sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Um dia à tarde, já bem perto da manhã

UM DIA À TARDE, JÁ BEM PERTO DA MANHÃ



- Ai que laranjas tão docinhas ali vão naquele camião que tão suavemente desliza sobre o alto cabo de muito alta tensão!
… E a assembleia toda a olhar… para o ar!
Um, da assembleia:
- Mas, como é que tu sabes? Nunca as provaste!
- E tu, como sabes tu que eu nunca as provei?
Outro, da assembleia:
- Deixem-se mas é de lérias! Nós nem sequer existimos… Existo eu, e aquele, e o outro atrás dele, e aquele ali, e o que está ao lado dele, e o que está ao lado seja de quem for mais a sua referência de localização… e tu que atónito me fixas… Agora nós?... Nós não existimos!
E assim continuaram pela tarde fora, surrealistas e existencialistas, enquanto aguardavam o pequeno-almoço.




Carlos Jesus Gil

10 comentários:

Daniel Savio disse...

Uia, meio confuso o final do texto, pois os elementos que compoem da assembleia existem, mas não ela e si...

Será que por que cada um tem uma opinião diferente sobre o assunto da laranja?

Fique com Deus, menino Carlos.
Um abraço.

Darwin disse...

Não sei porquê mas gostei desta mensagem existencialista e absolutamente surrealista. Diversidade de opiniões, crises existenciais. Ou será que o instrumento perplexo ignora
o mistério? Que grande confusão, pá!

Carlos Rebola disse...

Caro Carlos Gil
É pena, realmente, ainda haver alguém que só pensa no singular, pior, muitas vezes no singular próprio.
Nós, temos a força que é feita da união, só que muitas vezes não acreditamos, melhor não queremos acreditar.

Ao lado das laranjas docinhas, temos tendência a sentir o seu amargo, como das rosas os espinhos, mas ao lado do camião no alto cabo de alta tensão deslizam á velocidade da luz os electrões, amargos ou doces de cor laranja ou não, são energia, força motriz que a assembleia, nós, usa como pode e sabe. A realidade tenta emitar o surrealismo…

Um abraço
Carlos Rebola

Laurindo disse...

Excelente post, gil. Excepcional interpretação do sr. Carlos Rebola. Ao lê-la penso que faz todo o sentido. Parabéns aos dois.

Anónimo disse...

Tarde feliz para todos!

Um diálogo genial entre um surrealista e um existencialista. Até os ditos do narrador são geniais.
O comentador Carlos Rebola faz mesmo um comentário muito inteligente e conhecedor.

dragao vila pouca disse...

De facto este Gil não é para todos...o rapaz é um quebra - cabeças constante.
Um Sudoku dos mais complicados.

Um abraço e bom fim-de-semana.

PS- prometo ser benevolente.

GMV disse...

Adorei, Carlos! Pelo surrealismo existencialista...

Beijos meus e bom fim-de-semana

batutaemeia disse...

Muita gente está a compreender isto, só eu não entendo patavina. Tenho que ler mais eheheh

AZUL DRAGÃO disse...

Carlos :

Aqui está a explicação para o famoso APAGÃO .
Afinal , não foi a coitada da cegonha...foram as laranjas !


Um abraço ( e que ganhe o que mais merecer )!

São disse...

Brilhante exercício!
Bom fim de semana.