segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Reduzido tormento

REDUZIDO TORMENTO


Ele sabia muito bem aquilo que andava a fazer. Tudo fazia, porém, para que os outros não soubessem que ele sabia. Assim, sempre poderia usufruir de uma atenuante caso a justiça temporal lhe pusesse a mão. Era, portanto, um verdadeiro sonso!
Compensava ser-se sonso, passe a redundância, que sonsice é sinónimo de três quartos do caminho do lucro percorridos logo à partida. Cedo tomou consciência de que se conseguisse passar uma certa imagem de si próprio, tal lhe proporcionaria fazer das dele… Ah pois, vivia bem, o moço! É claro e absolutamente normal, à primeira vista, quando confrontados com casos quejandos, somos levados a pensar que não, que aquilo não se deseja a ninguém; “ coitado do moço! “, tantas e tantas vezes ouvimos. Mas não, de modo algum! Uma análise breve, não aturada, conduz-nos à consciência do facto: ali brilha o sol; as coisas, afinal, não lhe pesam (mas que leveza!)… Também quero!
Eh, eh, eh, não meu caro amigo, não é para todos! É necessário muito talento.
Ele?... Pelo menos até ver…




Carlos Jesus Gil

3 comentários:

L.Botas disse...

É pá gostava de fazer um comentário nos spots todos mas não tenho a tua pedalada masso.este palavreado é areia demais para a minha camionete eh,eh,eh.

oquemevierarealgana disse...

É masso, não é nada! Estou a gostar do que escreves. Vai continuando, por favor. Tu tb valorizas o blog!

tomas de alencar disse...

O que falta aì , é jente assim.