sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O vício

O VÍCIO




Porque me pareceu estar com febre – quente, que ela estava! -, dei um comprimido de paracetamol a uma árvore do meu pequeno quintal. Dissolvi-o muito bem em água, e meti tudo na raiz. Foram cinco litros de água para um grama daquele princípio activo.
Deu-se o caso por alturas do ocaso. No outro dia, manhã cedo, rompido de há pouco o astro-rei, acerquei-me do vivente doente e, perscrutando-o, notei algumas melhoras, não grandes, ainda assim, perceptíveis. Continuei, portanto, a terapêutica administrando-lhe dose igual.
Pelas duas da tarde, as suas folhas apresentavam já alguma viçososidade, não obstante a intratável caloraça do pleno Julho… Eram dez e meia da noite, mesmo antes de me preparar para a noitada, nova administração – não, a outra não fora demitida, nada de confusões!
Andei nestes desvelos cerca de uma semana… A Árvore, via-se, e confirmar-se-ia por análise idónea, vendia já saúde. Porém, se de oito em oito horas lhe não levasse a toma, era um tal zurzir na parede ali ao lado… Tive que pintar toda a parede e, como de brilho e ofuscação se passou a conviver entre as quatro, que remédio tive senão pintar toda a casa por fora!
Não fosse tê-la arrancado pela raiz, não chegariam hoje dez caixas de Panadol por dia. As tomas já eram de seis em seis horas, e os gramas já eram três de cada vez. Progressão geométrica! Teria que arranjar trabalho extra, está de ver.
Mas não, tomei a decisão correcta. Hoje, é um descanso!
Ah, a lenha?... Dei-a toda a uma vizinha que merece.




Carlos Jesus Gil

34 comentários:

Anónimo de Cima disse...

Então nem temos tempo de comentar um post e já há outro? Isso é que é aviar, Sr. C.J.Gil... bem simsenhor.
Claro que 'esteca sem música qq uma o pode ser, basta que para isso seja frequentada pelo masso Tó Mudo. Nós temos sempre a mania de interpretar as coisas à nossa maneira e esquece-mo-nos de ver as coisas pela perspectiva dos outros. Resumindo, "pista cheia! Fabuloso"- dis o masso Tó de si para si.

O vício... espero que não se tenha esquecido de alertar a vizinha merecedora para a necessidade de usar uma máscara na altura de queimar a lenha. Como sabe a contemplada poderá sofrer efeitos secundários resultantes da queima de tanto paracetamol.
Apraz-me registar os recentes contributos do Darwin... continua grande como sempre e motivo de regozijo de todos quantos têm a sorte de o ler, o que torna este local de encontro bem apetecível, à semelhança dos extraordinários posts do Sr. C.J.Gil.

xistosa - (josé torres) disse...

A árvore morreu da cura (diz quem sabe - a m/parceira desta vida - que a acetanilida é altamente tóxica).
Para evitar polémicas, não tomo destas coisas dúbias.
Simplesmente com menos de 40% de álcool, (a legislação parece que não permite mais), e destilado do malte ou da malta.
Não me preocupo com a ascendência, só com a presença e à mão de semear ou colher.
Então ofereceu o pau à sua vizinha, quer dizer mais prosaicamente, a lenha.
Ou será ao contrário?
Parece-me que sim.
Agora fica, pois o corrector esgotou-se?
Antigamente não se devia bater, numa senhora, com uma flor, ou seria, até com uma flor?
Hoje estou cheio de dúvidas.

Um bom fim de semana.

Daniel Savio disse...

Cara, nem árvores que merece mais esforço para serem salvas do que certas pessoas...

Hua, kkk, ha, ha, brincadeia com um fundo de maldada e verdade.

Fique com Deus, menino Carlos.
Um abraço.

Anónimo disse...

Afinal tambem tens um pouco de TOINO D`HORACIO . Não te aflijas que o marito caixeiro trata bem dessa lenha..........
abraço grande ao zé agua

JOSE TERRA

Anónimo disse...

esta de anónimo e depois assinar jose terra está boa

Tomas de alencar disse...

