segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Olá! Festas felizes para todos.
Uma brincadeira:


ABSOLUTAMENTE SIDERADO


Até porque fica mais-em-conta mas não só, resolvi oferecer aos livros a hegemonia na minha lista de prendas a oferecer neste Natal. Não é que estes estejam ao preço-da-chuva quando a períodos desta sucedem períodos da mesma, não, mas a verdade é que sempre são bem menos caros que perfumes… e se a malta tomar banho com regularidade, bem mais úteis também.
Com o propósito exposto, entrei ontem numa loja Bertrand e, ao fim de uns largos minutos e de um feixe de livros, dirijo-me a um colaborador e pergunto se não têm nada de Woody Allen, é que um dos meus alvos anda a necessitar, como das minis aos Sábados à noite, de umas boas gargalhadas. Ele diz que não, que de momento não; eu, eh pá, senhor, isso nem parece vosso, então não é uma vergonha pr’á casa? Ele, pois, de facto… mas pronto, temos aqui o último do Ricardo Araújo Pereira… ah, e também o do Fernando Alvim! E eu, pois, é malta boa sim senhor, mas ainda não é bem a mesma coisa, pois não? Quer dizer, acho que não, mas também são bons, não concorda?, ele a dar-lhe! E continuava, porque não leva este do Alvim? E eu logo, porque a Excelência do Alvim encontramo-la numa inata dialéctica música/palavra. O homem reina no áudio, no livro, muito embora nada de despiciendo seja susceptível de ser encontrado nos seus trabalhos, a qualidade elevada não está tão exposta à neve quanto a do Ricardo. E ele, não sei bem o que é que o senhor quer dizer com isso, mas… ah, espere!, cheguei lá. Dou-lhe razão, concordo plenamente consigo. A minha deixa, dá-me razão?; concorda plenamente comigo?! Pudera!, pois se até o nosso primeiro e o senhor presidente me pedem lições, conselhos… me dizem sim a tudo! Oh homem, quem é você ao pé daqueles?! Não viu logo que eu tenho sempre razão? O nosso presidente ter-me-ia dado razão logo no início da primeira frase. O quase siderado, está a falar de que presidente, senhor cliente? Eu contador, do Cavaco, claro! Há uns tempos estivemos juntos num jantar e eu falei-lhe numas coisas de Economia e ele ficou tão assombrado que me contratou logo para seu assessor… e apresentou-me ao Sócrates, pediu-me para lhe dar um curso intensivo sobre Economia e Finanças Públicas, e também para lhe falar do Maltês do Bronze, aquele que ganhava dez e gastava onze. Olhe, daqui a três, quatro quartos-de-hora vou até Belém… e só venho lá para Maio ou Abril…Ah pois!...
Foi aí, depois daquelas últimas palavras e das reticências, que me dei conta de que fulano era já absolutamente siderado. Juntei o Ricardo aos outros, dirigi-me ao caixa e, antes de efectuar qualquer pagamento, solicitei ajuda pr’á minha vítima.




Carlos Jesus Gil

8 comentários:

Daniel Savio disse...

Desculpa a pergunta, mas o que significa "siderado"?

Hua, kkk, ha, ha, aqui no Brasil, nunca ouvi esta palavra...

Fique com Deus, menino Carlos Jesus Gil.
Um abraço.

Táxi Pluvioso disse...

Vá lá que podias ter conhecido o Cavaco, no casamento de um casal sem-abrigo, do qual ele foi padrinho esta semana. Entre umas gambas e um caldo verde também dava para falar de economia e, sendo amigo dos noivos, dava direito a umas visitas a Belém.

Na semana passada também percorri as livrarias e alfarrabistas da baixa de Lisboa, não à procura de um tipo com pouca piada como o Allen, nas outro muito mais engraçado: Stalin. Não me tentaram impingir Pacheco Pereira ou Moita Flores ou Paulo Portas, como sendo a mesma coisa.

Desejo Bom Natal

AZUL DRAGÃO disse...

Meu caro :

..." mas pronto, temos aqui o último do Ricardo Araújo Pereira "...

E era com perfume ?



Um abraço

Anónimo disse...

É pá se queres fazer rir o teu amigo, ... vasta visitá-lo!


Soudocontra!

Táxi Pluvioso disse...

Um bom ano

(é só uma forma de falar, o bom ano já está está garantido para os portugueses).

Mariazita disse...

O final do ano aproxima-se. Faltam já poucas horas.
Preparemo-nos para nos despedir dele com dignidade, ainda que dela não seja muito merecedor :) Podia (e devia) ter sido um pouco melhor...
Que o teu final de ano decorra com muita saúde e alegria, na companhia de quem amas.
Que o Ano Novo traga consigo muitas bênçãos para derramar sobre todos nós.
Ao soar das doze badaladas façamos um voto especial pela Paz e Justiça no mundo.

FELIZ ANO 2011

Beijinhos

Tomás de Alencar disse...

Bom ano para ti , amigo carlitos....um abraço.

o que me vier à real gana disse...

OBrigado Tomas, obrigado a todos. Tb para vocês e vossos, um ano novo com tudo do melhor.