terça-feira, 20 de maio de 2008

Onde é que vais logo à noite

Repostagem


ONDE É QUE VAIS LOGO À NOITE?


- Onde é que vais logo à noite?
- Logo à noite?
- Sim, logo à noite. O que é que não compreendeste?!
- Nada, nada; ou seja, compreendi tudo.
- Pronto, então podes responder-me?
- Posso, pois. Porque que haveria de não poder?
- É pá, então responde!
- Mas, qual era mesmo a pergunta?
- Arre!!! A pergunta era mesmo esta: onde é que vais logo à noite?
- Então…, logo à noite vou à discoteca. É o que faço, normalmente, todos os sábados à noite.
- Ah, vais à discoteca?!
- Sim, porquê tanta admiração?!
- Porquê tanta admiração?
- Sim, porquê?
- Então diz-me lá, ou cá: vais à discoteca com quem?
- Com aquela gajinha que engatei há quinze dias, de quem, aliás, já te falei, a Marisa.
- Ora aí está!
- Aí está, o quê?
- A razão da admiração.
- Então, mas qual razão?
- Oh pá, Manel, à discoteca um gajo vai para engatar. Ora tu já engataste, e já não era sem tempo!, portanto o que vais tu lá fazer agora?... Perder tempo! É isso, perder tempo. Ganhá-lo é passá-lo dentro do carro, horas a fio, até os vidros ficarem foscos.
- É pá, tá bem. Depois havemos de ir p’ró carro, mas primeiro vamos à disco.
- Tu é que sabes, lorpa do caraças!
- Ok., sou lorpa. Deixa lá! Já agora, onde é que vais tu logo à noite?
- Eu?
- Só aqui estamos os dois!
- Eu, então eu, logo à noite, vou ouvir a gravação do debate, no Parlamento, sobre o Tratado de Lisboa, sim, que estou a precisar de rir um pouco; depois vou rever o jogo da Taça da Liga “ Setúbal/Sporting “, que também serve o objectivo; depois, se entretanto não se puser muito tarde, vou deleitar-me com um apanhado das idiotices protagonizadas e mediatizadas pelos ministros da nossa administração central. Sim, o “ Alcochete jamais “ incluso. Aí tens.
- … E depois o lorpa sou eu!




Carlos Jesus Gil

57 comentários:

o que me vier à real gana disse...

A sandrita pediu, aí vai!

Sandra disse...

Pronto, k a taça acabou-se-te a inspiração, n foi amigo?
É pá, este já tu tinhas postado.
Mas já percebi, km da outra x só 2 comentaram agora voltaste a carga.
O falso anónimo e tu mesmo estão proibidos de comentar hj já que foram os únicos que comentaram da outra vez.
E mais, tu é que és o lorpa sim senhor.
Eheheheh

Sandra disse...

è amigo, excedi-me, desculpa lá o devaneio. Vê lá tu agora até já querer ditar regras no teu reino. Onde isto já vai.
Espera. Vou ler melhor e tentar comentar.

Sandra disse...

Lorpa.
Eheheheh

o que me vier à real gana disse...

Claro, isto é uma repostagem... se calhar esqueci-me de escrever repostagem. Vou já lá! Depois, acabou-se o intervalo. Tenho aqui uma coisa nova, mas é outra vez sobre política...

Sandra disse...

Boa boa, isso é que eu gosto.
E dá para malhar no Costa ou n?
Já viste como eu tou atenta, ah, n escapa nd.

o que me vier à real gana disse...

Sandra, dá mas fica para outro dia. Acabou-se o intervalo. Até logo!

O Karateca da Marateca disse...

Sou o 1º lorpa a escrever com o nick a preto, eh, eh.

cristina disse...

Tá muito bom! Se está lá para trás não dei por ela!

Anónimo disse...

É uma boa repostagem. Por acaso já tinha lido. Então, é melhor ficar a ver televisão? Ah Ah Ah

maxmen disse...

Este post só me faz lembrar as "conversas" entre o António Feio e o José Pedro Gomes!!!

Quanto ao quem é mais lorpa que quem, fico na duvida se será o lorpa que foi ouvir as gravações do debate no parlamento no conforto do sofá ou se será o lorpa que foi com a Marisa para o desconforto do banco de trás...

f.r. disse...