Ó amigo , Jose Terra olhe que ,Hipócondriacos ( se é isso que queria dizer)há mais aí na Praia de Mira,e quanto ao Márito , tambem há mais quem "roube" lenha ...e até mais do que ele¨...

loirinhaquenãoédeaveiro disse...

eh pá, gil, levavas a árvore a um CAT e estava o assunto resolvido.

batutaemeia disse...

E tu que és todo ecologista vais assim cortar a árvore? Não parece teu.

Flor disse...

Vício/Dependência...
"A Dependência é uma Besta q dá cabo do Desejo e a Liberdade é uma maluca q sabe qto vale um beijo" (Jorge Palma)

Anónimo disse...

Diz muito este post. Bfds

Anónimo disse...

O anónimo de baixo sou eu.

Anónimo de Cima disse...

Ainda sobre o Vício... e efeitos colaterais.
Lá dizem os entendidos que todo o Homem deve, pelo menos uma vez na vida, "fazer" um filho, plantar uma árvore e escrever um livro. O "presumível" dono da árvore enferma terá, nesta lógica, um crédito negativo de -1 no processo de avaliação da sua experiência terrena, pelo menos no que à árvore diz respeito, pois para além de não ser claro que tenha sido ele a plantá-la, sabemos que decepou uma. Quanto ao restante, está tudo a zeros, ou perto disso, pois não há indícios claros de que este nosso amigo e ex-dono de uma árvore tenha procriado - apesar das evidentes incertezas quanto a isto, só comparáveis com a hipotética reacção da malfadada árvore a outros tipos de tratamento, à base de supositório ou vacina,- ou mesmo escrito um livro. Se bem que neste último pode ter-se em conta a infindável dose de capítulos postados na blogosfera, que sabemos não é mais do que uma forma diferente de publicação. Ainda assim julgo ter ter existido a oportunidade de, o referido dono/autor/quiçá "pai", aproveitar a matéria orgânica da árvore para produzir forma física de suporte aos seus escritos e, assim, contemplar a terceira permissa.
Seja como for, terá agora que plantar não uma, mas duas árvores, se estiver para aí virado é claro.
Faça lá o favor de ter um bom fim de semana Sr. C.J. Gil, bem como os demais...

Laurindo disse...

Muito bom o comentário do anónimo de cima; excelente, carregado de imagens, o post.
Já agora, será que o autor não terá por aí um filho ou até mais. É que são alguns anos na música. nunca se sabe, se calhar nem ele.

Laurindo disse...

Muito bom o comentário do anónimo de cima; excelente, carregado de imagens, o post.
Já agora, será que o autor não terá por aí um filho ou até mais. É que são alguns anos na música. nunca se sabe, se calhar nem ele.

Anónimo do Meio disse...

Eh Flor,só isso?Não é normal!Será que Anubis levou a sua alma para o "além"?

Flor disse...

Anubis é uma presença constante no meu dia a dia da qual,cm se depreende, ñ gosto mto!!
Mas cm mtas outras coisas, tive q aprender a "conviver" c/ tal...eu faço o meu trabalho e Anubis o seu.

Qto a este post...Não gosto da história.

Anónimo Zé disse...

Compreendo a Flor. Também não gosto do tema. Aliás, surpreende-me que o autor tenha praticamente assassinado um ser vivente, medicamentando-o até ao último suspiro. shame on you!...

Parabéns ao Anónimo de Cima. Que belo pedaço de escrita aqui nos deixou.

Sr. Gil, toxicodependentes tenta-se recuperá-los, não matá-los.

E hoje não dá para mais...

Darwin disse...

