domingo, 21 de outubro de 2007

Hei-de Ser

HEI-DE SER!


Eu quisera, sempre quisera Ser. Ser na luz e na treva, Ser, Ser, Ser… Ser pequeno mas suficientemente grande para, sem sobrancerias, olhar os outros, os mais deles, de cima.
Eu quisera criar, buscar o que almeja ardentemente unir-se, o que erra porque assim é até o deixar de ser – se alguém, dos que olham de cima, fizer por isso.
Eu quisera muito; eu ainda quero muito. Eu quero muito, entanto, ainda não Sou! … Não sei se lograrei Ser nalgum tempo.
Falta-me muito… e o mais é a transpiração.




Carlos Jesus Gil

2 comentários:

enigmatica disse...

Has-de ser, pois!
Desse muito, faras pouco...
...e com a transpiraçao acrescida, limparas os poros!
Boa caminhada!
Beiijito:))
(o resto, dir-te-ei ali ao lado)
Sim~, sou eu pois...!
Fica bem...!:))

Tomas de alencar disse...

Ha-des ser? tu agora jà és!