quinta-feira, 31 de julho de 2008

Desplante, ou pior!

DESPLANTE, OU PIOR!


Os lucros da EDP subiram, no primeiro semestre deste ano e face a igual período de 2007, 66.6%, para 703 milhões de euros (Lusa, 30 de lulho de 2008). “ A EDP é hoje uma verdadeira multinacional. Mais de metade dos seus resultados provêm de outras geografias, principalmente de Espanha e do Brasil “ (António Mexia).
Ora, com lucros verdadeiramente dignos de “uma verdadeira multinacional”, e, ainda por cima, vivendo nós um clima económico tão desfavorável, será preciso muito mais do que desplante para, através de entidade eticamente questionável, vir, a mui bolsística empresa, pôr-se a jeito para, institucionalmente e conforme ao Direito, deixar de ter “crédito mal-parado”…, pois, suportando-o nós! Ou seja, a digníssima empresa veria com bons olhos um acrescento à factura dos bons pagadores, como forma de colmatar as dívidas dos que não pagam! Pelo menos em conjectura, podemos acrescentar que alguns destes, a quem pagaríamos a “luz”, terão bonitas e sólidas vivendas, bem como excelentes automóveis, pois são ou eram industriais.
Meus amigos, ou obrigam-nos a pagar, ou paguem vocês, que são empresa de monta… grande! Alguém, há uns dias, vos tirou a papa da boca.




Carlos Jesus Gil

23 comentários:

Bacano disse...

Meus senhores, esses fulanos são uns exploradores. Pudera, não têm concorrência!

Maria Zua disse...

Amigo Gil, mais uma vez concordo plenamente contigo. Foi uma das boas decisões do actual governo em não aceitar mais esse acréscimo na nossa conta.Só é pena que a taxa Robin dos Bosques não seja mais elevada. Se a empresa em questão vencesse,estariamos a viver o filme "Ali baba e os 40 ladrões", assim como,estaria a dar-te resposta á luz de uma vela....

Darwin disse...

A recente proposta da ERSE / EDP, de facto é inenarrável. Mas, pelos vistos, ainda colhe alguns apoios. Há uma imensa hipocrisia nisto tudo.

Numa nota divulgada pela Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, a EDP diz que o resultado líquido passou de 422 milhões de euros no final de Junho de 2007, para 703 milhões de euros no final de Junho de 2008.

Se consegue taxas de crescimento nos lucros da ordem dos acima indicados, onde está o défice tarifário de que só os consumidores são responsáveis.
A EDP não está a ter prejuízo com as dívidas incobráveis, porque elas estão já a ser absorvidas pelas margens de lucro existentes. Como o lucro não chega, parece mal dizer isso em tempos de crise, fala-se duma taxa nova associada a um processo (o de cobrança de dívidas) que todos conhecemos, sabemos que é complicado e que entope os tribunais. Assim, ganha a simpatia de alguns, enquanto nos lixa a todos. Brilhante!

Foi ridícula a consulta pública. Quem é que quer pagar as dívidas dos outros? Que eu saiba… ninguém! É preciso ter lata!
Bem, se isto fosse para a frente, lá teria eu de deixar de pagar a luz… poderia ser que alguém a pagasse, mais tarde, por mim!

mélita disse...

É por isso que sou a favor da concorrência.

beato salú disse...

É por isso que em casa só à luz das velas. É mais aconchegante, mais romântico, mais ecológico e dá para brincar ao "Quem soprar e apagar perde". Eu curto as velas...e detesto a EDP.

Anónimo José disse...

Eu gosto da EDP, acho que ainda deviam cobrar mais. Não é nada fácil levar a electricidade das barragens para tudo quanto é sítio. Não conheço mais ninguém que o consiga fazer, só a EDP. Também gosto do Mexia porque é um senhor muito bem vestido e fala bem. Estes gestores bem vestidos e que falam bem têm que ser bem pagos, também é por isso que a EDP tem que se cobrar dos seus serviços, e bem. Se cobrasse menos se calhar o sr. Mexia tinha que usar fatos baratos e andava de renault clio. Isso dava muito má imagem no estrangeiro. Se queremos ser um país moderno temos que ter gestores bem vestidos e bem falantes.

Mirtota disse...

É preciso ter muita lata, realmente!!!!
Só vejo duas saídas para combater este desplante da EDP, ou deixamos de pagar as contas á espera que alguém as pague por nós, ou arranjamos um “familiar” que seja funcionário da EDP para apenas pagarmos uma pequena taxa (sim, porque os funcionários da dita usam e abusam e pagam uma coisa mínima, só “para inglês ver”).

Anónimo José disse...

