sexta-feira, 21 de março de 2008

Paradigma mais que esgotado

PARADIGMA MAIS QUE ESGOTADO




Uns posts abaixo, mais precisamente no “ Obrigado Senhora Ministra” concorrido, felizmente, em termos de comentários, alguém me acusa de não veicular no blog valores “moralmente correctos”. Como assim?!!! Leia por favor, senhor leitor, e diga de sua justiça... Sou algum cínico depravado, ou quê?
Vem a calhar, em tempo de Páscoa, comecemos um longo trabalho de mudança de paradigma, um regresso a coisas boas do passado: respeitemo-nos uns aos outros! Ressuscitemos este paradigma social! É a solução.




Carlos Jesus Gil

74 comentários:

o verdadeiro anónimo disse...

O senhor real gana sabe muito bem que a maior parte dos professores, para além das mordomias que têm, já auferem ordenados mais que suficientes para a relação hora util de trabalho e tempo de trabalho. Daí sobrar-lhes muito tempo para os mestrados, doutoramentos e sabe se lá o que mais. Que é o caso do sr. J.P.
e do senhor que disse que estudava direito e trabalhava no sector privado. Tem que me explicar como é que consegue esse fenómeno de multiplicação de tempo, pois se fosse como eu que tenho de trabalhar, no minimo 8 horas,não o conseguia.

o verdadeiro anónimo disse...

O senhor real gana sabe muito bem que a maior parte dos professores, para além das mordomias que têm, já auferem ordenados mais que suficientes para a relação hora util de trabalho e tempo de trabalho. Daí sobrar-lhes muito tempo para os mestrados, doutoramentos e sabe se lá o que mais. Que é o caso do sr. J.P.
e do senhor que disse que estudava direito e trabalhava no sector privado. Tem que me explicar como é que consegue esse fenómeno de multiplicação de tempo, pois se fosse como eu que tenho de trabalhar, no minimo 8 horas,não o conseguia.

Portugal Sempre disse...

Leu-me à pressa e intuiu o que quis, não o que eu queria dizer. Não o acusei a si, pessoalmente, de nada. Para que me perceba melhor, quero responsabilizar as correntes comunistas, abortacionistas e esquerdistas pelos males que grassam neste país. As portas abertas a tudo quanto é estrangeiro e a libertinagem têm levado o crime a níveis nunca antes vistos. E os senhores professores como veículo transmissor de ideias contrárias à lei da vida, também têm a sua responsabilidade, e muita. Ou já se esqueceu de quantos dos seus colegas apareceram a dar a cara na campanha a favor da morte (leia-se aborto)?. Antes de Lisboa estar cercada como está, podia-se andar na rua a qualquer hora. E hoje ? Você pode ? Quem lhes franqueou as portas ? Não foram os esquerdistas ? Analise seriamente e diga-me.

Isabel Queiroz do Vale disse...

É uma boa questão sr. verdadeiro anónimo. Se o dinheiro fosse tão elástico como o tempo destes senhores, nem era preciso manifestações para pedir mais. Ai desculpem, por causa do estatuto. Já agora sabe que muito desse tempo é sonegado à docência, mas tudo justificado, com papel passado. Queria vê-los a entregar uma justificação dessas numa empresa do grupo SONAE. No outro dia estavam a mandar curriculos.

oquemevierarealgana disse...

Exmo verdadeiro..., eu exponho-me muito, o sr., nada. Absolutamente.
de qualquer modo aí vai: de dia dou (tá bem, vendo) aulas; à noite sou músico... e passo recibos verdes,pago impostos,tá a ver? Quanto ao Direito,se tivesse lido com atenção teria compreendido que não vou às aulas. Não tem dado para isso. Saiba (pergunte ao Ministério,se quiser), que há sete anos que não falto um único dia à escola (exceptuando três dias, há dois anos, por infelicidade extrema - faleceu meu Pai). Entendidos?

oquemevierarealgana disse...

Diga-me, sr. portugal sempre ( para mim tb Portugal sempre), quando é que os esquerdistas estiveram no poder? Será o PS um Partido de esquerda? Tenho para mim que não.
As minhas desculpas, de facto não me acusou de nada!

oquemevierarealgana disse...

Afamada cabeleireira, se, com o nome que tem na nossa praça, me conseguir um emprego como geógrafo no grupo SONAE, ou, talvez daqui a uns tempos,como jurista, pagar-lhe-ei simpática comissão. O meu lugar (do qual ainda gosto muito) no ME, dispensá-lo-ei a outro ou outra.
Fique bem!

João Cara de José disse...

ELÁ!!!
Isto piorou muito. Cheira a bafio salazarento.

João Cara de José disse...

Não é de si, senhor Real Gana, que fique entendido. É destes fascistas que para aqui andam.

J P G disse...

Felizmente as Universidades continuam abertas, permitindo que quem tem médias para tal, capacidade para tal e organização do tempo para tal se possa valorizar como cidadão e profissional.

