segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Como as ondas do mar

Poderia escrever sobre as eleições americanas; poderia aludir à nacionalização do BPN (Banco Português de Negócios, em ruína por péssima gestão, muito anterior ao crash económico-financeiro sem precedentes que vivemos); poderia, e seria pertinente, fazer referência à considerável injecção de capital por parte do Estado na banca portuguesa em geral, como forma de a salvar da míngua de liquidez...; poderia isto e muito (minto descaradamente, pois argumentos e disponibilidade me faltam!) mais! Porém, à real gana assomou um outro imperativo. A seguinte repostagem:



COMO AS ONDAS DO MAR


Venho de lá agora. Estou a chegar agorinha mesmo. Já sei que daqui a nada vou voltar, é sempre assim um vai-vem contínuo, uma roda-viva… Esperem, passa-se o mesmo com os outros, sim com vocês também! Pensavam que não?, alguns de vocês julgavam que não? Pois, prestem mais atenção, observem-se melhor. Eu também só há bem pouco tempo é que me dei conta, e foi necessária uma forte brisa, um quase vento, soprar-me teimosamente colada ao ouvido, como quem diz: eh pá, não enxergas nada, presta-te atenção, ó remoinho! Era tudo tão absolutamente normal que eu tomei por estranha a veemente intervenção, e ela repetiu “ ó remoinho, dá-te conta!…”.
É, está na nossa natureza; somos todos assim. Creiamos, nesta regra não existe excepção.
Não, não!, não é fundamental ser-se de outra maneira, se o fosse não teríamos cá
chegado… Os átomos escondem um frenesim. Certo, reconheço virtude num alargamento das estadas em , mas não é, de todo, vital.
Inquietação…
Vou e regresso constantemente. Como as ondas do mar!




Carlos Jesus Gil

32 comentários:

Ana Maria disse...

Somos como as ondas do mar.
A gente vai e volta sempre.
Uma boa noite!
Meus beijinhos.

Maça disse...

Todos somos inconstantes como as ondas do mar, umas vezes calmos e serenos e outras desnorteados e revoltosos. Ás vezes acho que nós "ZUAS", por termos sido criados junto ao mar, esse efeito de marés ainda de denota mais. Mas a nossa natureza é essa, e seja junto ao mar ou á montanha, todos temos umas "tempestades" de vez em quando.

Maria Dias disse...

Como as ondas do mar nada do q foi será...

beijinho do outro lado deste mesmo mar.

Maria

Carla disse...

Inquieta...como as ondas do mar!
assim me sinto, mas adoro namorar esse mar que me entende perfeitamente
beijos

Jullyane disse...

Se vc gosta do mar, eu tenho uma dica pra vc. Esse sábado conheci uma das praias mais lindas em que já estive: Barra Grande-PI. Depois vou falar sobre isso no meu blog e vc dá uma olhadinha pra ver como não estou exagerando... Beijos!

Fernanda(Brisa Feliz) disse...

Inconstante como as ondas do mar...Ahh o mar!

Belo verso moço.

Uma semana iluminada pra ti!

Mariana disse...

gostei bastante:)

Darwin disse...

Eu também, como as ondas do mar vou e regresso constantemente.

Vou e regresso - onde me escondo, onde não vejo sequer, quem mais vai ou quem mais vem... nesta utopia, que na neblina desaparece...numa metáfora tão clara do vai e vem da vida. Sento-me em frente ao mar sinto-me a viajar preso a uma onda que vai e me leva. Mas, depressa regresso enrolado numa rebentação que me traz de volta à praia lembrando-me que por mais que me afaste, é na Terra firme que tenho que viver.

Carla P.S. disse...

Inquietação, isso define.
como as ondas do mar, como um café expresso, como a vida. como vc e como eu!
Brindemos.
Beijos.

Nanda Assis disse...

muito bacana isso, e vc acabou falando de tudo e das ondas dos mar.

bjosss...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Olá

As ondas do mar - que eu deixe,
sucedem-se continuamente;
as primeiras trazem peixe;
as outras - principalmente

Depois das mini-férias (que foram excelentes) e com as baterias recarregadas, estou de regresso. E, de novo, visito o teu blogue, que continua em grande forma. Uma vez mais, muitos parabéns! Espero que também voltes ao www.aminhatravessadoferreira.blogspot.com, que, como sabes, é o meu novo. Já tenho saudades de ti e das tuas visitas. Obrigado.

Abs

Luiz Caio disse...

Olá Carlos! Boa tarde!
É que seguimos o copasso do mundo, dançando ao ritmo do giro da terra em torno do sol. E é assim, tudo bem ensaiadinho... Vai o dia vem a noite,vai a noite vem o dia,vai o dia vem a noite, vai a noite e...

TENHA UMA ÓTIMA SEMANA!

dragao vila pouca disse...

Meu caro, em resposta à sua pergunta a resposta é...claro, mas Domingo, até vos comemos, como diz um amigo meu. Não comemos nada, que nós estamos numa fase, que não fazemos mal a ninguém.
Em relação às ondas, eu prefiro as do rio que são pequeninas, mal se notam...esta vida de marinheiro já não é para mim.
Um abraço

Maria Zua disse...