Pois olha, eu acho que o tal Falso Anónimo é que estava cheio de razão! Deixar de ir à discoteca para assistir a uma sessão do Parlamento!!!!!!!! Só um masoquista! Aquilo é como ter o dedão grande do pé inchado e continuar à marretada a ele! Cada vez mói mais. Para se saber como são as sessões no parlamento, lê-se " O Conde D'Abranhos " de Eça de Queiroz e é quase tudo actual, que é como quem diz, em questão de mentalidade, os nossos políticos continuam em pleno séc. XIX!

Anónimo disse...

Tenho que ler escritores portugueses antigos. Não só porque é bom para bem escrevermos, como também pelo que diz que diz a f.r.
Mas o banco de trás pode ser muito bom.

manuel disse...

Estou com a f.r. Televisão? Não.

loiraquenãoédeaveiro disse...

Olá, há quanto tempo? Então não é melhor ir para o banco de trás? Bem, há vezes em que não, mas isso são excepções.

Anónimo disse...

O lorpa é o que se fica pela televisão. A propósito, ataquem a pimbalhada televisiva, ó gastã, crispim e karateca.

zmb disse...

O lorpa nº2 tem alguma razão, é engraçado ir para o sofá e ver programas daqueles e ao mesmo tempo embaciar uns vidros quaisqueres, então... junta-se o útil ao agradável.

Nada melhor, embaciar vidros ao som melodioso de um relatador televisivo ou do tom de voz métrico e compassado do nosso 1ºM.

alberto joão disse...

Post algo imoral, um tanto comunista. Desculpe senhor gana, mas hoje tenho que lhe dizer isto.

Mirtota disse...

Estive por não comentar este post, sinceramente, à primeira leitura não me agradou o que li.
Mas, após nova leitura mudei de opinião, perguntando-me porque é que este diálogo é realizado entre dois indivíduos?
Relativamente ao lorpa, fico preocupada com ele! Não é preferível ocupar o tempo de uma forma mais agradável, praticando algum exercício, por exemplo, do que despender tempo com debates e resumos de futebol (que ainda por cima já se sabe o resultado).
Ele há cá cada um!!!!!!!!!!!!!!!

silvana disse...

è verdade ó mirtota. Mas parece-me que o gana quer mesmo dizer isso. Parece-me que ele quer dizer que é preferível ir para o banco de trás do carro fazer sexo. Sexo seguro, está claro.

Zíngaro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zíngaro disse...

"Onde é que vais logo à noite" (sem ?). Bem. Bem vistas as coisas, temos, em primeiro lugar, que nos situar na hora e no dia da semana em que lemos o post. Ou seja: é evidente que se o lermos num Domingo à tarde, para a maioria das pessoas a resposta será: vou para a cama porque amanhã é segunda-feira. Se o lermos na segunda-feira à tarde, a resposta só pode ser uma: vou descansar porque, a seguir a um fim de semana assim, só podemos estar "de rastos" após esta terrível segunda-feira. Na terça já podemos eventualmente ter recuperado um pouco do último fim de semana e da terrível segunda-feira. Arriscamos em ir beber um cafézito ou uma água. Na quarta, como efectvamente já recuperamos um pouco do ainda muito lembrado fim de semana, somos tentados a arriscar um treino muito ligeiro para a jornada do próximo fim de semana. Na quinta, já começamos a pensar na noitada de sexta. Na sexta ou passamos uma boa noitada e, aí, o sábado é como uma segunda. De outro modo, procedemos na sexta como se fosse uma segunda e aí teremos seguramente o espírito de passar uma merecida noitada de sábado como uma verdadeira noitada de sexta em que, após uma semanada de árduo trabalho, o que nos apetece mesmo na sexta à noite, é "ir p´rá desbunda"


20 de Maio de 2008 22:02

Quito disse...

Olá amigo Gil!
Este é para ti. Um abraço.

«Há cidades cor de pérola onde as mulheres
existem velozmente. Onde
às vezes param, e são morosas
por dentro. Há cidades absolutas,
trabalhadas interiormente pelo pensamento
das mulheres.
Lugares límpidos e depois nocturnos,
vistos ao alto como um fogo antigo,
ou como um fogo juvenil.
Vistos fixamente abaixados nas águas
celestes.
Há lugares de um esplendor virgem,
com mulheres puras cujas mãos
estremecem. Mulheres que imaginam
num supremo silêncio, elevando-se
sobre as pancadas da minha arte interior.