Também gostei muito do solilóquio do sr. Cavaco. Interromper as férias, deixar o país o dia inteiro em suspenso para dizer o que disse !
Ai e tal, porque se quiser dissolver a assembleia da república ouço 1 ou 2 e, zumba, já estás...e se for a dos Açores também tenho que ouvir o presidente deles, por duas vezes e isso é um bocado chato.

bairadino disse...

Sim, é preciso atrevimento. EDP, explora bens públicos, como a força cinética da água e do vento.; enriqueces e compras participações que te permitem tornar "multinacional". mas não abuses do POVO. Olha que é este quem tudo paga, mesmo o que também é dele: os bens públicos.

cristina disse...

anónimo josé, realmente esta do cavaco quem é que a compreende? Os políticos, com certeza.
A EDP, gil, abusa da paciência do povo.

Darwin disse...

Chegou Agosto. O mês das férias. O mês do sol, da praia. O mês do regresso dos emigrantes. Mês de emigrantes essa espécie rara... dizem vocês! Emigrantes agora são aos milhões, (pronto!…não exageremos, aos milhares), são tantos que vale a pena perceber melhor o funcionamento dessa espécie.

EMIGRANTE: espécie migratória com um ciclo de actividade bianual que começa por fazer a sua aparição lá por meados do mês de Julho e desaparece finalmente lá para fins de Agosto, tendo o seu grande auge no dia 15 de Agosto. Nesta data milhares de indivíduos reúnem-se em afamadas festas populares, abrilhantadas (vocábulo próprio da espécie) por famosíssimos artistas da nossa praça, vidé Nel Monteiro, ou mesmo um tal de Zelino, ou ainda o apuradíssimo duo Filipe-Veronica e para terminar Banda Lusa, qualquer um deles recomendadíssimo para as festas de Verão!!
A meio, entre uma cerveja mini e um naco de frango de churrasco, ainda dá tempo para apreciar os hábitos familiares da espécie e as preocupações dos progenitores com o bem estar das crias:

Gean Mixel? Gean Mixel qué que tu vá fairre?? Gean Mixel, tu vá tombê!!! Gean Mixel, vian issi! GEAN MIXEL, ARETÉÉ! João Miguel já te avisei, olha que levas uma tapona no focinho!!!

Terminadas as férias de praia, lá vão eles no seu Opel Calibra GTX Sport amarelo, claro está, rumo a uma qualquer aldeia perdida no mapa do nosso país, para visitarem os seus familiares e amigos.
Mas é tão bom voltar a ver as aldeias do interior cheias de jovens... a mistura de línguas diferentes... as filas na auto-estrada... as bichas na chegada à praia... os carros com música pimba ao berros!!!! AHHHHHH !!

Vai-te embora, ó mês d'Agosto!!!

Gânia "Notícias" disse...

O Primeiro-Ministro ofereceu a todos os membros do Governo um GPS da NDrive, a empresa portuguesa fabricante de sistemas de navegação por satélite.
Agora sim estamos bem entregues os governantes não se perdem pelo caminho, vai ser um espectáculo!

Este é o tipo de notícias que até dava jeito serem espalhadas para animar um pouco a moral dos Portugueses, que habituados ao bombardeamento de notícias pessimistas, acabam por ver a vida de forma mais escura do que realmente é.

beato salú disse...

Caro darwin...quase tenho a certeza que vai cá aparecer um defensor dos emigrantes a descascá-lo.
Eu não...eu venho cá apoiá-lo. Em pequeno gostava era do mÊs de Agosto, mês de férias, de praia, de brincadeira. Agora a realidade é outra bem diferente. A praia, as férias e o mês de Agosto...esses cá continuam, o problema está na PRAGA que com eles aparecem a reboque.
Se há espécie que de facto me enraivece (e não sou racista) são os emigrantes portugueses. Emigrantes esses que quando vemos a RTP em directo do Luxemburgo...cheio de cantores pimbas, bandeiras de portugal por todo o lado, cartazes a dizer: MÃE ESTOU AQUI...étc...gritam e quase se rebolam pela pátria portuguesa. Alguns chegam mesmo a chorar com as saudades e tal. O mesmo se viu com a azáfama criada à volta da selecção na Suiça.
Tudo fingimento....TUDO.
Chega o Agosto e o emigrante entra numa loja: Menina, onde é que posso "ensaiar" a roupa? No café: Psssst...psssst...quero uma botelha de água avec gas. Na praia: Rien rien meu filho, ainda TE afogues. Mas o que mais me revolta é quando por algum motivo aparece de imediato a frase: Mas na França não é assim hã ?!...ou...Well, mas na América é muito melhor...como se Portugal e desculpem desde já a asneira, fosse a maior "merda" à face da Terra.
Por favor...isto são emigrantes? Andam por aí todos aperaltados a armarem-se aos cágados a falar mal e porcamente uma mistura de sotaques que até faz arrepiar. Algum dia já viram um americano de gema com barriga, bigode afarfalhado, maltrapilho e a comer tremoços?? Eu já! O emigrante português de Newark ! Depois chegam cá com grandes carrões...caso não saibam, a maior parte deles alugados para virem para cá se armarem com aquilo que realmente não têm.
É por essas e por outras que os emigrantes a mim não me dizem nada e, quanto mais longe...melhor. Ainda bem que que só temos 2 ou 3 meses de Verão, senão era impossível aguentar esta macacada toda.
ATENÇÃO: Não estou a generalizar, mas que a grande parte deles assim é, isso ninguém pode discordar.
Caro Darwin...obrigado por ter abordado o tema.

