sábado, 4 de abril de 2009

O lugar d'alguns

O LUGAR D’ALGUNS


É fria a noite
lá fora.
Cá dentro, quentinho.
… Este é o meu lugar!


Carlos Jesus Gil

5 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

Lá fora já foi frio mas o gelo derreteu e ficou só o whisky.
Está mais quente e paradoxalmente e contra natura, (a mulher quente é talvez um pouco melhor) ficou pior.
Mas rações são pedaços de dias e a minha acabou.
Sinto-me a fervilhar, mas fresco por ter mantido a dose.

Mas o noite é normalmente quente, por vezes transpiro, outras nem respiro - são aqueles momentos em que perdemos a respiração -, porque noite, é tudo o que a lua ilumina e parece-me que só encadeia amores.

Talvez neste lado e neste fuso as coisas sejam diferentes.
Agora a vida já passou apesar de não calçar pantufas e de não comer ervilhas com uma colher.
Ainda as pico com o garfo.

Mas desculpe o termo ... A vida é uma merda duma vida!

Talvez até esteja quentinho cá dentro, mas por dentro ... o sol não aquece como no verão e o gelo, por se ter derretido, não se transforma em calor.

Uma boa Páscoa.

Maria Zua disse...

Olá. Sim tens razão d'alguns, pois está a tornar-se comum(infelizmente) dormir ao relento, com o orvalho a cair em cima dos jornais para não ser tão chocante com a temperatura do corpo. Olhares vazios olhando para o nada, no pensamento lembranças de uma vida melhor que já tiveram, de pessoas que outrora davam palmadas de amizade nas costas e agora onde estão que não se encontram? Cai a noite, amanhece, e tudo na mesma, apenas se troca de lugar...é assim para muitos. Feliz do que ainda tem um tecto para dormir, mesmo que o ambiente de quatro paredes seja gélido, não chove, não cai orvalho, apenas lágrimas de desespero, olhares vazios na janela e de interrogação " O que faço nesta vida?" Pois, mas há quem esteja pior... até amanhã.

Peter disse...

Sobretudo se bem acompanhado...

Táxi Pluvioso disse...

Nos lares as televisão aquece...

Entrevistas em Nova Iorque.

Daniel Savio disse...

Interessante, pois sempre há lugar para nós, mesmo que não notemos...

Fique com Deus, menino Carlos.
Um abraço.