Há cidades esquecidas pelas semanas fora.
Emoções onde vivo sem orelhas
nem dedos. Onde consumo
uma amizade bárbara. Um amor
levitante. Zona
que se refere aos meus dons desconhecidos.
Há fervorosas e leves cidades sob os arcos
pensadores. Para que algumas mulheres
sejam cândidas. Para que alguém
bata em mim no alto da noite e me diga
o terror de semanas desaparecidas.
Eu durmo no ar dessas cidades femininas
cujos espinhos e sangues me inspiram
o fundo da vida.
Nelas queimo o mês que me pertence.
o minha loucura, escada
sobre escada.

MuIheres que eu amo com um des-
espero fulminante, a quem beijo os pés supostos entre pensamento e movimento.
Cujo nome belo e sufocante digo com terror,
com alegria. Em que toco levemente
Imente a boca brutal.
Há mulheres que colocam cidades doces
e formidáveis no espaço, dentro
de ténues pérolas.
Que racham a luz de alto a baixo
e criam uma insondável ilusão.

Dentro de minha idade, desde
a treva, de crime em crime - espero
a felicidade de loucas delicadas
mulheres.
Uma cidade voltada para dentro
do génio, aberta como uma boca
em cima do som.
Com estrelas secas.
Parada.

Subo as mulheres aos degraus.
Seus pedregulhos perante Deus.
É a vida futura tocando o sangue
de um amargo delírio.
Olho de cima a beleza genial
de sua cabeça
ardente: - E as altas cidades desenvolvem-se
no meu pensamento quente.»

Herberto Helder
Lugar
Poesia Toda
Assírio & Alvim
1979

Banqueiro Traseiro disse...

Eu cá por mim apoio a do banco de trás. Sempre tive boas experiências com os bancos de trás e aconselho. Para quem não sabe como é bom, atiro-lh à Camões em " Os Lusíadas " : " Milhor é experimentá-lo que julgá-lo, mas julgue-o quem não pode experimentá-lo".

o que me vier à real gana disse...

zíngaro, "onde é k vais logo à noite" já implica, pela formiulação, o "?". Logo, mete-lo seria uma redundância - bem sei k o habitual é a redund^ncia... e k os espanhóis até a duplicam. Nobre e culto amigo, preferi- eu k às vezes até uso e abuso da pontuação -, no presente caso, não fazer uso da mesma.
O k dizes a seguie tá genial. Só uma coisita muito pequenina,macito: a pergunta refere-se MESMO a sábado!

o que me vier à real gana disse...

Quito, grande evocação! Herberto helder, um dos MAIORES... E logo hoje que, numa pequena vila sem ar condicionado - toda ela - e sem estrelas por companhia, me senti quente, e fresco, numa só aparente paradoxal mistura, num todo inefáfel miscigenado. Uma ocasional mulher cuja candura não pude constatar, pois apenas tive acesso ao "pacote" - pronto, invólucro -, foi a enzima.
E logo hoje!

o que me vier à real gana disse...

banqueiro traseiro, porreiro!

JOSE TERRA disse...

BOAS
Qual o mal de sair com uma marisa!
Ao sabado podemos sair com quem quisermos,temos é que acabar no banco de trás.podemos tambem sair com uma maria e acabarmos num bar(destes novos que há agora)de frente a um plasma a comentar o debate.Não podemos é deixar que uma marisa ou maria qualquer nos obrigue a ver um sporting/setubal.
Ai sim, são os verdadeiros LORPAS....
conclusão:fujam das marisas,marias e dos nossos LORPAS AO SABADO.

Anónimo disse...

É isso Zé Terra, bem observado.

Darwin disse...

Isto pode parecer contraditório, mas não é. É apenas porque, a maior parte das vezes, estou a ver televisão e a rosnar palavrões ao mesmo tempo, tal não é a parvoíce pegada que para ali vai.

Bem sei que ninguém tem pachorra para televisão intelectual, caso contrário o canal 2 seria campeão de audiências.
Claro que um gajo chega a casa cansado do trabalho, lixado com o patrão, e ainda tem que aturar os putos, claro que um tipo quer é reality shows e novelas para a carola, para ver se esquece a porcaria da sua própria vida. Bem sei que as televisões são empresas comerciais que querem apenas fazer dinheiro. Não andam ali para ensinar ninguém, nem para assumir um papel filantropo.
Bem sei que estou a ter outro choque cultural. A única coisa que me lixa é que, desta vez, é com a minha própria cultura.