Infelizmente a mesquinhez e a inveja não permitem perceber que roubando algum tempo ao lazer e à família, pagando chorudas propinas, utilizando as novas tecnologias e desenvolvendo capacidade de trabalho (porque isso também se pratica, ou ficassemos nós a ver novelas e "Fátima Lopes" e jamais atingiríamos o patamar de criar e comentar em blogues, contribuindo para também para o progresso) podemos avançar nos estudos, ainda que a um ritmo mais lento.

O "verdadeiro anónimo" não consegue disfarçar a frustração que provavelmente o assola. Fala em Mestrados e Doutoramentos com tal desdém que parece tratar-se uma qualquer droga nova, capaz de aterrorizar o comum dos mortais.

Descanse que não é assim! Antes pelo contrário, graças aos conhecimentos que vamos adquirindo ao longo da vida, podemos ajudar a tornar a sociedade melhor (tolerando os seus comentários com fair-play, por exemplo).

À nossa maneira vamo-lo fazendo. Inclusivamente através da criação de espaços virtuais como este, onde expomos as nossas ideias e permitimos que os outros (ainda que anonimamente, sabe-se já o que têm a esconder...) o façam.

Quanto a mim, julgo que já dei o meu contributo "chocalhando" um pouco os neurónios de por quem aqui passou, tentando elevar os níveis dos comentários e fugindo às críticas pessoais.

Mostrei o meu ponto de vista, falei de valores e de qualidade de vida. Conotaram-me com os esquerdistas radicais (que pouco admiro, concordando em parte com o "portugal sempre") e amedrontaram-me com o papão Belmiro de Azevedo, como se o seu modelo de tratar os funcionários (perdão, colaboradores) fosse um exemplo de virtudes, sem mácula.

Por tudo isto, recuso-me a contribuir para as úlceras que possam surgir e aumentar a lista de esperas nas consultas ou o número de clientes nos médicos privados (já representam 50% em nº de consultas), despedindo-me deste tópico com uma saudação a todos (sem excepção) e em particular ao meu companheiro Gil, pois graças à boa vontade dele e ao esticar o tempo (basta repararem nos horários dos seus posts e comentários) podemos nós, meros utilizadores, libertar "o que nos vier à real gana".

Nota: não deixo de comentar por cobardia ou falta de argumentos, apenas porque sinto que não se consegue colocar água num copo quando ele já está cheio. Era necessário deixar sair alguma água (talvez a estagnada e propícia à transmissão de doenças) para criar espaço à entrada de água limpa, dinâmica.

Fui...

João Cara de José disse...

Apesar de não concordar em algumas coisas consigo, sr. JPG, reconheço-lhe, pelos comentários que tem feito, qualidades de discurso e argumentação na defesa das causas em que acredita. A sua saída de discussão retira qualidade a este blog.
Pessoalmente, nada me move contra os professores, muito pelo contrário. São eles pilares basilares no futuro deste país. Tenho pena é que entre eles se tenha instalado um malfazejo espírito gregário do tipo "segue o chefe", com evidentes envolventes políticas. Da minha muita experiência pessoal no intercâmbio com professores, retenho que infelizmente houve um reduzido número deles que me marcou. A grande maioria eram assépticos, se me entende, não deixaram marca. Para se ser professor é necessário muito mais que habilitação própria e suficiente. É preciso dedicação e sobretudo vocação. Que o sr.JPG e o sr. Real Gana têm não duvido, mas que infelizmente não é universal, como ás vezes os sindicatos querem fazer crer.

plageonline disse...

Portugal sempre!

A defesa dos interesses da nação, do futuro da nação move-nos a todos, acreditem, move também os professores.
Hoje não lanço mais achas para esta fogueira!

Há uns dias que não passava por aqui... e não o faço hoje com o intuito de acrescentar algo de novo; apenas para dar os devidos parabens a todos, pelo nível do debate de ideias (claro está, não concordo com todas as opinões expressadas, nem com determinadas formas de expressaão, como usar o anonimato), mas louvo a liberdade de expressão e o debate de ideias.
Está elevado.
Parabéns pelo blogue caro Gil.

o verdadeiro anónimo disse...

O sr.JPG, professor, doutor, engenheiro, que se vai afastar do debate, até pensa que é o único que tem canudos, como tal comoveu-se, porque não gosta de ouvir as verdades. Continuo a dizer e afirmo que uma grande maioria dos professores não justificam aquilo que ganham, se não é o seu caso, então não enfie o barrete. Eu não gosto deste governo, mas isso não me dá legitimidade para me vestir de preto e ir para Lisboa barafustar. Ao contrário arregaço a manga e vou à luta, e é isso o que todos os portugueses deverão fazer. Os senhores como portugueses de primeira têm que dar o exemplo. O senhor refere que
a frustração que me assola, está enganado. Sempre pensei que tinha capacidade para não viver à custa do povo português, coisa que não acontece com muitos funcionários públicos, que se arrastam silenciosamente nos seus locais de trabalho, à espera da derradeira hora de saida.

oquemevierarealgana disse...

