,redundânssias, plonásmos, eivádo,caractres,cósmos,inefábel,
filusufia,estlística,prolichamente,prescruta,míster,mesólogo.
é masso istu é arêia de máis prá nha cáminéte.

pescador do alto disse...

ai a linda tamém anda aí ôtra bêz?

é lindinha as sãodades quê tênho.

f.r. disse...

É Gana, essa das gajas é que não está com nada. Tu não te lembras das mulheres que por cá andam, ó devasso? Se bem que se te referes às meninas de peitinho ao léu, se reparares bem a maior parte delas está bem relacionada com a inflação. Pois o que são essas bóias dilatadas que elas exibem senão o peito com que a natureza as dotou, inflacionado com doses industriais de silicone.
Mas tudo bem, em tempo de inflação imparável, há que seguir a tendência, e mais vale inflacionar o peito do que o nariz, por exemplo.
Já agora, vê lá se qualquer dia postas aí alguma coisita sobre " Gajos Nús - Fotos ", a ver se eles também estão a seguir a moda da inflação aplicada aos dotes físicos. Sempre gostava de saber qual será a parte do corpo que eles estão a escolher para aplicar a dita cuja.

ó calastricimo disse...

Gajas, gajas a malta quer é gajas e todas nuas.
É masso qddo é que postas com imagens pá? com um tema destes valia a pena.
alem da alma até a ........, ficava tudo.....lavadinho.
agora não vás é meter pra ai imagens de gráficos. ainda nos dá um inflarte.

Mirtota disse...

Decididamente este blog começa a apresentar um cariz machista.
Sr.Gana, e gajos?????

Sr. Pescador do alto, o que são calções à lagoeiro?

economista disse...

é ou não é, penso que o senhor gana não se refere a essa inflacçãoque a todos atormenta,mas sim a uma literária.

J P G disse...

O contador vai subir, certamente.

Estes títulos levam a malta do Google a pesquisar alhos e a encontrar bogalhos.

Mas é bem feito, pois já deveriam ter uma pasta de favoritos do tamanho do estádio do Maracanã.

Mas para quem procura pessoas despidas, aqui fica um site giro...

http://enclavado.blogspot.com/

Ainda que sejam despidas de preconceitos!

Abraço amigo "baixo"!

manuel disse...

O JPG é perspicaz.

Anónimo disse...

Tens razão manuel. Agora já sei o que é que o gana quer com isto. Também não vejo mal nenhum. É para atrair visitantes, o que importa é que os posts continuem a ser dignos e a terem qualidade.

Darwin disse...

Vou ser directo. Mais directo não posso ser. Isto é o mais directo que se pode ser quando temos de dizer uma coisa.
As formas femininas sempre intrigaram e excitaram a criatividade de artistas ao longo dos séculos... A beleza do corpo feminino é das coisas mais bonitas do mundo!... Inspiradora de poetas, pintores, escultores, escritores, fotógrafos e de outros, que não sendo artistas tão assumidos, se deleitam a olhar para as belíssimas formas de uma mulher... O corpo nas suas curvas e detalhes, mais ou menos perfeito, consoante quem o vê... mas para mim é sempre soberbo, admirável... o pudor, esse desavergonhado castrador, é que teima em afirmar-se com mais vigor do que seria de desejar...
O Verão e o calor estão aí... que desabrochem então as viçosas flores!

“De corpo nu, deixo marcas de cometas em chama na areia onde habitas e vejo-te desfalecer à minha passagem desejando que não me desvaneça como fumaça”.
(Lili Caneças)

Isto está mau...Deu-me. Mas passa rápido.

silvana disse...

Senhor darwin, não está nada mau. Está muito bom.Ainda bem que fala assim do corpo feminino.

ó calastricimo disse...

o que é uma mulher ne matemática?

economista disse...

Ah, agora também já percebi. É puro marketing. Espero que resulte, ó senhor gana.

silvana disse...

ó calastríssimo, o que é que queres dizer com isso?

moralista disse...

Agora também entendi. Já estava para dar uma lição de Moral ao gana. Veja lá ao menos se mantém a qualidade dos textos.

Darwin disse...