Boa noite. Como o mar, sinto no meu subconsciente um Tsunami, no meu consciente a brisa de que falas para me acalmar, no meu olhar vontade de entrar rumo ás ondas e flutuar lá bem longe naquela linha que divide o mar (mas não divide), nos meus braços forças para remar, remar até equilibrar o barco da vida, no meu coração o pedido da gaivota para que traga comer, os pés, esses, pisar a terra firme e parar de sonhar... Bj.

stériuéré disse...

Sr. Gana, adorei este post , tem a ver com a nossa linda maresia que nos atravessa as almas de noite e de dia, deveríamos dar valor ao pouco /muito que nos rodeia. Aqui vai um enxerto de uma pequena música que escrevi, e , sim , já a ouviste sim senhor!

" Suas ondas navegantes
que nos dão alegria amor e companhia
Suaves como a brisa de uma noite
de verão

Mar azul, mar amado
steri
sterere
steriuéré
ste ste
steri
steriu
steriiiiii"
Pois o resto , já foi com as ondas do meu esquecimento, tenho isso escrito algures mas encontrar tá quieto! Pode ser que um dia, sim , um dia , nos juntemos e toquemos isto juntos!

stériuéré disse...

Ganda maria zua e darwin, adorei os vossos comentários, até agora foram de longe os melhores que já li. Beijos pa todos . E já agora , nunca mais me visitaram, estão xateados comigo?

Thaisa Santos disse...

Bem vindo ao meu blog e que bom que gostou...ficarei passeando por aqui também para conhecer o seu, um abraço...

Lena disse...

Gostei da primeira parte do teu post...mas preferi quando falastes do Mar...
Esse Mar que faz correr tanta tinta.

um abraço

Andreia do Flautim disse...

Pois é!

D.Ramírez disse...

Digo o mesmo de seu blog..muito bom, vale a pena..parabéns!!! E continue me visitando, será sempre bem vindo!! Abraços!!!

Ferreira-Pinto disse...

Ainda presumi que fôssemos aqui ouvir falar da vida de alguma desportista radical, mas afinal ainda é de "cousa" mais radical que se fala ... de nós e da vida!

GarçaReal disse...

Realmente nossa vida é uma constante onda...Não só no vai e vem constante como também nos altos e baixos a que está sujeita.

Boa semana

bjgrande do Lago

O Profeta disse...

A Lua sangra no celeste
Aprisionada está a razão
Olhos sem a virtude da luz
Uma fria pedra no coração

Um banco de jardim
É leito do rei da sarjeta
Almofada de encardido cartão
Acomoda esta carcaça inquieta


Boa semana


Abraço

Anónimo disse...

stériuéré...é cada tiro cada melro.

Lilith disse...

Menino, se eu escrever qualquer coisa profunda a respeito do seu post estarei incorrendo numa mentira deslavada, pq eu simplesmente sou tosca, to com piriri hoje, e não entendi lhufas de nada desse texto aí...ai que vergonha de ser lesada da idéia...

Bj imenso

stériuéré disse...

Sabes anónimo não sei das quantas, não tou para aí virada.Apenas te digo isto, não foi pa ti que escrevi, e só mais uma ......
Pô pa ti Quem gosta gosta, quem não gosta come só as batatas!

sp disse...

Como as ondas de um mar interior...

Um abraço assim peludo!

EternaApaixonada disse...

O amigo consegue escrever poesia em prosa...Lindo e profundo...
Vim como as ondas do mar...
Volto...
Doces beijos...

xistosa - (josé torres) disse...

Necessitávamos dum mar alteroso que com ondas tipo tsunami, varrê-se os os impuros.
Talvez sobrassem alguns ... não aqueles que não querem aceder à benesse do governo, que dispõe de nem sei quanto ... 4000 mil milhões, em notas de 20 euros, deve ser muito "bago".
Uns já disseram que não querem dinheiro fácil ... ou melhor que não querem inspecções nas suas finanças.
Mas num país de incorruptíveis,impolutos, excelentes e profissionalizações políticos, só mesmo a escumalha é o que é ...

Só perde quem tem ... e não há culpados de nada.
A culpa é do queijo suíço em que se transformou toda a vida em sociedade, em Portugal ...
Talvez sejam resquícios da nossa presença africana.
Os que estão no poder, a maioria andou nas colónias ... vou dedicar-me à investigação de algum vírus desconhecido que tenham apanhado, ou melhor, levado com ele.
Consta-se que no Biafra ... havia vírus ...

Táxi Pluvioso disse...

O BPN devia ser uma lição mas não foi.

Srta Emy disse...

Eu adoro observar o balanço das ondas do mar... olhar atentamente a tênue linha do horizonte. Deve ser por encontrar na inquietude das ondas a minha personalidade e na linha do horizonte a minha busca pelo equilíbrio.
É pá, texto muito bom!
Beijo malvado.
:*

Ana Martins disse...

Brilhante, adorei!
E as ondas do mar sempre a inspirar!!!

Beijinhos