quarta-feira, 15 de abril de 2009

As saudades são de quem?

AS SAUDADES SÃO DE QUEM?


Ao telefone, o namorado, ausente, para a namorada… e vice-versa:

- Olá morzinho!, tudo bem? Tenho muitas saudades tuas!
- Olá môr, também tenho! Mas, espera lá, tens muitas saudades minhas!?
- Sim, muitas mesmo.
- Não me parece.
- Desculpa, tenho montes de saudades tuas. Não duvides!
- Não, eu não duvido dos teus sentimentos. Duvido é da legalidade sintáctica da expressão. Quer dizer, não duvido nada, sintacticamente até nem vejo problema algum, o que eu noto é uma total desvalorização da lógica… pasmaste? Não dizes nada? Môr, há nessa frase uma absoluta desvalorização da lógica, e isso não é legal. Consideras despicienda a coerência?... Continuas pasmado, já vi. Olha lá, a gramática é importante, bué, não supera, contudo, em valor de mercado comunicacional, aquelas duas.
Môr, eu também tenho muitas saudades… de ti, não tuas. Entendes?
- Pronto, pasmei mas percebi. Morzinho, o essencial em comunicação é entendermo-nos, e tu entendeste-me. Quiseste escrever um pequeno ensaio sobre o assunto, né? Tá, só de ouvir a tua voz já se me alegra o coração! Podes avançar para o tratado.
- Desculpa, môr!
- Nada, nada, continua até findar o saldo.
- Olha, vê lá se te despachas, quero matar essas saudades o mais breve possível.
- Eh lá, eh lá, agora sou eu que ensaio: “matar essas saudades!?”.
- Sim, tu não queres!?
- As saudades não se matam, minha querida, quando muito adormecemo-las… ou elas não voltam quando nos separamos de novo? Se estivessem mortas…
- Tens razão, como tudo neste sistema, elas não ressuscitam. Beijinho!
- Beijo grande!




Carlos Jesus Gil

19 comentários:

Cadinho RoCo disse...

Se pode complicar pra quê simplificar?
Cadinho RoCo

Nanda Assis disse...

morro de saudadesss.

bjosss...

Darwin disse...

Meu Amigo, a Saudade não morre...renasce das cinzas até ao fim e para lá ... do fim! Muito para lá...Em lugares ignotos, onde não se pode chegar!
Mas para tristezas, já basta a situação económica do país.

Pena disse...

Admirável Amigo:
Um post original. Interessante. Significativo.

Abraço cordial de amizade e imenso respeito.

pena

loirinhaquenãoédeaveiro disse...

Boa questão: de quem são as saudades? E depois dizes bem: as saudades não morrem, podem esconder-se uns tempos, mas não morrem.

Bom trabalho para todos

Macaco Extinto disse...

É..., tem lógica!

I.D.Pena disse...

As saudades não se matam não se guardam num bolso não nada, as saudades são para ser lidadas da melhor forma. Seja qual for essa forma.
Obrigada pela partilha.

batutaemeia disse...

É pá, excelente questão.

Monique Frebell disse...

Carambaaa! Que perda de tempoo! Se agarrem logo e matem essa saudade, ou melhor, a adormeçam... rsrs*

Monikisses!

Je Vois la Vie en Vert disse...

O mor(zinho) não vem de mor domo ?
ou me engano ou já percebi as saudades...
Mor(zinho), traz-me um cafézinho SFF... :)

beijinhos bem dispostos da

Verdinha

linda disse...

Tá boa, bué. Nunca tinha pensado nisso das saudades. De quem são elas afinal? Tens razão rsrsrs tu-me a rir mas é verdade. tens razão

Bj

GMV disse...

Uma espécie de gramática saudosista.

Beijo grande, Carlos :)

Laurindo disse...

As saudades são de quem as tem. essa é que é a verdade.

Mai disse...

Olá,

Vim retribuir a tua visita e li um texto bastante interessante.
Saudades... de quantos sentimos, não?

Abraços, apareça sempre, por lá.

Carinho,

Mai

Ana Maria disse...

Êta saudade danada!
Saudades é ausência de alguém preferido.
Beijinhos de saudades!

Jaquelyne A. Costa disse...

Carlos, eu acho que aqui vale muito a pena também!

Beijos=*

Áires Cássia disse...

Bom dia...muito bom o seu texto...achei maravilhoso.
Obrigada pela visita....sempre estarei por aqui.

O seu blog tb vale apena.

Beijos

BOTINHAS disse...

Amigão o que me vier...
Obrigado pelos votos de boa Páscoa.
Que tenha sido boa para ti, também.

Abraço fraterno
Botinhas

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, tudo isso era para provar que está com saudades?!

Fique com Deus, menino Carlos.
Um abraço.