João cara de José, você é perspicaz!!! Concordo , há por aqui gentinha "daquele tempo". Deixemo-los, não cortarei palavra a ninguém (uma lição de Democracia, um hino à liberdade). Pode ser que eles aprendam...
Quanto ao JPG, bem espero que ele não abandone isto. Seria, de facto, uma pena; o blog, no seu todo, ficaria mais pobre.
Plage, lança as achas que quiseres, a tua presença aqui tb é fundamental.
Páscoa feliz para todos!

Portugal Sempre disse...

Ora senhor que tem cara de coisa que não é e senhor real gana, salazarento e gentinha de outro tempo, é o que me apodam. Foi com muito orgulho que contribui para eleger o Dr. OLIVEIRA SALAZAR como o maior português de sempre. Um portugês abnegado, que deixou um legado que a todos devia honrar. Fez-se-lhe justiça, tardiamente, é certo, mas JUSTIÇA. Logo alguns acorreram vociferando de
que se tratava de uma eleição pouco séria. Mas digo-lhes que muito menos séria e fatal para a pátria portuguesa foi aquela que legitimou
o crime em Portugal. O assassínio de milhões de portugueses mesmo antes de nascerem. Vós, abortacionistas, condenásteis toda uma geração que não nascerá, que será substituida por brasileiros, africanos e afins. Nessa altura, outras preocupações serão as vossas
senhores professores. Não os estatutos ou evolução de carreiras, mas tão somente a inexistência de alguém para ensinar, por imperar o crime e o terror. Todos vós que agora apregoais a multiculturalidade, deveríeis ser obrigados a passar 15 dias de férias por ano na Amadora.
Tenho dito.

portugal sempre disse...

Já que antecipada e legitimamente autorizado pelo autor do blog, aqui deixo informação sobre sítios edificantes. Apareçam, comentem, cultivem-se:

www.terraportuguesa.net

http://activismo-nacional.blogspot.com

http://novafrente.blogspot.com/

http://almapatria-patriaalma.blogspot.com/

www.pnr.pt

Boa Páscoa

oquemevierarealgana disse...

Sr. portugal sempre (já o informei que para mim tb Portugal sempre, até apelo aos meus alunos para comprarem produtos portugueses), será que todos os professores são abotacionistas?; será que só professores são abortacionistas? Olhe que não!
O crime, sim, é abominável, o multiculturalismo - salvaguardando sempre as nossas peculiaridades - não! Obrigado pelo links. Boa Páscoa!

oquemevierarealgana disse...

Srs. anónimos, verdadeiro e apócrifos, a brincar a brincar, lá vão dizendo o que verdadeiramente vos vai na alma. O que será que vos ( carapuça só a quem cabe! ) tolda o raciocínio?; inteligência emocional, alguma réstia por aí?

Isabel Queiroz do Vale disse...

Bom, passei por aqui só para desejar boa Páscoa aos senhores anónimos e pseudónimos, ao sr. Real Gana e aos seus dois ajudantes de campo (parece que já é só um).

O Conciliador. disse...

Está aqui um grande blog.
Comentários diversos, uns defendem outros atacam a classe dos professores. Eu não me manifesto. Contudo acho mal a linguagem neo-fascista que impera em alguns comentários.Vá amigos sejamos prudentes, é páscoa,é tempo de reconciliação, é tempo de admitirmos os nossos erros.

Anónimo disse...

Sim senhor, amigo Gil. Tens aqui um grande blog. Bons temas e muita participação. Tu e os teus colegas defendem a vossa dama com qualidade e conhecimento de causa. Já alguns anónimos parece-me que é só atirar p'ro ar. Fui ver os links que esse senhor mandou e são uma autêntica vergonha. Pensava que já não havia disto, mas enfim.

João Cara de José disse...

Cá para mim, o "Verdadeiro Anónimo", depois de incendiar as hostes quer agora CONCILIAR. Problemas de consciência ?

oquemevierarealgana disse...

Boa Páscoa também para si, D. Isabel Queiroz do Vale. Tenho a certeza que os meus "ajudantes de campo" lhe desejam o mesmo. Espero que continue a passar por aqui.E, já agora, porque não aconselha a suas clientes, naquelas conversadas de cadeirão, e de penteador, a, tb elas, fazerem por aqui umas visitinhas? Faz-me esse favor, faz?
Tudo de bom pata si!

oquemevierarealgana disse...

Gostei,sr. conciliador. Volte, faz cá falta gente que ponha água na fervura.
Obrigado por apreciar - e destemidamente dizê-lo - o meu blog.

oquemevierarealgana disse...

Anónimo meu amigo - felizmente tb tenho anónimos amigos -, muito, mesmo muito obrigado m por me alentares com o teu amável comentário. Quantos aos ditos cujos links, olha, cada qual que faça a destrinça, eu, como tenho referido, não corto a palavra a ninguém. Volta, caro amigo, enriquece, por favor, o debate!

oquemevierarealgana disse...

