sábado, 12 de janeiro de 2008

Aonde é que vais logo à noite?

AONDE É QUE VAIS LOGO À NOITE?


- Aonde é que vais logo à noite?
- Logo à noite?
- Sim, logo à noite. O que é que não compreendeste?!
- Nada, nada; ou seja, compreendi tudo.
- Pronto, então podes responder-me?
- Posso, pois. Porque que haveria de não poder?
- É pá, então responde!
- Mas, qual era mesmo a pergunta?
- Arre!!! A pergunta era mesmo esta: aonde é que vais logo à noite?
- Então…, logo à noite vou à discoteca. É o que faço, normalmente, todos os sábados à noite.
- Ah, vais à discoteca?!
- Sim, porquê tanta admiração?!
- Porquê tanta admiração?
- Sim, porquê?
- Então diz-me lá, ou cá: vais à discoteca com quem?
- Com aquela gajinha que engatei há quinze dias, de quem, aliás, já te falei, a Marisa.
- Ora aí está!
- Aí está, o quê?
- A razão da admiração.
- Então, mas qual razão?
- Oh pá, Manel, à discoteca um gajo vai para engatar. Ora tu já engataste, e já não era sem tempo!, portanto o que vais tu lá fazer agora?... Perder tempo! É isso, perder tempo. Ganhá-lo é passá-lo dentro do carro, horas a fio, até os vidros ficarem foscos.
- É pá, tá bem. Depois havemos de ir p’ró carro, mas primeiro vamos à disco.
- Tu é que sabes, lorpa do caraças!
- Ok., sou lorpa. Deixa lá! Já agora, aonde é que vais tu logo à noite?
- Eu?
- Só aqui estamos os dois!
- Eu, então eu, logo à noite, vou ouvir a gravação do debate, no Parlamento, sobre o Tratado de Lisboa, sim, que estou a precisar de rir um pouco; depois vou rever o jogo da Taça da Liga “ Setúbal /Sporting “, que também serve o objectivo; depois, se entretanto não se puser muito tarde, vou deleitar-me com um apanhado das idiotices protagonizadas e mediatizadas pelos ministros da nossa administração central. Sim, o “ Alcochete jamais “ incluso. Aí tens.
- … E depois o lorpa sou eu!




Carlos Jesus Gil

3 comentários:

O falso anónimo disse...

Só se o que diz que não é lorpa fosse mesmo muita lorpa, ainda mais lorpa do que o que pensa que não é lorpa e é um gandassíssimo lorpa, é que o que não é lorpa deixava de ir à disco para ir ouvir a sessão do parlamento fosse ela sobre o que fosse,como fez o que achava que não era lorpa e era, isso sim, um ganda lorpa. Ele sempre há cada lorpa!

oquemevierarealgana disse...

Pois, eh, eh, eh!

Tomas de alencar disse...

Agora tens que esperar um pouco que tà na hora do comboio e tenho que ir ali à Alemanha , mas logo volto.