INFLAÇÃO LINDA

Lili Caneças, figura mais carismática do jet-set nacional, encontra-se com uma amiga de infância, para lhe falar sobre o encontro com um jovem de 24 anos na noite anterior.

- Olá Lili! Conta-me, como correu o teu encontro?
- Horrível! Não sei o que se passou!
-Porquê?... Não te deu nem um beijo?
-Sim!!!...Beijou-me tão forte ! E mordeu-me os lábios com tanta força que pensei que me ia saltar o implante de colagénio!... Depois começou a acariciar-me o cabelo e soltaram-se algumas extensões que tinha.
- Não me digas que terminou aí?
- Nãooo...!! Depois agarrou-me a cara entre as mãos, até que tive que lhe pedir para parar porque estava a espalhar o botox ! Além disso, as minhas pestanas postiças ficaram coladas no seu nariz.
- E não tentou mais nada?
- Sim...começou a fazer-me festas nas pernas. Tive que o travar porque me lembrei que não tinha tido tempo de fazer a depilação, e ao tentar pará-lo, saltaram-me duas unhas postiças. Depois deu-lhe um ataque de luxúria arrebatador e abraçou-me com tanta força que quase mudou a forma dos meus implantes de silicone.
- E depois o que aconteceu?
- Pôs-se a beber champanhe do meu sapato!
- Ai...que romântico !!!
- Romântico?...quase que morre ali mesmo!
- Porquê?
- Porque engoliu o corrector de joanetes e quase que sufocou!
- E depois, o que aconteceu?
- Acreditas que se foi embora ???
- Cá para mim, era maricas!

silvana disse...

Fixe senhor darwin. Ainda estou a rir. Bué fixe.

moralista disse...

Tá boa sim, senhor darwin.

Anónimo disse...

Ainda pouca gente comentou o post, o verdadeiro. Está muito bom.Pode fazer-se muito com palavras sim senhor. Se as soubermos usar, poucas chegam, mas muitas também não são demais. Muito bem.

silvana disse...

Só agora li o comentário do pescador do alto. Aqui tá demais,é o máximo. Parabéns.

moralista disse...

Eu já tinha reparado no texto do pescador do alto. Dedique-se à escrita, pescador. Vá para as Produções Fictícias. Obrigado por nos entreter tão bem, sem fazer mal a ninguém.

Apreciador de Beja disse...

Batota.............
Isto é batota......
Vou fazer queixa deste blog......
Vem uma pessoa ao engano e é só letras.................

prfa Mª José Navais disse...

fico com muita pena que os meus alunos não saibam o que é uma mulher na matemática

prfa Mª José Navais disse...

então aluna Silvana?
uma mulher na matemática é um conjunto de curvas e contracurvas que....poe de pé um seguemento de recta. tá ver.

Anónimo disse...

Muito bem, senhora professora.

branco das neves disse...

Amigo Gana

O amigo está assim a modos que para o carente no que a questões amorosas diz respeito, não? Vislumbro-lhe aí uma ausência de afecto da parte do belo sexo, que o leva a debruçar-se sobre temas onde mete mulherada! Se estiver enganado, desculpe-me o Real Amigo, não quis ofendê-lo, mas, é que, após o tema em que nos fala de sexo ambulante até ao embaciamento total dos vidros da viatura, vir-nos com este, sugerindo-nos tal quadro de donzelas desprovidas de vestes, oh meu Amigo, quão pérfida e deslavada imaginação não vai prespassando essa sua zona cerebral. Isto, ressalvo, se a sua pródiga imaginação não for veículo para homenagear a condição feminina. Se assim for, felizes as mulheres desta Gânia querida, cujo cimeiro e lídimo soberano seja também mestre no galanteio e na arte de conquista, suficientes para desmistificar procedimentos inadequados de um qualquer d.juan de pacotilha.

