quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

O pasmo

O PASMO




- Isso é o que tu dizes.
- Pois é, mas eu também posso dizer que o que tu dizes é o que tu dizes.
- Então diz!... Vá, anda, diz!
- E digo, e digo!
- Então diz, pá!
- Pronto: isso que tu dizes é o que tu dizes!
Entretanto, olhando para a mesa repleta de garrafas e de copos, o dono do bar, um senhor conhecido e amigo, indaga:
- Pessoal, esta loiça é cá do bar ou é vossa? É que se for cá da casa vou arrumá-la.
O pessoal pasmou!




Carlos Jesus Gil

15 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

Quando entramos de sopetão por vezes somos surpreendidos.
Depois de ler, parece-me que li bem, sem elo de ligação nenhuma, lembrei-me daquele asno que morreu a rir, pelo filosofo ter comido os figos quando estava bêbado.
Ai foi ao contrário?
Então está bem ...
Depois dumas copadas valentes e mesmo que se seja valente, chegamos ao ponto de pasmar e os outros também ficarem pasmados.
O nosso pasmar, depois de bem bebidos é o ponto de delíquio, aquele "além" em que nos liquefazemos.
Somos, aliás os únicos sólidos que nos liquefazemos, porque os outros (sólidos) derretem-se.
O ser humano, pelo que sei de química, é um elemento bizarro.

Nanda Assis disse...

vc é um típico portugues mesmo.

bjosss...

dragao vila pouca disse...

Eu digo e é o que eu digo: bebe água que faz bem à saúde.

Um abraço

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, mas era tão tarde assim senhor Carlos?

Fique com Deus, menino.
Um abraço.

Darwin disse...

Epá,.. Nem sei o que dizer... Devia haver uma lei universal para estas coisas!
No sábado à noite estava com uns amigos num bar a beber umas cervejas, o tema da conversa era o casamento homossexual, no calor da discussão, um dos meus amigos coloca uma questão pertinente: “vocês ficariam Incomodados se tivessem um filho homossexual?”. Quase todos demos uma resposta politicamente correcta, do género: “Claro que não, desde que fosse feliz” ou “De maneira nenhuma, apesar da nossa sociedade marginalizar as minorias”. Surgiu entretanto uma resposta, para mim, digna de ser apreciada e considerada “A mim incomodava-me era ter um filho estúpido”. Quanto a mim, com esta simples resposta, conseguiu não só não discriminar a orientação, o género, a raça ou a religião como focalizar-se naquilo que realmente importa: o indivíduo e aquilo que o pode ou não diferenciar dos demais (as características de personalidade).
Pasmados? Eu fiquei. Muito bem...assim dá vontade de dizer o que ele diz, doa a quem doer!! Bom feriado.

linda disse...

LOL, bué fixe. Tenho quir lanchar

Laurindo disse...

Estas etiquetas brincadeira são um mimo pra rir mas também têm o seu quê de sério.

loirinhaquenãoédeaveiro disse...

Mais uma de partir...

bj

Régis Castro disse...

rsrsrsrsrs

Belíssimo...

Eu certamente estaria pasmo desde o momento que começaram os...

"o que tu dizes é o que tu dizes"

Me diverti a beça..

Abraços...

Carla disse...

eu também digo...de pasmada que fiquei!
beijos

AZUL DRAGÃO disse...

Estavam todos com os copos .
É como tu dizes !

▀█ Camila Siqueira ♣ disse...

Diga bo dizes e diag quem tu és!

Joana disse...

Oi meu lindo.
Pasmado vais ficar tu quando vires quem andou aqui.
Muito bem!!!!!! Eu já não pasmo muito, afinal já conheço umas poucas tuas assim como a dos três ZÉS. Só tu mesmo para escrever textos como estes.
Um beijão muito grande para ti.
porta-te e fica bem.
Recebe tambem um grande beijinho da tua afilhada linda.

loiranãoburra disse...

Eheheh tá mais uma vez demais

Bj

o que me vier à real gana disse...

Olha-me a Joana aqui!... É minha comadrita, tem uma bebezita e eu sou o padrinho.
Bj pr'á minha afilhadita... vá lá, e tb pr'á mâe!