João cara de josé, talvez não se trate da mesma pessoa. Conto com a sua preciosa colaboração no debate que pretendo permanente, sobre o que quer que seja que nos incomode. Afinal aqui é o que nos vierarealgana!
É um favor que me faz, se divulgar e convidar mais gente boa a participar. Obrigado!

Carlos Monteiro disse...

Embora não acredite que a avaliação dos professores, se irá reflectir necessariamente em melhores resultados dos alunos. Se for conduzida como processo formativo, de desenvolvimento profissional, acredito que terá consequências positivas não só na progressão na carreira, mas também no exercício da profissão.
Também é verdade que surgem daqui e dali, verdadeiros kits prontos a usar para avaliar professores. Tudo em nome de uma qualidade que, em rigor, nem sempre é discutida com clareza e com a desejável e necessária profundidade.
Sinceramente também não compreendo a arrogância da ministra da Educação. Sentimo-nos duplamente defraudados sempre que ela transforma aquela (aparente?) disponibilidade num desdém manhoso, face a quem a contraria.

Um grande abraço amigo Gil

nando disse...

Foi mesmo por um feliz acaso que entrei neste blog,mas comecei a apreciar o nível intelectual e humorista dos participantes.Na minha opinião o facto de alguns comentários serem subscritos por anónimos e pseudónimos não lhes retira qualidade nem credibilidade.As opiniões,as críticas e uma certa dose de bom humor não carecem de identidade para atestarem favorávelmente sobre os seus autores.Tome-se como exemplo boas obras literárias que ao longo da História foram apresentadas sob pseudónimos e nem por isso deixam de ser uma constante fonte de enriquecimento para quem as lê.
Por isso,srs. anónimos pseudónimos e afins,sr.JPG,sr.PLAGE,não nos abandonem, e outros que apreciem este fabuloso desporto de dizer o
que nos vier à real gana animem-se a participar,a expôr as vossas críticas,idéias,piadas e tudo o mais que vos possa ocorrer,sem descer de nível,claro está.A si sr.Real Gana,OBRIGADO por este bog tão refrescante.Pese embora o facto de eu usar, não um pseudónimo,mas um diminutivo,quero ter oportunidade de ir deixando aqui algumas opiniôes.Até uma próxima!

Noronha disse...

Amigos comentadores!Podem dizer mal do governo,dos professores,dos pais,dos alunos...só não gosto que alguns saudosistas nostálgicos dum passado longínquo venham invocar o regresso ao salazarismo.

oquemevierarealgana disse...

Carlos Monteiro, plenamente de acordo - essa dos "kits" parece-me bastante condizente... Já agora, para os resultados (bons) dos alunos contam também eles, o seu trabalho, o seu empenho, não será assim?

oquemevierarealgana disse...

Desculpas pelo esquecimento: abraço, amigo Carlos

oquemevierarealgana disse...

nando, muito obrigado! Desejo que continue por cá, contribuindo, como até agora, com alimento de qualidade para o sustento desta coisa que é ser... e, porque mexe, com as ideias, VIVO! Tem razão, os anonimatos e os pseudónimos nenhuma qualidade retiram à substância. Só os condeno, se a substâsncia for, de algum modo,ofensiva para aguém. Abraço!

oquemevierarealgana disse...

O noronha com a sua habitual acuidade pungente!
Volte sempre, sr. noronha.

Isabel Queiroz do Vale disse...

Bem parece-me que já temos outro professor em linha, ainda bem prof. Carlos Monteiro, enriquece a discussão e vai ajudar a esclarecer o seguinte estudo, que já não é muito recente (2005) mas que ganha nova actualidade com o clima de guerrilha que os professores instalaram:

Os professores portugueses são os terceiros mais bem pagos no “ranking” dos 30 países da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económicos (OCDE), revelou Ben Jensen, responsável do departamento de Estatísticas da Educação daquele organismo.

Tendo como valor de referência o Produto Interno Bruto (PIB) per capita de cada país, Ben Jensen disse que, de acordo com dados de 2003, Portugal só é ultrapassado pela Coreia e pelo México.

Em declarações aos jornalistas, o especialista frisou que, "em Portugal, os salários dos professores estão bastante altos", referindo também que, em relação ao número de alunos por turma, o nosso país está igualmente "bem colocado". Neste parâmetro, Portugal ocupa o 9º lugar na lista dos países com turmas mais reduzidas, tendo em média 20 a 25 alunos.

Segundo o relatório ‘Panorama Educativo’, no 1.º Ciclo, um professor português trabalha 783 horas por ano; no 2.º Ciclo 626 horas e, no Secundário, 580 horas. A média da carga horária da OCDE é superior: 795, 701 e 661 horas, respectivamente.

Agradecia os vossos comentários, professores Real Gana, Plageonline, Carlos Monteiro e JPG, se quiser fazer o favor de cá voltar.

oquemevierarealgana disse...