Pus-me para aqui a pensar, a contemplar e a perscrutar, no pacífico espaço que é o meu jardim, olhos virados ao firmamento duma linda noite de infinita luminosidade estelar , a ver se conseguia chegar onde o Eloquente Gana nos quer desta vez transportar com esta coisa da inflação barroca em textos literários barrocos (que frase redundante eu para aqui arranjei...)e, o mais que consegui foi um doloroso torcicolo, do qual ainda não recuperei totalmente, e a visão de uma estrela cadente caindo para baixo e a sempre popularucha, mas bela imagem dum foguetório subindo para cima, troando no ar o sentimento do povo duma aldeia vizinha em devoção ao seu/sua venerado(a)
padroeiro(a). Um gri-gri aqui e ali de grilinhos cantantes e um constante e afinado coachar de rãzinhas de charco também me massacraram os canais auditivos.

Contemplei e perscrutei Amigo Gana... e pensei! Extraordinário Gana que me pôs para aqui em pose solitária, de sentidos alerta, contemplando, perscrutando e pensando em como lhe decifrar tal devaneio literário e, ao invés, perante confessada incapacidade para lhe agradar, me ter proporcionado este raio de torcicolo, que me irá apoquentar por alguns dias, e este danado zumbido de "grigris" e "quáxequáxes", para o qual ainda não consegui remédio.

Olhe quem tem remédio para tudo é o Caríssimo Cara de José, rojam-lhe as ideias em cascata de humor que a todos delicia. Bravo literário, este nosso Amigo.

branco das neves disse...

Amigo Botas

Um abraço para o amigo sempre calçado. Olhe, não se perca aí com as moçoilas do nosso Gana, que a contemplação de tanta beleza em pêlo é de deixar qualquer um com uma vontade enorme de tirar os sapatos.

albuquerque disse...

Entrei aqui agora. O texto do post deve é muito bom, é poético: uma inflacção de palavras mas uma inflacção linda.
Fantáticos também comentadores como: pescador do alto, branco das neves, f.r., darwin, etc. Muito
bom.

Anónimo disse...

Está muito parado isto esta noite.
Faltam aqui o gastão, o crispim e o karateca.

pescador do alto disse...

é massos ê só cá bim agóra pa ixplicáre á mitórta o quéram us calçõins á lagoêiro. é massa tu num te xateies quisto num tem náda de mále, mas é massa ê pênso que tu débes de sêre da lagôa se não num ficábas lógo aí tôda alburassáda cum ésa vrincadeira dos calçõins. mas aqi o pescadore bái tentáre ixplicárte iso dus calçõins. ê áxo ca menina mitórta inda é nubinha i é pur iso que num cunhésse a estóira dus calçõins á lagoêiro quéram ums calçõins cus hómes da lagôa usábam e éram fêitos de zuárte ó de flanéla e bínham inté ó juêlho, inda malemvro vém do ti alvino cantadôre asim e ólha mitórta tôu a alemvrarme agóra dêse hómezito da lagôa canda a bêndere óbos ás duas e três da manhê de vecicléte aqi na práia quê num sêie cumêle se xama, mas êse masso ê bêju-o muntas bêzes a impurráre ma carróssa aí na estráda da lagôa cuns calçõins dêses e cumas vótas de vurrácha inté ós juêlhos. é massa issu num tem náda de mále é só cus calçõins ca malta da lagôa uzába éram difrêntes dus da malta da práia e atão pa desinfrenssiáre agente dezia quéram calçõins á lagoêiro. ésa maltinha da lagôa é tudo gente vôa e amiga. Percevestes miga?

Mirtota disse...

Obrigado Pescador, fiquei esclarecida.

mélita disse...

Olá, já há us dias que não venho cá. Tive saudades. O post é complicado mas não tanto. Tmbém acho lindo os textos barrocos. São uma inflacçao linda, uma infacção e palavras.

silvana disse...

Este pescador do alto continua o máximo.

José disse...

É a primeira vez que aqui entro, e vim enganado. Mas estou a gostar, já li uns comentários a uns posts mais antigos e os comentadores escrevem muito bem. Vou voltar. O post do proprietário, para além de ter a tal introdução para engodo e que é engrçada, está muito bom.

ramsés disse...

