sábado, 6 de outubro de 2007

Sem tino

SEM TINO


Correm todos atrás
do que parado está,
mas não jaz,
que vida sempre nisso há.


Ninguém, ou quase,
saboreia o momento
que é pilar e base,
tijolo do tempo.


Apanha a flor
na altura certa,
mas sem pressa!...


Também é aberta,
a porta que fecha.
Desloca a travessa!




Carlos Jesus Gil

2 comentários:

Leonor - The Carpz ♥ disse...

Gostei deste espaço aqui :)

Tomas de Alencar disse...

Bonito poema!!