Isabel, se puder - eu pago -, mande-me esse estudo (é que desconfio muito da sua matodologia); car´´issima Isabel, agora - só agora li a parte do nº de alunos por turma - é que não acredito mesmo no estudo: não é, a meu ver, idóneo! A média que o sr. Jensen refere conta com as escolas do 1º ciclo, as quais, como sabemos, contam, na sua maioria, com menos de 20 alunos. Ora, sendo os professores que, hoje em dia fazem as turmas, também já me calhou a mim a tarefa. Turmas com 28 alunos, imensas. Turmas com 34 alunos, também já algumas (leu bem: 34). Quanto ao nº de horas, conte-as bem... sr. Jensen (preparar aulas, corrigir testes, reuniões, actividades extracurriculares são horas de trabalho). Sr. jensen (não você, cara Isabelinha), com tão grande carência de idoneidade, demita-se... o mais breve possível, pois os dados que fornece aos países-membros deverão ter como finalidade a adopção de políticas adequadas, ora sendo eles tudo, menos correctos...
Gosto de a ter por cá, Isabel!

J P G disse...

Não apenas para fazer o favor à Srª IQV mas porque o Gil merece ao ter este espaço tão florido, aqui ficam algumas considerações sobre um estudo e as conclusões ardilosamente escolhidas a dedo que aqui foram colocadas:

a) Um professor do Ensino Básico em início de carreira recebe em Portugal 1135 euros mensais brutos. No topo de carreira ganha 2992 euros, revela um estudo da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económico (OCDE).

b) Para o estudo referido num comentário anterior, o referencial que a OCDE utilizou é o dos professores em topo de carreira, o que desvirtua os resultados pois a generalidade do professores desde o início até mais de meio da carreira tem remunerações muito baixas (o leque salarial em Portugal é o mais alargado de todos os países estudados).

c) Relativamente aos níveis de escolaridade, Portugal mantém-se abaixo da média dos 30 países. Para o conferenciasta Ben Jensen, um dos factores que, em seu entender, poderá contribuir para esta realidade é o «contexto social» em que os alunos se inserem, numa clara alusão às condições socio-económicas das famílias portuguesas.

d) Este responsável lembrou ainda que está já em marcha uma nova pesquisa, cujas primeiras conclusões deverão ser apresentadas em 2009. Desta vez – reforçou – a pesquisa adoptará novos métodos: ao invés de serem os governos a responderem serão os conselhos executivos a fornecerem os dados.

Calculo que estes esclarecimentos levem a Srª IQV a fazer mais umas buscas pela internet, levando-me a cumprir um dos meus desígnios... ser PROFESSOR!

Afinal mais que transmitir conhecimentos, gosto de mostrar diferentes faces de uma realidade, levando os meus alunos (e outros interlocutores) a investigar e a ter opinião própria.

O mérito não é meu, mas de um verdadeiro Mestre que disse um dia:

"Meu caro amigo:
Do que você precisa, acima de tudo, é de se não lembrar do que eu lhe disse; nunca pense por mim, pense sempre por você; fique certo de que mais valem todos os erros se forem cometidos segundo o que pensou e decidiu do que todos os acertos, se eles forem meus, não seus. Se o criador o tivesse querido juntar a mim não teríamos talvez dois corpos ou duas cabeças também distintas. Os meus conselhos devem servir para que você se lhes oponha. É possível que depois da oposição venha a pensar o mesmo que eu; mas nessa altura já o pensamento lhe pertence. São meus discípulos, se alguns tenho, os que estão contra mim; porque esses guardaram no fundo da alma a força que verdadeiramente me anima e que mais desejaria transmitir-lhes: a de se não conformarem."

Professor Agostinho da Silva

oquemevierarealgana disse...

Sra. cabeleireira, penso que em termos de pilim ao fim-do-mês, vale mesmo a pena é cortar cabêlos.
Continuo à espera do estudo (pode ser o link).
JPG, mais uma vez um pleno!

Isabel Queiroz do Vale disse...

Obrigado sr. JPG, por ter comentado. Tratava-se de uma notícia do DN de 09.09.2006, e em nenhum momento foi aludido o referencial do estudo, se início, meio ou fim de carreira. Não houve qualquer escolha ardilosa, como refere. Veja a notícia de um jornal de referência nacional, que não é propriamente o 24 horas.

O verdadeiro anónimo disse...

A Isabel Queirós do Vale vê-se que sabe da matéria e não precisa de longa prosa para descrever a realidade do professorado. Isto de ser tratador de cabelos dá muita bagagem, cochicho daqui, opinião dacolá, o que me leva a concluir que este tema é amplamente debatido na sociedade portuguesa, particularmente nos salões de cabeleireiros.

oquemevierarealgana disse...

Afinal, d. Isabel, o estudo não só não é idóneo, como está desactualisado. Fica sem efeito o meu pedido.
PS (não, não é o Partido político), nem só o 24 horas é tablóide. Esta é a minha opinião, pode haver outras! Por publicidade (leia-se dinheiro... e tá bem assim, não podia, afinal, ser de outra forma) faz-se muita coisa...

oquemevierarealgana disse...

