terça-feira, 8 de setembro de 2009

De volta

DE VOLTA


“ Há campanhas que podem ser em poesia, mas governar é em prosa. “




Olá pessoal! Um “ VIVA “ muito especial a todos! Esta é a minha rentrée bloguistica. Recomeço com uma citação… de citação… ou não.
Então: se, de facto, ouvi um inédito – se não o é, perdoem a ignorância… minha - da boca do nosso Primeiro, parabéns senhor engenheiro! Trata-se, tenho para mim, de um prodigioso axioma. No estádio em que em termos civilizacionais nos encontramos - todos nós, em todas as latitudes, longitudes e altitudes, em toda a ecúmena -, não existe género de governação senão em prosa. A hegemonia utilitarista do em vigor materialismo inelutável ( susceptível, porém, de a longo trecho perder o estatuto de tropa especial com colete à prova de obus), leva à inevitabilidade de um pragmatismo de processos em tudo impossível a uma aproximação empática à elevação usada por quem CANTA.
A Prosa, contudo, pode muito bem ser lavrada com alguma inefabilidade, ascender ao sublime. Não desesperemos, pois!


Bom, regressemos à regularidade da “síndrome do fim-de-semana”, pois a “síndrome do fim-de-férias”, essa por ora já era!
Bom trabalho!




Carlos Jesus Gil

20 comentários:

EternaApaixonada disse...

Bom retorno Gil!
Já sentia saudades.
Uma ótima semana com muita inspiração.
Beijos
Helô Spitali

Daniel Savio disse...

Que bom que retornou, mas pelo jeito estava de férias, então fez o que de bom?

Infelizmente, no Brasil, o governo pode até ser prosa, mas ainda continua sendo péssimo...

Fique com Deus, menino Carlos.
Um abraço.

xistosa - (josé torres) disse...

Não há recanto no mundo que erga as mãos para o céu, para o inferno ou para os deuses da aldeia, que não diga mal do governo.
Também gostava de me governar, mas submeto-me à minha ineficácia para administrar dinheiros e poderes.
Sei que desbastaria tudo sem lei nem roque e falo por milhões de portugueses, que serão como eu.
Sendo assim, tenho que me vergar à senda ambiciosa dos nossos ambiciosos seres que lá estão e pedir-lhes com "humidade" (não é erro, não) que se governem e nos governem.
É esta a vida que temos que enfrentar, salvo se tivermos oportunidade de descalhoar os altares.

Acabo com as suas palavras:
"Não desesperemos, pois!"

Uma boa semana para descansar das férias.

J P G disse...

O tal "Eng" arranjou uma equipa ministerial que conduziu um concurso por 4 anos, não disponibilizando as vagas para quem tem mais graduação e "guardando-as na gaveta" para mais próximo das eleições as atribuir a docentes com muito menos tempo de serviço.

É indecente centenas de colegas ficarem colocados nos grandes centros urbanos, em vagas que deveriam ter sido disponibilizadas para que dá aulas há mais tempo.

Também por isso, RRRUUUAAA!!!

Abraço e sê bem re-vindo!

Toninho Moura disse...

Adoro essa chuva de palavras!
Grande abraço.

aa disse...

Só venho mesmo dar um olá:) e dizer que já sentia falta de ver postagens novas por aqui... isso é que foi férias!!! Pelo menos aqui do blog...:-)
Beijos,

AA

Maria Zua disse...

Olá Boa Noite, de volta é verdade, mas não de férias, pois este verão foi duro, tentar superar uma crise, de pretexto para alguns realidade para outros, mas enfim, faço minhas as tuas palavras " não desesperemos, pois". Bj.para todos e para ti em especial.

Dexter disse...

A grande sorte do Engº é não ter um adversário à altura!
Por isso votarei em branco, pois não me identifico com nenhum dos intervenientes.

Graça disse...

Já tinha saudades... e aí estamos de regresso à poesia e à prosa :)))___________ mais retórica!


Um beijo para o resto da semana

Táxi Pluvioso disse...

Nada prosaicas as próximas eleições.

Carla P.S. disse...

Bom regressar,
bom ler as críticas e concordar.
Bom um café fresco, aceite pois.

Ana Maria disse...

Que bom que voltou.
Um sensacional final de semana.
Beijinhos de Anjo!

Carla disse...

eu ouvi a entrevista e deliciei-me com essa pérola de citação...só que pensei com os meus botões: "que mal anda a literatura governativa no nosso país"!!!
beijo

aa disse...

Olá 'real gana' tem um selo lá no 'olhares soltos...' é só ir buscá-lo...:)
Boa semana!
Beijos,

AA

Táxi Pluvioso disse...

Há quem se governe com a prosa. Eu não consigo ganhar um tusto. bfds

Flor disse...