Oh Senhor

Recuei no pensamento e revivi pedaços de tempo passados na barbearia lá da minha rua, que eram autênticos santuários de exposição de calendários onde modelos e artistas de cinema mostravam os atributos físicos, ao ritmo de uma por cada mês do ano, para delícia e passatempo de barbudos e cabeludos que entre um escanhoar ou uma tesourada, sempre arranjavam tempo para uma lânguida espreitadela. Não resistindo, lá saía o comentário próprio da ocasião, que logo encontrava eco no grupo de homens que esperavam vez para se sentarem no cadeirão do corte, e o remate da parte do ti João Barbeiro, cujo orgulho era a presença de tais belezas nas paredes do estabelecimento, quase tão estimadas como as fotografias dos craques da bola do seu clube, com os quais casavam espaços, numa simbiose cuidada, se não perfeita.

A barbearia sempre foi um espaço liberal, mesmo no tempo da censura, e talvez o único sítio onde muitos homens de gerações anteriores viram alguma parte do corpo feminino acima do joelho.

Compreensível, por isso, que as fotografias das louras e morenas estrêlas, amiudamente ficassem inundadas de corações e palavrões, de riscos e furadelas, à mistura, muitas vezes, com autênticas declarações de amor ou convite para algo de teor mais carnal.

Oh Senhor, isto lhe digo: abençoadas mulheres, que até em simples pedaços de papel nos fazem sonhar!

maria roza disse...

Mas atão qué queste gaijo manda páqui a deser. quérin ber qêle agora anda ca nmania nesçe raio deça mitorta. atão mas ele ten aljuma coiza qe le esplicar o qué que çam ums caussoes à lagoero? ela qe prégunte ao abô quêle de sartesa que save. Atão e eçe gana, o qué quele ten de falar nas gaijas? se calhar sam só aqelas qe tem as mâmas grandônas é qe têem balor? ê ca´acin qe dêchei o mê pescador nu minportei nada procaté já tinha ôtro. i êçe arrasoado do másso ê cá tamâi nu percevo nada. é mêmo uma cestam de gaijas Ó ele quere deser ôtra coiza?

Anónimo disse...

De rir até mai não: parabéns ramsés e maria roza.

cristina disse...

Olá, desde há uns dias. Senhor gana, é verdade que um texto com muitas palavras pode ser extremamente bonito. Pode à primeira vista não ser atraente, mas depois revelar-se algo maravilhoso. Quanto ao título, você é maroto. Está a tentar atrair mais clientela. Pelo que vi, parece não estar a resultar.
Não faz mal, podemos ser poucos mas somos bons (gaba-te boca), não é senhor gana?

alfacinha disse...

Então as fotos? Não sou tolinho. Parei e escrevo o comentário porque isto aqui é bom. São bons os posts e os comentários.

Anónimo disse...

Olha este diz que não é tolinho mas caiu que nem um patinho.

ó calastricimo disse...

será que o gana conheceu alguma gaja chamada Linda assim com as mamonas assim grandonas parecem que tem uma inflação.
por isso ele achar a inflação LINDA?

ó calastricimo disse...

assim não vale. quem é essa professora que ainda ai anda e que estragou a charada?

Carlos Jesus Gil disse...

Olá pessoal, espero que tenham passado um excelente fim-de-semana.
Pois, como alguém diz, parece k a minha estratégia de marketig não está a resultar. Mas, tb como alguém diz, somos poucos mas somos bons. Esasa é que é essa!
Fiquem bem!

ó calastricimo disse...

ai vai outra.
QUEM É O ZÉ?
imaginem uma divisão sem porta, só com uma janela aberta.
lá fora chovia que se fartava e o vento era demais,a janela batia ao sabor da força do vento.
dentro da divisão, estava uma mesa junto á janela, no chão poças de água.
junto, á mesa estavam vidros estilhaçados no chão onde jazia o Zé....
quem é o zé ?

cristina disse...

Ó calastríssimo, não acha que isso é demasiado complicado?

manuel disse...

É pá, isto dá que pensar. Ó calastríssimo, você agora também pró que lhe havia de dar.

manuel disse...

Será uma ave?

tó disse...

O Zé era o tolo que não tinha porta e que podia ao menos fechar a janela para ver se não batia nem deixava entrar a água.

observador disse...

Pessoal

Passa-se aqui alguma coisa de estranho. Então o nosso Ganita já nem nos comenta os escritos? Querem ver que anda deprimido? Ou então está farto da malta!...