Verdadeiro..., está na ordem do dia!

Isabel Queiroz do Vale disse...

Devia ter começado assim : "afinal o estudo não só está descatualizado, como não é idóneo"; isto porque comecei por dizer que não era recente. Feito o reparo, não sei francamente onde está a idoneidade. O sr. JPG contrapôs com a reposição de outra notícia, neste caso do CM. Pronto, então rectifico : OS PROFESSORES PORTUGUESES NO TOPO DE CARREIRA (QUE ERA PARA ONDE IAM TODOS SE A MINISTRA NÃO SE LEMBRASSE VEJAM SÓ, DE OS AVALIAR) SÃO OS TERCEIROS MAIS BEM PAGOS DA OCDE. Já agora, dado que os senhores são tão informados, vejam em que outro país da OCDE há professores com 50 anos no topo da carreira, a gozarem a sua merecida reforma.
Quanto a si sr. Verdadeiro, noto-lhe uma ligeira mudança no teor dos comentários, mais para o brincalhão e menos ácido com os professores.

oquemevierarealgana disse...

Isabel - -, o que a leva assim a ter tanta RAIVA (é que é o termo, desculpe, mas é... vá lá, no mínimo inveja) aos professores?
Já aqui disse isto, sapiente em tesouradas mas não só, sou professor há doze anos e nunca mudei de escalão sem que me tivesse sido feita uma avaliação. Quem diz o contrário MENTE. Tá a ver, MENTE! Caso não tivesse apresentado os relatórios críticos e umcrédito de formação por cada ano e estada no escalão, nunca teria mudado de escalão.Eles (os senhores da administração central, estes e os que os precederam, são peritos em "fazer a cabeça ao bom povo". DIVIDIR para REINAR). Não basta ler, procurar informação, é fundamental depois processá-la Repito, é necessário processá-la!
Tá? ... Como eu gosto de a ter por cá... Você dá luta... Mas, repito, à informação que nos é emanada dos consulados governamentais, é necessário processá-la!
Fique bem!

Anónimo disse...

é pá tudo bem, os professores e o carago,a malta anda distraida, e os gajos dos bancos?

Carlos Monteiro disse...

Cara Isabel,
Verifico que trata com alguma displicência a classe dos professores.
Admiro-me que esteja sempre pronta para defender, não sei bem o quê? E sempre fingindo saber mais do que sabe, como acontece com alguma frequência, não faz a mais pálida ideia do que está a escrever.
O que se pretende é uma escola sem intervenção burocrática do Estado ou dos partidos no poder.
Um entendimento” para resolver “a conflitualidade” existente; uma avaliação de carácter informativo, que ajude a melhorar o desempenho, a detectar as lacunas e a encontrar formas de melhorar a formação. Não se pode aceitar uma avaliação que se baseie apenas em critérios economicistas.
Quando um Ministério impõe prazos que ele próprio não cumpre;
Quando impõe um “braço de ferro”, em vez de se disponibilizar para ouvir, antes de decidir.
Só podemos tirar uma conclusão: não há indicadores de sucesso - por mais maquilhados que se apresentem -, que consigam evitar o mal – estar geral, criado por tanta falta de respeito e consideração pelos docentes deste País,
Criar instrumentos de trabalho, e impô-los às escolas e aos professores tem a marca do despotismo e do autoritarismo, totalmente desnecessários à indispensável serenidade do normal funcionamento das instituições escolares.
Esmagada pelo peso dos factos, contra os quais, diz o povo, não há argumentos querem, agora, vencer pelo cansaço de críticas ridículas e indignas.
É o reflexo do País que temos.

joão cara de josé disse...

Já cá não vinha há uns dias e isto não sai do mesmo. O sr. Real Gana poderia trazer outros temas à discussão, como por exemplo o programa "Novas Oportunidades" - operação estatística ou oportunidade de facto e as alegadas quotas masculinas para cursos onde os homens começam a faltar, ex. medicina.
É só uma sugestão.
Sempre queremos ver se a dona Cabeleireira, o sr. salazarista, os senhores anónimos (verdadeiros e falsos) contribuem com algo de válido.

O verdadeiro anónimo disse...

A minha prosa agora vai ser curta e mais espaçada, porque tenho muitos afazeres. Como eu gostaria de ser professor, para assim ter tempo de sobra e poder dissertar, sobre o que me viesse a real gana.
Verifiquei que há um novo interlocutor um tal Monteiro, será o dos enchidos e carnes. Cá para mim deve ser mais um prof., do modo como esgrime argumentos, ou então é mais um fiel discipulo do tal Nogueira, o tal professor que não é professor, mas que diz defender os professores. Há direito prof do ensino básico com 2500 euros de reforma. Politicos e administradores na prateleira com reformas imorais. Arre é de mais, houve um 25 de Abril só para determinadas classes. Como tenho saudades do sr. Salazar, ao menos esse não enganava ninguém.

