segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

O Jardim e o Jardineiro

O JARDIM E O JARDINEIRO


Como carece, o jardim, de jardineiros!..., de bons jardineiros, daqueles que sofrem com a perda de uma planta, que uma só planta é prejuízo de grande monta. Sim, daqueles que levam o tormento para casa e que não descansam enquanto não ocuparem o lugar vagado com outra planta… igual, e que sabem que, mesmo sendo igual, nunca esta será igual - que todos os iguais são diferentes -; e que amam aquela igual diferente quanto amavam a outra igual igual. Jardineiros destes, precisa-se! Nunca são demais, que muitas são as plantas, profusão de flores.
O bom jardineiro domina a cirurgia do corte, expulsa do território o usurpador daninho, somente o usurpador daninho... O bom jardineiro não usa pesticidas, evita as pestes. O bom jardineiro converte o brejo em terra fértil.
O jardim continua uma lástima. Há-os em melhor estado, nenhum, porém, dá mostras de desvelado trato.
O tempo não está criador, todavia, com jardineiros mais atentos e dedicados…




Carlos Jesus Gil

3 comentários:

m.g. disse...

Onde é que eles estão, os bons jardineiros? pegando no sentido metafórico do texto, poderemos dizer que até a terra já não parece nada fértil! Os jardineiros descuidaram-na. Haverá algum húmus revitalizante que lhe possa valer?

oquemevierarealgana disse...

Aora sim,m.g. O pleno, na concordância contigo!

Tomas de alencar disse...

Ainda hà alguns , mas poucos.