Ganita amigo, reage pá!

Zíngaro disse...

É Maço, lá quanto às cachopas, estamos entendidos e não digo mais nada. Quanto à inflação linda, estou de acordo com um comentário que li por aí. Partindo do princípio de que te referes a um texto onde abundam as redundâncias e os pleonasmos - dize-lo tu mesmo -, resta saber exactamente a qual te referes pois a Literatura Portuguesa está eivada desses textos. Ou referes-te a Carl Sagan?

Miguel Borga disse...

O Zé era um coitado que vivia numa casa sem portas, duma só divisão, ampla, porém sem lugar de cagadeira ou mijadeira. A um canto da sala existia uma trempe a gás, onde o pobre do Zé cozia umas batatas com couves e um fio de azeite a temperar, e noutro canto, uma enxerga velha carcomida pelos ácaros, onde o nosso amigo descansava o esqueleto de vez em quando. Ainda noutro canto, uma bacia imunda e um jarro velho meio de água, acessórios necessários para tratar da higiene pessoal, que consistia na lavagem da cara e mãos, de manhã, e um lava-pés rápido antes de se deitar.
Ora, nessa noite de intempérie, como de costume, o Zé tinha bebido uns copos a mais na taberna do Pernitas, e, zigue-zaguiando, após vomitados e quedas sem conta, lá conseguiu entrar em casa, muito a custo, é um facto, mas sem danificar a preciosa abertura que lhe proporcionava o contacto com o exterior, onde, propositadamente, tinha plantado uma cadeira de pano e uma mesa de plástico que lhe servia de sítio de comer, ao mesmo tempo que lhe facilitava o acesso à janela. O Zé era côxo e usava um sapato de tacão alto que lhe disfarçava levemente o defeito físico. Nesta trágica noite, o bom do Zé, como de costume, descalçou os sapatos desiguais, passou os pés ao de leve pela bacia da higiene, que a água ainda estava branquinha, e deitou-se serenamente na cómoda enxerga, de cabeça à roda por causa dos abusos, mas convicto que o sono haveria de chegar cedo e amanhã seria outro dia. Nem cinco minutos demorou este aparente bem-estar. Dolorosas reviravoltas abdominais, acompanhadas de líquidas flatulências, fizeram-no saltar do leito e coxear até à janela, único acesso ao urgente e necessário aliviar da tripa. Normalmente este procedimento corriqueiro não oferecia qualquer grau de dificuldade ao Zé, habituado que estava aos passos certos, mas neste momento de suprema aflição, esquecido que lhe faltavam os sapatos, confiado na rotina do seu proceder, o Zé põe o pé sadio, o direito, na cadeira, e quando se preparava para pousar o doentinho, o esquerdo, na mesa para mais facilmente colocar as mãos no parapeito da janela, põe-no em falso porque lhe faltava matéria para preencher o espaço, e a coisa deu-se: ventas contra os vidros e Zé espalhado no chão sob uma chuva de vidros aguados.
Coitadito do Zé, foi encontrado na manhã seguinte, esfarrapado, ensaguentado e enxemerdeado, aos ais que metia dó com o pé direito fracturado a necessitar de engessamento.
Encontrei-o há dias de muletas, o pé doentinho calçado com o sapato de tacão alto, o outro calçado com uma bota de gesso, que orgulhosamente exibia à porta da taberna do Pernitas.

Anónimo disse...

Então mas as gajas????

ó calastricimo disse...

deixem o Gana ele foi namorar com a "Gaja". ou será que está doente. é pá chamem o dr House.
ele demora comó carago a arranjar a solução mas no fim do capitulo ai está ela....

ó calastricimo disse...

uma dica .
o Zé batia-se no chão pk estava a morrer axfixiado.

ó calastricimo disse...

ó sr Miguel a divisão está desprovida de mobilia, só tinha a mesa.

ó calastricimo disse...

zzzzzzzzzzzzzzzzz
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ

tsb disse...

Fui bem apanhado. Mas valeu a pena . É um sítio giro.

tsb disse...

Está a passar-se aqui qualquer coisa especial. Alguém me informa?

tsb disse...