Anónimo disse...

Ó Verdadeiro Anónimo, tu estavas bem era ao pé do Salazar!

Noronha disse...

Meus amigos:
Venho propôr um tema que me tem trazido muito angustiado, quiçá,por vezes um pouco deprimido, impedindo-me de ter um sono tranquilo.
O problema do plástico na sociedade consumista.
Depois de várias pesquisas, reflexão aprofundada,troca de conhecimentos cientificos com entendidos na matéria, experiências quer laboratoriais, quer no terreno, deduzimos que o plástico não se destrói. Se o atirarmos ao mar não se desfaz, se o queimarmos não fica completamente destruido, se optarmos por o atirar à mãe natureza vai permanecendo, ao longo dos anos. E então meus amigos.. então aqui é que permanece o meu verdadeiro dilema... conclui que o mundo vai acabar entupido pelo plástico.

Isabel Queiroz do Vale disse...

1.Rectifiquei, ninguém me desmentiu o rectificado, os professores portugueses no topo da carreira, em termos do PIB, são os 3ºs mais bem pagos da OCDE.

2. Até há pouco tempo, chegavam todos ao topo da carreira, ainda que com a avaliação - mais tácita do que efectiva - que o sr. Real Gana alude.

3. Posso enumerar e trazer à colação, dezenas, centenas, milhares de professores na casa dos 50, reformados e regiamente pagos. Tá mal.(também políticos antes que venham dizer alguma coisa).

4. Há centenas de professores sindicalistas que continuam a exaurir o erário público a troco de nada, anos e anos só a agitar.

5. Digam-me pelo menos 1 ministro da educação que anunciasse qualquer reforma que tenha tido o apoio dos professores.

6. Sr. Prof. Carlos Monteiro, até agora não me referi a nenhum "comentador" deste blog pessoalmente, apenas aos professores no abstracto. Entendeu o sr. dirigir-me algumas apreciações (ou depreciações), no meio de um discurso redondo em que tive que apelar à minha parca inteligência para o decifrar. Não consigo, não sei francamente o que é que pretende dizer. Gabo-lhe é o gosto, arranjou uns vocábulos bonitos que juntos com outra sapiência se calhar até dariam um texto engraçado.

Fiquem todos bem, e até sempre.
Foi última tesourada.

oquemevierarealgana disse...

Sim, sr. anónimo (qual eles?), porque não falar tb dos "gajos" dos bancos?... Você se calhar é um deles, mas... ainda assim a dica é interessanre. Obrigado.

F.R. disse...

Meu grande amigo Gil,já há muito me tinhas dito para vir dar uma espreitadela no teu blog mas eu ainda não me tinha decidido,e porque muito honestamente achei que viria aqui encontrar um espaço onde se comentasse sobre música ou outras coisas sem grande interesse para uma pessoa da 3ªidade como eu.ENGANEI-ME!Está aqui um blog à medida das necessidades dos que como eu (e tu)gostamos de dizer o que nos dá na gana,doa a quem doer.Parabéns,vou voltar para deixar tb um comentário,mas gostava de abordar outro tema q.não os professores que me parece já estar um pouco cansativo.

oquemevierarealgana disse...

Carlos Monteiro, ELOQUENTE COMENTÁRIO. Parabéns... É verdade, por culpa das sucessivas administrações do ensino em Portugal, os professores vivem hoje um profundo mal-estar-docente. A Sociedade- e nós tb somos Sócios- é a solução... apoiando-nos. Não se esqueçam que daqui a uns anitos poderão vir a ter filhos professores!

oquemevierarealgana disse...

João cara de josé, é isso mesmo que pretendo fazer hoje. Ainda não vão ser os temas que sugere, maslá iremos! Obrigado,mais uma vez, pelos valiosos dizeres.

oquemevierarealgana disse...

verdadeiro..., estou a roubar ao meu tempo, não ao do Estado, para escrever, postar e comentar comentários. Sou professor, os professores trabalham muito, não tenha dúvidas; sou também trabalhador independente: músico, como anteriormente tivera ocasião de referir.
Políticos e administradores, pelo menos muitos deles, esses sim,têm chorudas reformas.
Gostamos de o ter por cá, por isso, por favor, faça um esforçozinho!

oquemevierarealgana disse...

noronha, bela sugestão. vamos trazê-la a lume, brevemente (pode ser, aliás, quando quiserem!). Visto o pessoal raramente comentar o que realmente posto, eh, eh, ! Mas tá bem assim!

oquemevierarealgana disse...