...A minha dúvida não está entre Poesia ou Prosa!!!Pois...não sei se estamos perante uma Divina Comédia que de tão Divinal se transforma em Drama?!?...Ou perante um Drama que de tão Dramático se transforma em Comédia?!?...
Acredito que muitos dos que nos governam,que fizeram uma "cruzada" ao analfabetismo com as Novas Oportunidades e excelentes oportunidades... ... pensem que realmente continuamos todos um Povinho de Ignorantes!!!...Há quem vá às aulas para aprender saber e por Prazer,não só por titulos de Licenciados Pós-Graduados ou Mestres!Mas esse povo que possa ter alguma sabedoria não interessa...importante sim são todos aqueles que assistem às comédias e dramas desta campanha e no dia coloquem a cruzinha no sitio com o desenho certo!!!...
Claro que vou esforçar-me por decorar o "desenho" do boletim de voto...se de tal for eu capaz...

Laurindo disse...

Porreiro pá! O texto, claro.

Anónimo disse...

Governar não é fácil. Tu também deixas isso bem claro. Bom

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

Ambos de volta!


E não é que eu também pensei nessa frase que ouvi...rsrsrsr


beijocas

Anónimo disse...

INDIGNAÇÃO POLÍTICO / ECLESIAL
Estas últimas eleições na Ribeira foram muito clarificadoras das Grandes obras que para aí vêm.
O Silva, cabeça de lista do PSD nestas últimas eleições para a Ribeira, pediu ao Sr. Padre Coelho, uma visita ao Centro de Dia e à Creche, no âmbito da campanha eleitoral.
O pedido foi feito cerca de dois (2) meses antes do dia previsto para a visita, para o último dia da campanha.
Esta é a verdade, não a mentira da Igreja que circula por aí, que nós não pedimos atempadamente a visita.
Há dois (2) meses atrás, a resposta do Sr Padre Coelho ao Silva, a toda a lista e ao Sr. Dr. Carlos Encarnação foi positiva, poderíamos fazer a visita às instalações da Igreja.
Lamentavelmente, só no dia da visita, duas horas antes, às 15 horas, tivemos indicação por telefone, do Sr. Padre Coelho, que afinal não podíamos visitar o Centro de Dia nem a Creche, fomos assim impedidos de visitar os idosos e os mais pequenos. A razão, é que estava escrito no nosso Manifesto, já distribuído pela freguesia, a visita do Sr.Dr. Carlos Encarnação às referidas instalações.
Posso dizer que o Sr. Dr. Carlos Encarnação não ficou nada contente, no entanto, nada surpreendido com esta decisão. Porque será? Nunca tivemos obstáculos na visita a outros grupos da Freguesia, porquê aqui?
Tivemos também o cuidado, na pessoa do nosso candidato, de avisar da visita ao Terreno da Igreja, para onde estão previstas algumas valências da Igreja, com um projecto que tem dado finalmente passos largos com o Vereador de saída, Engº João Rebelo. Curiosamente e com grande estranheza do Sr.Dr. Carlos Encarnação, não apareceu ninguém da Comissão Fabriqueira da Igreja junto do terreno, pelo menos para agradecer os esforços da Câmara neste projecto para a Ribeira. Falta de tempo? Falta de educação?
Curiosamente também, no manifesto do PS vêm a dizer que é desta que “ a questão do terreno da Igreja vai para a frente”, deixando livres espaços junto da Igreja para a capela mortuária, tudo isto com o acordo do Chefe eclesial, (deve ser o Sr. Padre Coelho). Nos anos em que tivemos o mesmo partido político na Junta de freguesia, na Câmara Municipal, no Governo e na Presidência da Republica, obras nem vê-las. Tudo isto é muito engraçado, estreitas relações políticas/eclesiais já existentes há alguns anos, quem sabe já na génese da extinção do Serviço de Ambulâncias na Ribeira. Como o PS nunca conseguiu “agarrar” este serviço, teve de acabar.
Será que o Serviço de Ambulâncias está para voltar em breve com outras cores?
Afinal sempre vamos ter capela mortuária junto da Igreja?
Depois do desespero há mais de 20 anos, sempre vamos ter as obras a avançar no terreno da Igreja, neste mandato do PS, com uma lista renovadíssima, cheia de garra e com muita gente da Igreja?
Vistos os factos, estamos finalmente a chegar ao momento em que vão arrancar as grandes obras da Igreja, as verdadeiras e com maior interesse sócio culturais para a nossa freguesia, para assim serem entregues os louros “a quem merece” e ao PS que está de parabéns.
Para que não restem dúvidas, nestas eleições bem como em todas as anteriores, a lista do PSD na Ribeira não teve o apoio da Igreja.
Ao invés, augura-se um GRANDE E PLENO mandato do PS na nossa freguesia, terra que tanto merece e que todos nós amamos.
No entanto, aproveito para dar os parabéns à lista adversária, a todos os que aí se aplicaram arduamente e, desejo de Boa Sorte no cumprimento das promessas meditadas e de fácil execução.
E estava eu para voltar a ir dar catequese este ano. Mãos à obra