Então já não anda ninguém por aqui?

Anónimo disse...

Sr. Miguel Borga, eu ri até não poder mais. Se eu mandasse nesta república da Gânia dava-lhe isenção de obrigatoriedade de comentar este post.

o verdadeiro anónimo disse...

Sr. Borga, se conseguirmos restabelecer o nosso regime do 24 de Abril de 1974, hei-de fazer de si Ministro da Cultura.

alberto joão disse...

Muito bem senhor borga. Boas ideias continua você a ter, ó verdadeiro anónimo. Siga.

Deus disse...

quando se considera uma coisa inefável só a tem para si.. é obscenidade.. porém as palavras entendem-se, são adultas!

o que me vier à real gana disse...

Zíngaro, não é a um texto em particular (para te dizer a verdade nem sei qual o texto que me fez escrever este ou, até, se algum houve! É que já faz um tempito que o escrevi – trata-se de uma repostagem) mas a tantos (quanta razão tens!) em que abundam redundâncias, pleonasmos e… palavras, tantos que a Literatura alberga (a nossa e a universal); tantos que, apesar da profusão de todos aqueles ingredientes, não se tornam enfadonhos, muito pelo contrário: constituem viagens deslumbrantes; luas-de-mel inesquecíveis! Foi isto que quis evocar. Bem sabes que, não raro, temos a tendência de, precipitadamente, considerarmos os textos grandes enfadonhos. Bem re-vindo!

o que me vier à real gana disse...

Pessoal, boa noite a todos! As minhas desculpas pela ausência temporária.

o que me vier à real gana disse...

Um comentário independente para saudar o nosso novo ganense, o senhor miguel borga. Bem-vindo, e parabéns pelas imaginação fértil e nobre arte de escrever!

Anónimo disse...

Só agora reparei que parece que houve aqui um golpe de estado. Então Gânienses, não era para falar de gajas nuas como mandava o sr. Gana? Mas essa do Borga está supimpa!

alfacinha disse...

É chavalos, isto é mesmo um blog muita fixolas pá. Montes de divertido. Consegue aliar o divertido ao intelectual. Continuel que eu vou divulgar.

Anónimo disse...

Esta forma de atrair já é velha.

navegador disse...

Tem aqui um blog excepcional. Tem que o publicitar melhor. A estratégia que está a tentar talvez não seja a mais correcta. Existem montanhas de sites con essas referências, é preciso passar por muitos antes que apareça o seu. Foi o que me aconteceu. Parei porque achei curiosa a sua argumentação e porque depois de ler o post e alguns comentários achei que valia a pena vasculahr mais. Vasculhei e encontrei material fabuloso, a nível de posts e de comentários. Está de parabéns esta comunidade de amigos. Penso que são todos ou quase todos amigos. Prá frente.

Blimunda disse...

E eu, pobre de mim, nada mais faço do que limpar as paredes bolorentas da minha cabana até que a passarola poise para me arrebatar deste local ermo de tudo. Apenas os pássaros, esses, cantam e esvoaçam alegremente em meu redor. Ao longe, oiço o timbre do riacho que serpenteia por entre as pedras roladas do leito. O meu continua vazio... de ti.

Provedor disse...

Oh, meus amigos! (suspiro) O que é isto, a apoiarem este, este blog, hmmm?, uma coisa do demo, recheado de conteúdo susceptível (bate com o dedo na mesa) de afectar as vossas jovens e influenciáveis mentes! Vejam, vejam o título do texto, mulheres nuas - fotos. Mas há necessidade disto? Quer dizer, e as meninas que aqui andam, que até são boas meninas, vamos deixá-las ler estes comentários deploráveis! Não havia necessidade! Quem são os responsáveis por isto? Homens, ah! Ide, ide para vossas casas, para junto de vossas mulheres. Mentes perversas!

Darwin disse...

