segunda-feira, 14 de maio de 2012

CARTA ABERTA AO SR. MINISTRO DA SAÚDE

Falta de medicamentos nas farmácias portuguesas Olhó o sr. do burro! Talvez por não permitirem, às farmacêuticas, o retorno desejado… ou mesmo o necessário, é possível que os fabricantes de medicamentos estejam a preferir outros “mercados” dispostos a pagar mais e melhor que o nosso. Daí, a já preocupante falta de medicamentos nas farmácias portuguesas e nos armazenistas. Eu próprio tenho sido, desse ignóbil fenómeno, vítima. Culpa vossa ou não, srs. gestores e decisores do Ministério da Saúde, é obrigação de vossas excelências, pela deontologia inerente às funções que abraçaram, enfrentar e pugnar pela resolução do problema. Desta empresa não deveis vós eximir-vos, pois! Não queira, sr. Ministro da Saúde, seguir o exemplo do sr. do burro… Daquele que queria desabituar o animal de comer… Todos sabemos o que aconteceu ao mesmo. PS: A vós, srs. administradores da indústria farmacêutica e das empresas de armazenamento e distribuição de medicamentos, um apelo: ouçam também a voz do vosso humanismo, os sinais do bom-senso que, tenho a certeza, possuem na plenitude! O binómio farmácia/cliente, com tudo o que se encontra a montante, constitui, quando tudo deliberado como supra defendo, uma simbiose perfeita!

8 comentários:

Darwin disse...

É verdade amigo, há medicamentos a faltar nas farmácias, porque estão a sair de Portugal para serem vendidos noutros países a preços mais caros, garantindo a alguns distribuidores lucros muito superiores aos que teriam no mercado nacional.
É lamentavel que os doentes de Parkinson, estejam privados de um dos medicamentos essenciais, há mais de um mês esgotado na maioria das farmácias.
Assim como é lamentavel, que milhares de doentes abdiquem de comprar medicamentos devido à falta de dinheiro. São doentes idosos e desempregados a quem o Estado não consegue garantir a cobertura plena das necessidades em termos de medicação. Este é resultado de entregar a um ex-cobrador de impostos, a pasta da Saúde.

Povo disse...

Isso mesmo, comentador Darwin. Por se ser bom com números, por se ser um bom cobrador de impostos nãp quer dizer que se seja um bom ministro da Saúde. Ele é a prova.

Pensador disse...

O Governo já demonstrou, não se preocupar com a saúde dos portugueses.
O corte nas despesas no sector da saúde de 810 milhões de Euros, e o Protocolo de revisão dos preços dos medicamentos, assinado entre Paulo Macedo e a indústria farmacêutica, resultou nisto.
Este governo não passa de um governo fundamentalista anti-social , as promessas de cortes históricos não passam de uma fraude , porque da vez de atacarem as gorduras e ineficiências do estado como: institutos , fundações , empresas municipais , PPPs , etc... , atacam a base social da cidadania , a classe média e baixa deste país.

Anónimo disse...

Ó Sr. ministro não quer mudar de vida? Olhe que era uma OPORTUNIDADE, para os portugueses,claro!

Povo disse...

Isso sr. ministro já que tem emprego em qualquer lado, saia, deixe a Saúde para quem acrescente aos números a peesoa, o humanismo.

Darwin disse...

Esta noite, entrou-me um ladrão em casa, à procura de dinheiro.

Levantei-me da cama e... pusemo-nos à procura os dois...

Anónimo disse...

Boa rsrsrsrssrsr

Jose Torres disse...

Não gosto de ler comentários contra o ministro da saúde.
O homem prometeu ensinar a rezar para que ninguém adoeça...
Dêem-lhe tempo!!! (se ainda andarem cá pelo cimo da terra).
Bom fim de semana