maxmen disse...

EDP's há muitas...

Eu quero ver é como é que a Câmara Municipal de Mira vai descalçar a bota de ter enviado uma factura para os seus clientes do serviços de agua, a cobrar ALUGUER DE CONTADOR.
Outros municípios pelos menos tiveram a "dignidade" de alterar a denominação para taxa de disponibilidade, mas a CMM...
Eles bem podem contar com a minha presença na tesouraria com uma cartinha anexada à dita factura a exigir o reembolso das taxas ilegalmente cobradas...

mélita disse...

beatu salú, é verdade muito do que aqui afirma. A mim também me enervam muitas vezes, com a sua sobranceria e, por vezes, falta de civismo. Mas não são todos assim e, para além disso, economica e financeiramente são imensamente importantes para o país. Ajudam muito, com o que cá gastam, na criação/manutenção de postos de trabalho; contribuem também muito, indirectamente, com impostos para os cofres do Estado. São, por tudo isto, muito importantes... E depois também há aqueles bem educadinhos, bons convivas, etc. Mas, tem razão, muitos são como afirma.

mélita disse...

Maxmen, avante, que tem a razão do seu lado.

mélita disse...

Senhor darwin, só agora li o seu comentário. Confesso que também ri. Está engraçado, mas como já disse acima, não são todos assim. Há-os de boa índole, felizmente.

manuel disse...

Olá pessoal! Concordo com o senhor darwin e com o senhor beatu salú,mas não deixo de concordar com a melita. Parece contradição mas não é.
Agora com o que eu concordo mesmo é com o que o gana diz a respeito da edp. Boas férias a todos.

Darwin disse...

Mélita, claro que não quero generalizar, nem quero ofender ninguém...só não entendo, porque é que quando chegam a Portugal, alguns emigrantes criticam tanto o seu país e falam maravilhas do país onde residem? Não sei, mas sempre me intrigou.
Também admiro a coragem que alguns tiveram de largar o seu país e procurar melhor sorte onde ela ainda existe...mas isso não tem nada a ver com arrogância e falta de civismo.
No entanto, como não quero generalizar, dedico-lhes este poema de Manuel Alegre.

Portugal em Paris
Solitário por entre a gente
eu vi o meu país.
Era um perfil de sal e Abril.
Era um puro país azul e proletário.
Anónimo passava.

E era Portugal que passava
por entre a gente solitário
nas ruas de Paris.
Vi minha pátria derramada
na Gare de Austerlitz.
Eram cestos e cestos pelo chão.

Pedaços do meu país. Restos. Braços.
Minha pátria sem nada
sem nada despejada nas ruas de Paris.
E o trigo? E o mar?
Foi a terra que não te quis
ou alguém que roubou as flores de Abril?

Solitário por entre a gente caminhei
contigo os olhos longe como o trigo e o mar.
Éramos cem duzentos mil?
E caminhávamos.
Braços e mãos para alugar
meu Portugal nas ruas de Paris.

mélita disse...

Senhor darwin, eu sei que é boa pessoa e eloquente. Gostei da evocação de Manuel Alecre.

Maria Zua disse...

Em concordância com todos referente ao tema " Emigrantes" da maneira como a situação económica está a avançar com GPS, eu vou cantar(ainda bem que não me ouvem)o pouco que me lembro da Linda de Suza:
Uma mala de cartão e uma terra distante
o Português deixou assim seu Portugal....

È O QUE NOS ESPERA AMANHÃ... Vous comprend?

o que me vier à real gana disse...

Bem k te compreendo, maria zua. Bem apanhada. Parabéns!

stériuéré disse...

Abaixo o governo, e vivam todos os robins de que tanto a Maria Zua fala. Pois bem, no nosso país a realidade é bem dura ! Quanto menos se ganha , mais tem que se pagar ao estado. OU seja, pobres cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos. E assim finalizo o meu incomodativo comentário com a grande canção da floribela.