Todos os dias de manhã tenho por hábito ler o meu horóscopo, para ver a sorte que os astros me reservam. Vou ao quiosque compro o jornal, leio e fico estupefacto! Passo a divulgar o seu conteúdo, acreditem se quiserem:

Você é perfeccionista, observador e detalhista. Gosta de analisar tudo. Essa sua maldita mania faz de si um burocrata insuportável. Você não tem nenhuma imaginação ou criatividade. Gosta de tomar conta da vida dos outros. Critica os outros, "mete a colher", mas não vê o seu próprio umbigo.
É impaciente, mal-educado, dá conselhos fúteis aos outros e consegue quase sempre afundar as pessoas que seguem os seus conselhos idiotas. Você não passa de um desorganizado, não tem graça alguma e não sabe sequer em que planeta vive. Quando alguém o questiona, recorre ao misticismo, uma vez que sua inteligência é limitada.
Você não passa de um ser incompetente querendo-se promover a todo custo. Quer ter "status", ser o "maior cá do burgo", mesmo sabendo que não tem condições para o ser. Você quer sempre a atenção de todos mas, como não tem inteligência, nem sempre consegue. É, na verdade, um canalha com cara de santo. Quando pressionado, faz chantagem emocional. Chora e faz da sua vida a pior de todas. Por isso, os outros signos do zodíaco nunca desconfiam de si.

Mediante isto, por hoje nem mais uma palavra. Até amanhã se o horóscopo quiser!

silvana disse...

Senhora Blimunda, senhor provedor e senhor darwin, só de vos ler já estou animada pró resto da tarde.

manuel disse...

Silvana, esses gajos,para usar a terminologia do ganita neste post, são demais. Há também uma gaja, senhora, a blimunda.

Geremias disse...

E as gajas? Onde estão as gajas?

Anónimo disse...

Geremias, então não vê que era tudo a brincar?

Zé espreita disse...

* “Atchim!” – disse o espião que veio do frio. Quando viu as gajas nuas.

Frank Zé Pá disse...

Por falar em "inflação Linda" sabiam que a diferença entre um livro de impostos e um livre de impostos está no rendimento colectável de cada um.

Anónimo disse...

icrica, icrica???

icrica, nada!!!

Carochinho disse...

História do Carochinho
O Carochinho decidiu pôr-se à janela, a ver se arranjava namorada.
Como tinha pouca imaginação, decidiu utilizar o velho truque: sempre que passava uma rapariga que lhe agradava – e eram quase todas! – deixava cair um lenço, na esperança de que ela o apanhasse. O resto viria depois…
E como passaram muitas gajas (algumas quase nuas), que lhe interessavam, deixou cair muitos lenços. Todos os lenços que possuía!
E assim passou todo o dia, debruçado à janela... a deixar cair lenços e a mandar piropos tipo trolha: Esta é uma boa zona para se estar… Ó querida tens cá uns andaimes...
Enfim, à noitinha, não tinha arranjado namorada – mas apanhara uma valente constipação.
Sem namorada e sem lenços, não teve outro remédio senão assoar-se a um guardanapo.

Geremias disse...

E as gajas? Onde é que elas estão? Onde é que elas estão?

o que me vier à real gana disse...

Ainda vou a tempo - está a acabar o intervalo - de dar as boas re-vindas ao frank zé pá. Além disso, Eh Eh Eh, tá porreira!

mélita disse...

o carochinho e o frank zé pá são muito engraçados. Dá gosto.

Anónimo disse...

São todos muito engraçados. Gajas é que nem vê-las.

bacano disse...

anónimo, ainda não foste ao sítio certo.

Anónimo disse...

Mulheres nuas????????????????????
WHERE??????????????????????????
FKU

Anónimo disse...

Hi! Someone in my Myspace group shared this site with us so I

came to give it a look. I'm definitely enjoying the information. I'm

bookmarking and will be tweeting this to my followers! Terrific blog and great

design and style.

Here is my web site :: org.tw

Anónimo disse...

There are certainly lots of particulars like that to take into
consideration. That is a nice level to bring up. I offer the thoughts above as

general inspiration however clearly there are questions like the one you

bring up where crucial factor

might be working in honest good faith. I

don?t know if best practices have emerged round things
like that, however I am positive that your job is clearly identified as a good
game. Each girls and boys feel the influence of just a moment’s

pleasure, for the remainder of their lives.

Also visit my website http://mysweetvillage.com/profile/SalleyPeterson73