quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

O inevitável não nega a oposição!

O INEVITÁVEL NÃO NEGA A OPOSIÇÃO!


Rodeiam-nos disparidades em todos os sectores… Por vezes, abomináveis disparidades! Não devemos habituar-nos a elas, temos, no mínimo, de nos esforçar por isso!
Tolice seria, também, iludirmo-nos (bem sabemos o que foi e o que será…), mas a mitigação é o almejo racional, como tal é mister opormo-nos ao teatro instalado. Por si só, tal acto provocaria, certamente, mudanças – pequenas (os átomos também são pequenos e resultam, quando percorridas as devidas veredas, em majestáticas enormidades) mas boas – nos actos do mesmo.
Desprezível displicência! Anacrónica abulia.




Carlos Jesus Gil

18 comentários:

seixomirense disse...

Um bocado complexo para quem acabou de sair do trabalho. Pelo que percebi, pertences a uma banda?

Turn Chaos Into Art disse...

Iludirmo-nos é quase sempre uma tolice inevitável. Quase sempre.

Obrigada por seu comentário no Turn Chaos Into Art.
Não mandarei embora ninguém agora, não tenho sequer o agora para isso. Cuidarei de quem ousar cuidar de mim. Nos parece justo? Ou ao menos, parece bom, muito bom! =D

Boa noite, bom descanso!

Anónimo disse...

Vivam! Até a mim, que tudo leio, isto me parece demasiado complexo. Estarás contra a resignação?
É uma possibilidade. Já nos habituaste a tudo, ao simples e ao complexo; ao muito complexo. Ao curto e ao comprido. às coisas sérias e às brincadeiras. Vou ler mais vezes.

Anónimo disse...

O anónimo anterior e este sou eu, o Leitor. Problemas técnicos estão a impedir-me de me "identificar".

anónima funcionaria pub disse...

Se com isso tudo queres dizer que temos de nos unir para por na rua esse monte de inúteis que nos governa, conta com o meu voto, que eu tou sempre a postos para a luta.
Se não era isso...não entendi. A minha cabeça ainda lateja com o malfadado 5.

Pico minha ilha disse...

A ilusão é uma constante da vida.Abraço

Darwin disse...

Rodeiam-nos disparidades em quase todos os sectores, isto de facto está assim e parece que pouco se faz para que mude. Temos um governo que continua a ignorar a parte Social e temos uma oposição que continua incapaz de ultrapassar a chicana rasteira. Só cai na torpeza e na má-fé, sem honestidade intelectual para análise dos problemas e das conjunturas, sem preocupações quanto às suas próprias responsabilidades, sem ideias na cabeça quanto ao futuro.
Não querendo ferir almas susceptíveis, a única coisa que me ocorre perguntar é: Temos alternativa melhor?

batutaemeia disse...

Bem, isto é para o complicadito. Mas penso que não tem nada a ver com o jogo de ontem. Sei que o gil é sportinguista, mas não tem a ver com o jogo. Penso eu de que.

Luiz Caio disse...

Olá Carlos! Como vai?

Dificil fazer um comentário sobre esse texto! Mas sei que tudo sempre faz sentido depois que conseguimos perceber o sentido...

TENHA UMA ÓTIMA TARDE!

Anónimo disse...

Oi. Gil, este texto é muito difícil pá.
Bj

Anónimo disse...

O anónimo atrás sou eu, a Linda.

JOSE TERRA disse...

boa tarde
é facil , se não tens aquario !?
como é possivel vocês não saberem andar nisto?
É UM HOME QUE COME OUTRO SR. CARLOS.

Laurindo disse...

É pá, ás vezes sais-te com cada texto! Cá pra mim tem a ver com política, com futebol, com tudo na vida. As disparidades encontramo-las em tudo.

loiranãoburra disse...

Ei gil, esta nem eu que nao sou burra.

bj

Cadinho RoCo disse...

Não há como evitar as surpresas que surgem a todo instante.
Cadinho RoCo

Mariazita disse...

Cheguei há cerca de meia hora e já estou ao leme…

Venho, em nome da Líria, agradecer a visita ao Lírios.
Ela voltou à sua actividade normal de estudante,
que a obriga a manter-se afastada.
Na sua ausência, tentarei manter o barco em andamento.

Espero poder continuar a contar com a tua visita.
Até sempre.

Beijinhos
Mariazita

loirinhaquenãoédeaveiro disse...

OLá! Este é mesmo daqueles à tua maneira. Irra! eheheh

bj

Daniel Savio disse...

Mas tente filtrar os que lhe dizem, mesmo uma pedra atirada em ti, pode servir para construir a sua casa.

Fique com Deus, menino Carlos.
Um abraço.