terça-feira, 16 de abril de 2013

CADEIA ALIMENTAR





            Ao animal mais poderoso, ao predador mais feroz e voraz, àquele que se encontra no topo da cadeia alimentar, não interessa, de todo, que o mais pequeno e frágil fique sem alimento ao ponto de deixar de existir. O mesmo por aí abaixo. Podemos aplicar o raciocínio a todos os reinos animados: ao animalia, ao protista, ao monera, ao fungi, ao plantae… Sem alimento para o que serve de alimento, nada de alimento e em breve seria o nada vivente. Seria a morte à míngua de!
            A ciência Economia de há muito que incorpora estes fundamentos orgânicos nas suas teorias e nos seus modelos, nomeadamente naqueles que com maior acuidade se debruçam sobre os mercados e o consumo como condição impreterível para a produção. Como pode o construtor da Ferrari vender Ferraris, ali e acolá, se não houver quem aqui e em todo o lado compre Renault Clio, por exemplo? Ou BMWs, ali, acolá e, vá lá, também aqui? O senhor de outros automóveis que também devo mencionar, não menosprezando, refira-se, nenhum de todos os outros que aqui não menciono, por não ser necessário, o senhor de outros automóveis, dizia, sabia-o muito bem. Por isso é que o legado Ford não se limita ao nome e à organização do trabalho debaixo do pavilhão – a perfeita linha de montagem, a tarefa especializada do operário, a eliminação do movimento desnecessário -, Henry Ford deixou muito mais, e um acrescento que só pode enriquecer a ciência Economia. O senhor Ford compreendeu perfeitamente que a política de salários vigente jamais permitiria à Economia e à sociedade o salto necessário à prosperidade que ambicionava. Sabia que se não pagasse bem aos seus operários, estes não teriam dinheiro para comprar batatas e febras em suficiência, logo os agricultores, os criadores de gado e os talhantes também não teriam dinheiro para lhe comprar fords… ou para trocar, com regularidade saudável, de ford e, assim, ele nunca venderia muito. E até teria que, inevitavelmente, mais tarde ou mais cedo vir a despedir operários. O fordismo convenceu e venceu mas, e porque talvez não tenha dado jeito ao criador do termo – António Gramsci, em1922, nove anos depois da idealização daquele sistema de produção por Henry Ford - e aos seus divulgadores, bem como aos economistas políticos que as ideias de Ford estudaram e estudam, a defesa daquele ideal salarial raramente a vemos fazer. Afunda completamente. Pelo contrário, volta e meia, como assistimos agora, é o seu oposto que vem à tona.
            O senhor Ford, que não era um biólogo, compreendia muito bem a cadeia alimentar, e até sabia que não há nada de pejorativamente animalesco na mesma. É assim que tem que ser. Sabia também o quanto de simbiótico deve ter uma Sociedade, para que o seja de facto. Não ignorava o tecido orgânico da Economia.
É incrível como, passados tantos anos, depois de tantas experiências vividas, de estudos feitos, refeitos, de revisitas aos erros e às virtudes, se continue a teimar no mesmo e que, regularmente, a obstinação roce o absurdo, como nestes conturbados tempos que vivemos! Isso, minha senhora - sim, é com ela que falo agora!, com ela e com mais alguns, poucos, senhores -, façam-nos definhar até sucumbir, e depois rumem ao espaço em busca de apascento. 

7 comentários:

Anónimo disse...

Sra. Merkel, veja o k esta a fazer da Europa

Táxi Pluvioso disse...

Fordismo é no Bangladesh para fazer roupinha barata para o nosso corpinho sempre na moda. boa semana

Anónimo disse...

A idea do texto, de um Salario Dino Tb apoio

Anónimo disse...

Sao os pobres que alimentam os ricos

Anónimo disse...

Sao os pobres que alimentam os ricos

AZUL DRAGÃO disse...

Amigo Carlos :


...o que nos vale é Jesus
(o Jorge , claro !).


Abraço

Anónimo disse...

dating site for golfers http://loveepicentre.com/success_stories/ private dating options off line
kiera knightly dating [url=http://loveepicentre.com/advice/]parenting teens that are dating[/url] darkwave gothic and dating
irc dating [url=http://loveepicentre.com/taketour/]dating advise colums[/url] meg ryan dating [url=http://loveepicentre.com/user/babaomo/]babaomo[/url] eithiopian dating woman