Isabelinha, não era tácita, era absolutamente efectiva. Eu passei por ela; pois, ainda não tenho a idade desses colegas, como tal...; informe-se melhor, pois sindicalistas destacados já há poucos... em Portugal; talvez o dr. Roberto Carneiro (que até nem é do meu Partido): Diga-nos vossa excelência: o que têm, todos eles, incluindo o razoavelmente bom, realizado de profícuo em prol de um real ensino/formação, ambiente salutar nas escolas..., diga-nos, por favor!
è com imensa pena que a vejo despedir-se de nós... Até porque iremos debater outros temas igualmente pertinentes. Mas pronto, assim como é livre de dizer, aqui, o que lhe vai na alma, também o é a respeito da forma como gasta o seu tempo. Obrigado.

oquemevierarealgana disse...

f.r., muito obrigado, sinceramente! Volta sim, os temas irão variar.

O verdadeiro anónimo disse...

O Noronha deve ser algum intelectual da treta. Pela prosa deve ser prof. Se ele tiver assim tantos problemas, o Sobral Cid é o local indicado para poder reflectir sobre as suas ideias.

João Cara de José disse...

O Verdadeiro Conciliador no seu melhor.

oquemevierarealgana disse...

Tens raxão, caro joão! Verdadeiro... o noronha, podes ter a certeza, não é professor.

conciliador disse...

Esse João cara de José, também tem a mania da piadola. Se eu tivesse acesso à sua identificação, ia a correr inscrevê-lo nos malucos do riso, pois eles estão a precisar de argumentistas

oquemevierarealgana disse...

Conciliador, é bom que apareçam muitos "jões". Precisamos levantar o moral. Tristezas não pagam...

branco das neves disse...

04meu deus quão pseudo-intelectual está este blogue.já me tinham falado no conteúdo,das opiniões eloquentes, mas só visto !...Tá bem que a diversidade de profissões já é em número considerável : senhores professores, senhores bancários,senhores anóniomos que, corajosamente, trabalham no anonimato,engenheiros ambientalistas,músicos, cabeleireiras...enfim, haverá talvez, algum trolha ou alguma mulher a dias ( sem desprimor para a gente destas nobres profissões ). Tudo muito intelecto, muito paleio de curso superior. Meus senhores, apresento-me : sou um auto-didacta, não precisei de catrapázios nem cábulas para ser Sr. Doutor. E não tenho, sinceramente, necessidade nem pena de o não ser. Neste país, ser doutor ou engenheiro não está a dar! estará monetariamente, mas a vossa credibilidade está pela hora da morte. Repensem, reflictam, antes de lançar postas de pescada. E esse tema dos professores, pelo que vi,está debatido até à exaustão. A partir daqui, será só blá,blá...

oquemevierarealgana disse...

caríssimo braco auoto-didacta, já lhe disse que aqui não mora o psedo-intelectualismo... existe, sim,tudo o resto descriminado em respostA anterior. terá "dor-de-cotovêlo"? Veja lá! Todos o pessoal (todas as profissões sao dignas) é aqui bem recebido. Ah, o tema dos professores!, só o aborda quem quer. Por mim,de há muito que tinha saído da "ordem de trabalhos". Volte sempre, obrigado!

branco das neves disse...

Oh caríssimo Sr. Gana, nem uma mensagem de boas vindas? Lamentável, meu caro, que desilusão!...

Tocou-se logo homem?! A escrita até nem era propriamente dirigida a si!

Há-de convir que alguns dos seus convidados são mais para o parlapápá, parlapápé...

Alguns até parecem ter tiques de vedetas...
Mas, com perspicácia, descobre-se gente inteligente e, mais importante, com muito sentido de humor. Essencialmente é o que é preciso.Eu sou um humorista por natureza, vá-se habituando a isso..

Você continue com o seu rumo. Vai bem. No que puder ajudar a nivelar por alto esta coisa, disponha...

Que tal um debate sobre o humor e a falta dele?

oquemevierarealgana disse...

Sr. Branco, imperdoável (da minha parte)! Seja bem-vindo! Sim, tema excelente a debater aqui: o humor (ou a falta dele). As sugestões serão sempre bem recebidas. Obrigado sr. ...das neves!

O verdadeiro anónimo disse...

Gosto da prosa do Branco das Neves
Nas entrelinhas apercebemo-nos de que se trata de um intelectual. De certeza que não foi dos que andou vestido de ninja, em Lisboa.

oquemevierarealgana disse...

E quem é k andou, verdadeiro?

romagnoli disse...

GLorioooooooooso!!!

afonsinho disse...

Sim, vamos a isso! Ressuscitemos as coisas boas do passado!

branco das neves disse...

Sr. Gana
E o debate sobre o humor???

oquemevierarealgana disse...

Sr, branco, o humor está de rastos em Portugal. Até os fedorentos acham isso..., daí as férias. Vá ver a "tomatada" (30/07/2007); o "vira-latas puro", tb conhecido como "porta-carraças", de 19/07/2007; " t'ás com quantos", 6/09/2007; "aonde é que vais logo à noite?", 12/01/2008. São brincadeiras, pode ser que dê para rir. Você vai rir! Modéstia juntinha a mim!

Tomas de alencar disse...

Nao és nada depravado...
Ès ...persistente é o que és!