quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

O Sumo das Filosofias da Existência no Transhumanismo

O SUMO DAS FILOSOFIAS DA EXISTÊNCIA NO TRANSHUMANISMO


O termo Transhumanismo foi criado pelo biólogo Julian Huxley em 1957. Huxley definiu Transhumanismo como a “doutrina do homem que, continuando homem, transcende-se ao perceber as novas possibilidades da e para a natureza humana”.
Hoje, o Transhumanismo é visto como uma doutrina que defende o advento (em apenas algumas décadas < dois séculos) de um mundo extremamente diferente deste que conhecemos, em virtude da aplicação em cadeia das novíssimas tecnologias. É uma filosofia emergente que vê na ciência e na tecnologia -especialmente a Nanotecnologia, a Biotecnologia e a Neurotecnologia- possibilidades reais de o homem superar as suas limitações.
À luz das filosofias da existência “O homem é um ser em devir, não é um produto acabado.”. Caberá aqui a hodierna corrente filosófica Transhumanismo. Caminhamos, com a ciência por companhia, para um estado tecnológico. Vivemos, já, um estado biotecnológico (ainda é o factor bio a mandar), chegaremos a um estado tecnológico. Construímos a máquina, operamos a máquina; fazemos tecnologia, operamos a tecnologia… por enquanto. Passaremos por um estado de hibridismo?; estaremos já a vivê-lo?
… Ética, exige esta doutrina. Visa-se a anulação dos danos celulares que provocam o envelhecimento ou doenças. Desígnio legítimo e não de agora. Prossigamos… com ética!




Carlos Jesus Gil

3 comentários:

Anónimo disse...

Bem, a esperança de vida tem aumentado imenso. Vacinas e outro tipo acções sobre o nosso corpo, que estão perfeitamente assimiladas como sendo "normais", são afinal biotecnologia...

obvious

Gil disse...

Seven, obrigado pela visita. Quanto ao comentário, sim, tens razão. Já tomamos por normal muito que era impensável sê-lo há não muito.
Volta de vez em quando,mnem que seja pró bota abaixo!

Tomas de Alencar disse...

Have-mos de prosseguir sim.