Será que sou um ser anti-social? Ok., sou lorpa. Mas porque raio há-de ir um gajo, todos os sábados à noite com os amigos para uma discoteca? Alguém me sabe responder?
Tenho certas dificuldades em entender qual é o interesse das pessoas mexerem-se de forma ritmada, por uns sons criados por um gajo com uns auscultadores nos ouvidos. Não compreendo qual é o interesse de beber bebidas alcoólicas até cair para o lado, ou vomitar tudo quanto é sítio. Mas pronto, não liguem! Hoje acordei com a cabeça encostada aos joelhos.

Sobre o Tratado de Lisboa, ouvi dizer que irá ficar sem efeito, pois Sócrates rubricou "Sócrates O Magnifico" em todas as páginas.

Depois da escolha do novo aeroporto de Jamé e da nova travessia do Tejo, Mário Lino encerra-se no seu próprio gabinete e engole a chave.

moimême disse...

O Sr Darwin parece-me ser pessoa de elevada intelectualidade, conhecedor das políticas e dos politiqueiros ( que são os políticos do nosso País ), pelo menos a ajuizar pelos seus comentários, todos eles transbordando sabedoria. Então, e com todo o domínio que tem das várias questões que afetam os portugueses, nunca lhe deu assim uma espécie de coceira, por ver que não há soluções definidas para tirarem este pobre país do marasmo a que o condenaram todas as cabecinhas pensadoras que há décadas vêm segurando o leme deste barco sem rumo que se chama Porttugal? De que serve assistir a debates televisivos de qualidade, ouvir na T.S.F. as sessões do Parlamento, mantermo-nos informados e atentos, etc., etc., etc.,...?
Eu tenho que concordar com a juventude. Melhor " abanar o capacete " na discoteca, do que abanar a cabeça com frustração pela impossibilidade de levar o eco do nosso descontentamento até aos " cultos " actores que representam no palco da nossa política.
Subscrevo na íntegra a sugestão deixada pelo amigo Banqueiro Traseiro ( que nick bem apanhado )! Passem as vossas horas de ócio nos bancos traseiros,que é muito mais proveitoso, pois que já dizia o outro : " All we need is love..."!

afonsinho disse...

Senhor gana, desculpe mas este post
é um pouco imoral. Eu, como o meu amigo Alberto João, somos um pouco conservadores. Mas pronto, a nossa dedicação à Gânia leva-nos a desculpá-lo.

Olho Vivo disse...

Então por onde andam os lorpas e as lorpas ?

Vitorino Sócrates disse...

Descobrimos isto agora. É bom. Nós também preferiamos ir embaciar dois carros, com as nossas garinas, do que ouvir os nossos discuros.

Darwin disse...

Cara amiga Moimême, (permita-me que a trate assim)

Em primeiro lugar queria apresentar as minhas sinceras desculpas. Vi logo, que hoje não estou nos meus dias. Mas nada tenho contra os jovens que todos os sábados vão para uma discoteca “abanar o capacete”. Pelo contrário!
Compreenda que já não tenho idade para isso. Imagine eu ir todos os sábados a uma discoteca, para “abanar o capacete”, ficaria com as ideias todas baralhadas, além de poder ainda partir os óculos que me custaram um dinheirão.
Por isso vou-me entretendo a ler uns livros e a olhar pela janela, ver que não há nada de especial no céu, somente algumas nuvens aqui e ali... aí chega alguém que também não tem nada para fazer e pergunta: - Será que vai chover! E eu respondo: - Provavelmente!
Sobre política, nunca vou deixar de divulgar as minhas opiniões, nem abdicar dos meus direitos cidadania, mas detesto guerras de protagonismo, e tenho urticária a tudo o que me cheire a «política de mau gosto» e similares. Claro que isto é apenas a minha opinião!
Mas eu posso modificar. Eu tenho controle sobre a minha vida e ela sobre mim. Quero viver para um dia morrer. Não quero morrer enquanto vivo. Quero ser feliz. Quero respirar. É isso que eu quero!

afonsinho disse...

Eu, e os que por aqui andam, não somos nenhuns lorpas, ó olho vivo. Vê lá se queres que eu chame o gastão, o crispim e o karateca.

furriel disse...