Caro amigo parece que estás com gripe.
É normal, está um briol dos antigos ou está um frio do caraças… Chiça não se pode andar com ele de fora! – O que é habitual, em Janeiro.
Eu sou do tempo em que a gripe era uma coisa habitual. Todos os invernos, havia uma. E a malta sabia como tratar dela: umas aspirinas, umas colheres de mel, uns abafos. Aquela velha receita: Abafe-se, abife-se, avinhe-se, deita-te bem quentinho, e põe uma cartola aos pés. Quando vires duas, abusas-te de um dos ingredientes...! um ou dois dias de cama e a gripe ia-se embora.
Agora passámos a ter um país muito mais colorido, graças aos alertas amarelos e laranjas. Não há dúvidas que estamos em época de eufemismos.
Bem… hoje fico-me por aqui, porque tenho que ir ao site da Protecção Civil, para saber quantas camisolas devo vestir para enfrentar este barbeiro!
Desejo-te um rápido e pleno restabelecimento.

PS; Amigo Anónimo de cima, agradeço-te a distinção, embora ache que não a mereça.

Um abraço amigo Dexter.

leitor disse...

Penso que a rapaziada, até aqueles que tão bem interpretam ainda não chegaram lá. Será que o gil não pretende cortar pela raiz o problema da toxicodependência. Melhor, será que lele não manifesta aqui esse desejo, sabendo-o no entanto impossível de alcançar.
Podemos sempre perguntar-lhe.

critico disse...

Leitor vc é danado para interpretar bem ãh! Mais ninguém chegou lá! Mas "será" que é isso ou a sua interpretação é só barro para a parede?

Anubis disse...

Acho que ninguém pode acusar o Gil de nada.
Afinal...a etiqueta do posto é: TOLICES

Anónimo disse...

Eh Flor...era dia e noite!!!

Anónimo disse...

Ui!!!

Anónimo disse...

O anonimo das 12h38 não sou eu. Já o das 14h01...sim.

Murganheira disse...

Mesmo sabendo da etiqueta o que dizes no post, Gil, não é tolice nenhuma. Não falta por todo o lado seres cuja actividade é em muita conta afectada pelos químicos dos estupefacientes. De toxicómanos todos temos um pouco, mesmo os que se julgam mais rijos e avessos à ingestão de reguladores. A perspectiva do Anónimo de Cima está muito bem apanhada no comentário hilariante que fez, mas mais seriamente concordo com o Leitor, pois nalguns casos a dependência é mais catastrófica do que benéfica.

Anónimo disse...

Quer dizer falto aqui eu, e mais ninguém comenta? Só eu e o Murganheira? Caracitas pá! É Murganheira, pelos vistos somos só eu e tu pá!

Anónimo disse...

Mas o anubis tem a mania que é o rei da bicharada é?

Anubis disse...

O Anubis não tem a mania que é. O Anubis efectivamente...É!
Tem algum problema com isso? Se tiver, peça uma consulta esotérica à Flor que ela ajuda-o. Pode ser a qualquer hora, já que há para aí um anónimo a dizer que e Flor é de dia e é de noite.

Anónimo disse...

eu pedia mas ela anda foragida! Sinto a falta dela, já de ti não posso dizê-lo.

IsabelAlçada disse...

Oh Sr. Gana! Então nunca mais comenta nada? Está de férias...está a dar aulas? Deve estar a dar aulas...pois férias não consta do seu vocabulário, mesmo quando o vemos em pleno Verão a correr pelos passeios da Praia de Mira de calçonetes, todo suado.
"Tão maço...tás de férias?"
"Férias eu? Eu não tenho férias páááá!"
Tá??

BernardinoSoares disse...

Eh maço, já que a hoegaarden está cara no contabaixo, anda cá beber um fino c'a gente ao Alcabar...que a gente não te chateia mais c'o essa coisita das férias.

Anónimo disse...

Eh Flor e quem lá fosse?

Flor disse...

Olaréeeeeeee!!!
1-Coisas esotéricas ñ são cmgo Anubis, sou mais apologista da ciência.
2-Anónimo "tal e coiso" q ñ sei quem é...defina melhor o q quer saber?!?é q há coisas na minha vida q são mmo de dia e de noite...qto a quem lá fosse?!?fosse onde?!?...Ah e defina o "quem" tb...pode fazer diferença na resposta...
3-Anónimo "coiso e tal"...tb sinto a sua falta!

AZUL DRAGÃO disse...

Amigo Carlos :

A febre pode levar ao delírio...

Brilhante !