terça-feira, 27 de novembro de 2007

E o Alberto e o Albino também...

E O ALBERTO E O ALBINO TAMBÉM...

METEOROLOGIA


Cá dentro, atmosfera londrina; fora…, libertação no azul sozinho do céu!
- Que devaneios são esses, caríssimo?
- Olá Alberto, tudo bem?
- Sim, estou óptimo. O que é que se passa?; que discurso era esse?!
- Oh, nada, nada. Estava pr’aqui a falar comigo. Acontece-me não raro.
- Estás triste, é?
- É pá, triste e indignado… com o fado do Sporting. Então não é que mais uma vez perdemos de forma assaz inglória?!
- Camarada, perder envolve sempre inglória.
- Não, discordo. Há derrotas e derrotas!... Quando não existem argumentos ou não se faz por isso, a derrota encaixa. É um elemento da obra. Agora assim?!... E depois há outra coisa, é pá, uma equipa que está a ganhar a maior parte do tempo, que o Manchester só empatou por volta do minuto sessenta e um, não merece perder. Que se consiga outra designação e outro estatuto, mas derrota não. Durante o tempo de jogo, os noventa mais os quatro minutos suplementares, os ingleses só estiveram à frente cerca de dois minutos. Não pode apenas existir vitória, empate e derrota. Exige-se a existência de uma outra condição… que, obviamente, seria a do Sporting hoje.
- Moço, não está mal pensado, de facto. Mas é complicado, não achas?
- Não é fácil, não. Exige abastada reflexão. Mas, e tu, estás contente?
- Contente com quê?
- Com a derrota dos leões?
- É pá, acho que não.
- Achas que não? Então não tens a certeza?!
- Sabes que isso depende sempre do clube a que pertencemos. Aqui é assim; e pelo que me é dado a perceber, o mesmo se passa noutros países. Esta não é uma particularidade nossa. Bem, esta minha incerteza prende-se com o facto de não saber se gosto de futebol e, a gostar, qual o meu clube. Não me definiste neste domínio.
- Desculpa, defini-vos no essencial. Tu e o Albino já são! Se gostam ou não de futebol, isso é convosco. Não tenho absolutamente nada a ver com isso, nem tal se me mostrou.
- Claro que gosto de futebol, mais, adoro!... Já que posso escolher, nem penso vez e meia, sou portista.
- E o Albino?, já agora vamos ver como é que é com ele. Ó Albino?
- Sim narrador!
- Desculpa lá, que camisa clubistica vestes na praia, se é que gostas de futebol?
- Então não se vê logo?... Sou do Benfica, claro! E tu, narrador; e o Alberto?
- Eu sou sportinguista e o Alberto é do Porto.
- … Chato, o que se passou hoje em Manchester. O Sporting não merecia…
- Falas a sério, Albino?
- Claro que sim. Se fosse o Porto…
- Também digo o mesmo, narrador. Agora que tenho consciência que sou portista, estou triste por o Sporting ter perdido. Se fosse o Benfica…
- Fiquem bem rapazes!...
- Adeus narrador; - Até à próxima, narrador!
Ainda agora aqui chegaram, digo eu, e já se encontram impregnados de natureza humana… Porra!, o que quero eu? De que forma haveriam eles de ser?! Natureza humana, sim…, a inerente racionalidade – se o rival perder fica menos forte… - e a emoção que devem ser postas em todas as coisas. Em simultâneo sim!... Não, não é um paradoxo, é natureza humana.




Carlos Jesus Gil

2 comentários:

J P G disse...

Ao menos perdemos! Se tivessemos ganho e a Roma também, ainda se ririam de nós... "coitados ganharam aoem Old Traford mas não lhes serviu de nada".

Tomas de alencar disse...

Mais vitorias virao