Quem são o gastão, o crispim e o karateca? Se forem os que olham pela segurança aqui do sítio eu ofereço-lhes os meus serviços.

afonsinho disse...

Ó furriel,tens que obedecer a uma regra pá. Tens em primeiro lugar que comentar o post. Assim manda o senhor gana. Se já cá andavas, sabias disto. Se é a primeira vez, ficas a saber.

furriel disse...

Obrigado afonsinho. è a primeira vez sim. Peço desculpa ao dono do blog. Vou então comentar. Para mim, se tiver uma namorada, vale sempre mais a pena ir para o carro do que para a discoteca.

carlão disse...

A família jantava tranquilamente quando, de repente, a filha de 10 anos comenta:
- Tenho uma má notícia ... Já não sou mais virgem! Sou uma vaca!
E começa a chorar, convulsivamente, com as mãos no rosto e um ar de vergonha.

Silêncio sepulcral na mesa.

De repente, começam as acusações mútuas:
- Isto é por tu seres como és! - Diz o marido à mulher - Por te
vestires dessa maneira leviana e te arreganhares para o primeiro
imbecil que vem aqui a casa. Claro que isso tinha que acontecer, com
este exemplo que a Menina vê todos os dias!
- E tu? - O pai aponta para a outra filha de 20 anos - que ficas no
sofá a lamber aquele palhaço do teu namorado que tem pinta de chulo!?
Tudo na frente da menina!

A mãe não aguenta mais e retribui, gritando:
- E quem é o idiota que gasta parte do salário em bares de prostitutas e se
despede delas à porta de casa? Pensas que eu e as meninas somos
cegas?! E, além disso, que exemplo podes dar se, desde que assinas
esta maldita TVcabo, passas todos os fins-de-semana a ver pornografia
de quinta categoria?

Desconsolada e à beira de um colapso, a mãe, com os olhos cheios de
lágrimas e a voz trémula, pega ternamente na mão da filhinha e
pergunta baixinho:
- Como foi que isso aconteceu, minha filha?

E, entre soluços, a menina responde: A professora tirou-me do presépio! A Virgem agora é a Luisa, eu vou fazer de vaca....!!!.

Moimême disse...

O Sr. Darwin tem todos os direitos. Pelo menos devia ter os preconizados pela Constituição, e pelos Direitos Humanos, no mínimo. Mas o que o leva a concluir que eu seja " amiga Moimême "? Se quiser chamar-me amigo Moimême, estamos conversados, aperto-lhe a mão. A gora dirigir-se no feminino a quem faz a barba diáriamente, isso é um direito que não lhe dou a si nem a ninguém.

Darwin disse...

Mais uma vez, as minhas sinceras desculpas. Realmente hoje não estou nos meus dias, nem sequer devia postar. Desculpe amigo Moimême e até amanhã!

Anónimo disse...

lorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpalorpa

Anónimo disse...

E o lorpa sou eu ?
O ruim sou eu ?
O péssimo treinador sou eu ?
EHHHHH !!!

cristina disse...

Carro, mas atenção, sempre preservativo.

manuel disse...

O anónimo das 17:58 esteve muito bem.

errante disse...

Ei pessoal, há por aí alguma menina que queira dar uma voltinha de mota comigo no feriado? Não dá p'ra embaciar, mas...
Brrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

alberto joão disse...

Mas quanta imiralidade grassa nesta Gânia!

Mirtota disse...

Errante, não dás musica no feriado?

Anónimo disse...

Este Alberto João é mesmo facho assumido, conservador nato.

Anónimo disse...

Olha, o que é que a mirtota quer do errante? Eles conhecem-se. Se calhar é ela a verdadeira namorada dele.

Anónimo disse...

Dele, do gana. Porque eu sei que o errante é o gana.

alberto joão disse...

Amigo anónimo, sou só pelos bons costumes.

Anónimo disse...

Isso também eu sou. Não é preciso ser-se assim tão moralista.

alberto joão disse...

Bem, homem, se é pelos bons costumes isso já me basta para o ter em consideração. O anonimato é que não lhe fica muito bem.

Anónimo disse...

Obrigado, senhor da Madeira. Quanto ao anonimato, vai ter que me desculpar. Prefiro assim.

o que me vier à real gana disse...

Eh pá, isto agora está outra vez animado... mas, como sabem, já há novo post.